Nome do Projeto
Controle Reprodutivo em Equinos
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
04/05/2020 - 13/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
É imprescindível que o médico veterinário atuante na área de reprodução equina tenha conhecimento teórico, aliado ao prático, das particularidades anatômicas e fisiológicas de éguas e garanhões. A fêmea equina é considerada poliéstrica estacional, fotoperíodo positivo, com duração do ciclo estral de aproximadamente 21 dias, dividido em fase de estro e diestro. O garanhão deve ser submetido a avaliação por exame andrológico de forma periódica, além do acompanhamento do manejo reprodutivo durante a cobertura/coleta de sêmen. Para obtenção deste conhecimento é necessário o estudo aprofundado específico na espécie, baseado em literatura nacional e internacional, associado a treinamento periódico dos principais procedimentos utilizados durante a estação reprodutiva. O presente projeto de ensino tem como obejtivos qualificar o conhecimento teórico de graduandos e pós-graduandos em relação ao manejo reprodutivo de equinos. As metodologias utilizadas serão baseadas nos métodos ativos com jogos, projetos e tarefas que busquem soluções de forma colaborativa para problemas e situações reais.

Objetivo Geral

O projeto tem como objetivos gerais trabalhar as metodologias ativas de ensino como forma de melhoria do ensino na graduação do Curso de Veterinária da UFPel.
Buscando de forma específica qualificar o conhecimento teórico de graduandos e pós-graduandos em relação ao manejo reprodutivo de equinos, através de métodologias ativas de ensino.

Justificativa

O Brasil possui um rebanho efetivo de aproximadamente 5,5 milhões equinos e o Rio Grande do Sul, cuja economia é caracterizada pela produção integrada de agricultura-pecuária, possui uma população aproximada de 470 mil equinos (IBGE, 2010). A equinocultura é responsável pela geração de 600 mil empregos diretos e 3,2 milhões de empregos indiretos (CNA, 2006). A criação está diretamente relacionada a capacidade de reprodução, sendo que a espécie equina apresenta inerentes peculiaridades anatômicas e fisiológicas. O conhecimento aprofundado destas características proporciona o entendimento das práticas de manejo empregadas em equinos durante estação reprodutiva e é um dos atributos do médico veterinário. O manejo reprodutivo dos equinos é de grande importância para o sucesso e lucratividade do estabelecimento de criação, sendo que o sucesso de criação está relacionado ao conhecimento do médico veterinário, englobando anatomia, fisiologia, técnicas laboratoriais e medidas de manejo. Com intuito de adquirir competência para realização de um bom manejo reprodutivo é necessário o estudo aprofundado na espécie sob orientação de profissionais atuantes na área.
É imprescindível que o médico veterinário atuante na área de reprodução equina tenha conhecimento teórico, aliado ao prático, das particularidades anatômicas e fisiológicas de éguas e garanhões. A fêmea equina é considerada poliéstrica estacional, fotoperíodo positivo, com duração do ciclo estral de aproximadamente 21 dias, dividido em fase de estro e diestro. O garanhão deve ser submetido a avaliação por exame andrológico de forma periódica, além do acompanhamento do manejo reprodutivo durante a cobertura/coleta de sêmen. Para obtenção deste conhecimento é necessário o estudo aprofundado específico na espécie, baseado em literatura nacional e internacional, associado a treinamento periódico dos principais procedimentos utilizados durante a estação reprodutiva.


Metodologia

As metodologias ativas que serão utilizadas durante os encontros serão:
Sala de aula invertida (após a seleção dos conteúdos, os alunos devem estudar em um momento pré-encontro e eles serão os difusores do conhecimento). Outra metologia será o "aprendizado aos pares" (Peer Instruction) onde o conhecimento será construído a partir da interação entre alunos. E a Metodologia ativa Sagah, onde os alunos terão o próprio aprendizado e os econtros com os professores e pós-graduandos serão trocas de conhecimento e resolução de problemas.
Baseado nessas metodologias ativas de ensino, buca-se promover melhoria no ensino na graduação do Curso de Veterinária da UFPel. Sendo essas ações voltadas para a superação da evasão, reprovação e/ou da retenção acadêmica por demonstrar outros métodos de estudo para os alunos de graduação.
Os principais temas abordados serão:
1. Noções básicas do manejo geral de equinos
2. Contenção e condução de equinos
3. Fisiologia da fêmea

O alunos de graduação serão integrados também a oficinas teórica-práticas relacionadas aos temas descritos.
Durante o período do projeto serão organizados dois cursos de capacitação com a equipe, tendo como público alvo profissionais, graduandos e pós-graduandos em Veterinária.
4. Fisiologia do macho
5. Manejo reprodutivo
6. Exame ginecológico
7. Exame andrológico
8. Dinâmica folicular de éguas
9. Predição da ovulação
10. Agentes indutores de ovulação
11. Inseminação artificial com sêmen fresco
12. Inseminação artificial com sêmen resfriado
13. Inseminação artificial com sêmen congelado
14. Diagnóstico de gestação
5. Perdas embrionárias
16. Aborto
17. Acompanhamento da gestação
18. Principais patologias da gestação
19. Parto
20. Manejo da cobertura
21. Manejo da coleta de sêmen
22. Coleta de sêmen em estação
23. Manipulação de sêmen
24. Avaliação de sêmen
25. Diluentes de sêmen
26. Resfriamento de sêmen
27. Congelamento de sêmen
28. Fármacos que afetam o sistema reprodutivo
29. Principais patologias de equinos
30. Patologias do desenvolvimento do sistema reprodutivo – égua
31. Patologias do desenvolvimento do sistema reprodutivo - garanhão
32. Patologias do útero - égua
33. Patologias do ovário - égua
34. Patologias da tuba uterina - égua
35. Patologias da vulva - égua
36. Patologias da cérvix - égua
37. Patologias do úbere – égua
38. Patologias neoplásicas - égua
39. Patologias das glândulas acessórias – garanhão
40. Patologias pênis e prepúcio – garanhão
41. Patologias do ejaculado – garanhão
42. Patologias do testículo – garanhão
43. Patologias neoplásicas – garanhão
44. Cirurgias reprodutivas - égua
45. Cirurgias reprodutivas - garanhão
46. Superovulação em éguas
47. Transferência de embrião
48. Congelamento de embrião
49. Vitrificação de embrião
50. Clonagem
51. Sexagem fetal
52. Aspiração folicular
53. Injeção intracitoplasmática de espermatozoides.

Indicadores, Metas e Resultados

Ao longo do ano, espera-se que os alunos de graduação e pós-graduação qualifiquem e aprofundem seu conhecimento sobre controle reprodutivo de equinos no quesito teórico aliado ao acompanhamento de atividades práticas. Espera-se estimular a curiosidade e senso críticos dos alunos quanto aos principais procedimentos reprodutivos realizados em equinos, além de estimular a discussão dos casos clínicos e busca pela melhor opção de abordagem.
Além disso, a partir da metodologia ativa, tornar o aluno responsável pela própria aprendizagem. Sendo o próprio aluno o protagonista do processo, tornando-os mais comprometidos e participativos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRESSA GARCIA MOTTA
BRUNA DA ROSA CURCIO4
BRUNA DOS SANTOS SUÑÉ MORAES
CAMILA GERVINI WENDT
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA2
DANIEL HENRIQUE VIEIRA CAVALCANTE
ELIZA MOREIRA PIEMOLINI
GABRIELA CASTRO DA SILVA
GABRIELA MAROCCO RAPHAELLI
GIOVANA MANCILLA PIVATO
HORTENCIA CAMPOS MAZZO
ISADORA PAZ OLIVEIRA DOS SANTOS
JULIA SAO JOAO CHRYSOSTOMO
KASSIUS DOS SANTOS CORREA
LEANDRO AMERICO RAFAEL2
MARGARIDA AIRES DA SILVA
MARIANA ANDRADE MOUSQUER
MORGANA ALVES BORGES
NATHALIA DE OLIVEIRA FERREIRA
NATÁLIA BUCHHORN DE FREITAS
NATÁLIA RIBEIRO PINTO
PALOMA BEATRIZ JOANOL DALLMANN
RAFAELA BASTOS DA SILVA
RAFAELA PINTO DE SOUZA
TATIANE LEITE ALMEIDA
TAÍS SCHEFFER DEL PINO

Página gerada em 12/06/2021 17:56:45 (consulta levou 0.080084s)