Nome do Projeto
MoviLeiga - Movimento de Atenção à Saúde Global do Estudante de Medicina da Leiga/UFPel
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
27/11/2020 - 25/11/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O MoviLeiga é um grupo composto por professores, técnicos e estudantes voluntários do curso de medicina da UFPel, reunidos com o propósito de enfrentar os crescentes índices de adoecimento físico e psíquico dos estudantes no decorrer do curso. O aumento do adoecimento físico e psíquico dos estudantes universitários ao longo dos anos é notório e preocupante. Pesquisas realizadas na Universidade Federal do Paraná e na Universidade Federal de Minas Gerais, encontraram prevalência de estresse em 60% dos estudantes e pelo menos um diagnóstico de patologia psíquica em 83%, respectivamente. O ingresso na universidade acarreta uma série de mudanças na vida do estudante. Adicionalmente, ele frequentemente não possui uma estabilidade emocional que permita um melhor enfrentamento do novo desafio. Vários agentes estressores na vida acadêmica têm sido descritos: mudanças na forma de aprendizado, dificuldade em conciliar atividades acadêmicas e vida pessoal, carga horária intensa, privação do sono, competitividade, relação com professores/residentes e pacientes, problemas sociais e problemas financeiros (especialmente se oriundos de outras cidades e estados). O curso de medicina tem sido apontado, por si, como um agente estressor, revelando que seus estudantes adoecem mais quando comparados com a população em geral. Embora todos estejam expostos às mesmas situações elas podem influenciá-los de formas diferentes, alguns parecem lidar de forma mais saudável enquanto outros exibem sinais de dificuldades emocionais. Estudos sugerem que estudantes de medicina estão mais vulneráveis a responder às situações estressantes de modo não adaptativo. Consequentemente, os riscos de suicídio, depressão, uso de drogas, distúrbios conjugais e disfunções profissionais em médicos e estudantes de medicina são maiores.

Objetivo Geral

Planejar e executar estratégias de ação e prevenção para minimizar os potenciais fatores estressores a que os alunos do curso de medicina da UFPel estão expostos e auxiliá-los a desenvolver ferramentas para melhor enfrentamento dessas situações.

Justificativa

O estresse e suas conseqüências nos estudantes de medicina são especialmente preocupantes, uma vez tratar-se de uma população jovem relacionada à área da saúde, na qual sempre deveria ser reforçada a consciência da prática de hábitos de vida saudáveis e suas consequências positivas sobre o organismo. As alterações de funções fisiológicas, psicológicas e cognitivas,além de prejudicar a qualidade de vida, podem influenciar no rendimento acadêmico e no cuidado ao paciente. Dessa forma, o descuido do bem-estar desses estudantes, além de uma questão de saúde individual, constitui um problema institucional (por apresentar repercussões no rendimento acadêmico, aumentando os índices de retenção e evasão na universidade)e um problema de saúde pública (uma vez que, ao prejudicar a instrução dos futuros médicos, acarretará malefícios que recairão também sobre os usuários). Apesar do aumento dos níveis de perturbações emocionais nessa população, ainda há carência de implementação de medidas preventivas ou programas de intervenção durante o treinamento e prática médica.As universidades precisam reconhecer essa realidade e construir estratégias institucionais que possam ajudar os estudantes a lidar com os eventos estressores, para que, assistidos nas próprias necessidades, eles consigam enxergar as necessidades psicossociais dos pacientes.

Metodologia

Criaremos programas de ação e prevenção:
- realização de eventos que promovam ações de socialização entre estudantes de todos os semestres e professores;
- revitalização de áreas verdes e de convívio nas dependências da faculdade, trabalhando às questões de consciência ambiental e ecológica, alinhando-se às orientações das diretrizes curriculares, conforme previsto no PPC do curso em reformulação.
- atividades de prática desportiva (caminhadas, oficinas de dança), em consonância ao PPC do curso em reformulação, como forma de incentivo à ações preventivas de saúde física e mental;
- oficinas de Introdução à Medicina Integrativa.
- tutorias
- rodas de conversa com professores tutores e convidados.

Indicadores, Metas e Resultados

Esperamos que nossos estudantes contemplem diversas estratégias que os auxiliem a construir um novo olhar para a faculdade e para as adversidades da vida. Assim, esperamos formar em nossa faculdade “um ser humano mais profissional e um profissional mais humano”.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA PEREIRA DE SOUZA
ALEX DIAS SCHUG
ARTUR ZANELATTO SANTOS
BRUNO BEZERRA SILVA
CAROLINE MELO DE MELO
CRISTIANE HALLAL DA SILVA2
DULCE STAUFFERT2
GIULIA MIE HAMASAKI PEREIRA
GIULIA RADIN
HAYANA LUIZA RUZZA ALTENHOFEN
LUIGI FELIPE MACIEL BALESTRIN
MARCELO FERNANDES CAPILHEIRA2
MARINA PERES BAINY2
NILZA MARIA VALIM LOPES2
PATRICIA ELIZABETE TRENTIM
ROSANA MENDONCA DE SOUZA2
SABRINA OLIVEIRA DA COSTA2
SILVIA ELAINE CARDOZO MACEDO
TCHANDRA MACHADO DE VARGAS
TEODORA SCHUMACHER BAUER
TICIANA GOMES IIZUKA
VITOR TEIXEIRA COUTO DE ALBUQUERQUE CODOGNOTTO
WILISTON FERNANDES ELEUTERIO
WISLEY FELIPE DE MORAES
WLADIMIR RIBEIRO DUARTE2

Página gerada em 26/10/2021 16:10:47 (consulta levou 0.151787s)