Nome do Projeto
DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA CELULAR PARA AUXILIAR A CALIBRAGEM DE PULVERIZADORES AGRÍCOLAS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
11/05/2020 - 17/09/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Resumo
A calibração adequada do pulverizador é o primeiro passo para garantir o sucesso da aplicação de produtos fitossanitários com uso aprovado para a agricultura orgânica, agrotóxicos e afins, visto que é uma tarefa que determinará as melhores condições operacionais da máquina. Os maiores erros de aplicação podem ser atribuídos a erros de calibração dos pulverizadores. Para a calibração do pulverizador é necessário determinar a velocidade de deslocamento; largura da faixa de aplicação; volume de aplicação, para tanto são necessários realizar os cálculos de velocidade de deslocamento; volume de aplicação por hectare; volume aplicado na área coberta; área coberta; quantidade de produto a ser colocado no tanque da máquina. Pode-se constatar que são vários os dados e os cálculos necessários e também deve se chamar à atenção em relação ao uso e ajustes das unidades de medidas necessárias. Somado ao despreparo dos técnicos, observa-se no Brasil um perfil de produtor que provavelmente seja bastante característico de países em desenvolvimento. Estudo realizado no Estado de São Paulo, considerado como um dos mais desenvolvidos do país, sobre o perfil do aplicador de agrotóxicos em diferentes culturas (RAMOS et al., 1999), mostrou que estes possuem até o primeiro grau completo (79%); aprenderam com leigos a trabalhar com produtos fitosanitários (85%), sendo familiares (39%), outro agricultor (17%) e o empregador (15%) as fontes mais representativas; nunca receberam qualquer tipo de treinamento formal (57%) e não recebem qualquer orientação sobre técnicas de manejo fitossanitário (57%) ou antes da aplicação (40%). Somente 41% dos entrevistados disseram receber a orientação de um técnico antes da aplicação, sendo os técnicos das revendas (14%) e cooperativas (13%) as fontes mais significativas. Diante do exposto, as ações a serem desenvolvidas no projeto visam disponibilizar aos agricultores um instrumento tecnológico facilitador do processo de aplicação, ou seja, um aplicativo de telefone celular, que facilite o processo no que se refere à regulagem e calibração do equipamento, reduzindo a necessidade de execução de cálculos por parte do agricultor, possibilitando a regulagem e calibração mais correta

Objetivo Geral

O objetivo geral desse projeto é de facilitar para agricultores o processo de calibração e regulagem de máquinas de pulverização de produtos fitossanitários com uso aprovado para a agricultura orgânica, agrotóxicos e afins.
Os objetivos específicos são:
- desenvolver instrumento tecnológico facilitador do processo de aplicação, ou seja, um aplicativo
para telefone celular que facilite o processo de aplicação no que se refere à regulagem e calibração
do equipamento, reduzindo a necessidade de execução de cálculos, possibilitando a regulagem e
calibração mais correta por agricultores de baixa escolaridade;
- transferir o processo tecnológico gerado a agricultores, ao corpo técnico das associações de apoio a
agricultores, aos órgãos de extensão rural e profissionais da área;
- minimizar os riscos de contaminação do agricultor, do ambiente e os custos;
- tornar o processo mais eficiente e seguro.

Justificativa

A região sul do Brasil, em especial os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, apresenta uma grande concentração de unidades familiares de produção as quais, são responsáveis por quase metade do valor da produção agropecuária, ocupando aproximadamente 90% da mão de obra rural. De outra forma tem-se o conhecimento de que grande parte da produção agropecuária do Estado do Rio Grande do Sul é proveniente da agricultura de base familiar. No que diz respeito aos sistemas de cultivo, o sistema convencional ainda é o mais utilizado na agricultura familiar no Estado do Rio Grande do Sul, inclusive com o uso de agrotóxicos (ROSSETTI e DE BEM, 2007).
Um dos efeitos ambientais indesejáveis desses produtos é a contaminação de espécies que não interferem no processo de produção que se tenta controlar (espécies não-alvos), dentre as quais se inclui a espécie humana.
A calibração adequada do pulverizador é o primeiro passo para garantir o sucesso da aplicação de produtos fitossanitários com uso aprovado para a agricultura orgânica, agrotóxicos e afins, visto que é uma tarefa que determinará as melhores condições operacionais da máquina (GANDOLFO & OLIVEIRA, 2006).
Os maiores erros de aplicação podem ser atribuídos a erros de calibração dos pulverizadores. Ross e Lembi (1985) constataram que 46% das pessoas responsáveis pela aplicação cometeram erros no processo de calibração dos pulverizadores.
Para a calibração do pulverizador é necessário determinar a velocidade de deslocamento;
largura da faixa de aplicação; volume de aplicação, para tanto são necessários realizar os cálculos de
velocidade de deslocamento; volume de aplicação por hectare; volume aplicado na área coberta; área
coberta; quantidade de produto a ser colocado no tanque da máquina.
Pode-se constatar que são vários os dados e os cálculos necessários e também deve se chamar à atenção em relação ao uso e ajustes das unidades de medidas necessárias.
Somado ao despreparo dos técnicos, observa-se no Brasil um perfil de produtor que provavelmente seja bastante característico de países em desenvolvimento. Estudo realizado no Estado de São Paulo, considerado como um dos mais desenvolvidos do país, sobre o perfil do aplicador de agrotóxicos em diferentes culturas (RAMOS et al., 1999), mostrou que estes possuem até o primeiro grau completo (79%); aprenderam com leigos a trabalhar com produtos fitossanitários (85%), sendo familiares (39%), outro agricultor (17%) e o empregador (15%) as fontes mais representativas; nunca receberam qualquer tipo de treinamento formal (57%) e não recebem qualquer orientação sobre técnicas de manejo fitossanitário (57%) ou antes da aplicação (40%). Somente 41% dos entrevistados disseram receber a orientação de um técnico antes da aplicação, sendo os técnicos das revendas (14%) e cooperativas (13%) as fontes mais significativas.
Esses dados estão de acordo com informações coletadas através do projeto “Apoio à implantação da mecanização agrícola nas unidades familiares de produção”, coordenado pelo Prof. Ângelo Reis (DER/FAEM/UFPel), onde foi constatado através de questionários aplicados a participantes de Cursos de Treinamento sobre uso das máquinas e implementos agrícolas que 79,4% dos respondentes nunca participaram de cursos de capacitação em máquinas agrícolas em geral, o que leva a presumir-se que para treinamento específico em equipamentos de pulverização esse percentual deve ser maior.
Oliveira et al. (2001) avaliou a relação entre a exposição de 300 agricultores a agrotóxicos e suas relações com uma série de determinantes socioeconômicos, no caso o nível de escolaridade, observou que aproximadamente 44% da amostra apresentava algum grau de exposição/intoxicação.
Estes dados foram confrontados com os indicadores socioeconômicos e de utilização de agrotóxicos,
tendo se destacado a importância do nível de escolaridade sobre a prevalência das intoxicações.
Aproximadamente 70%, dos com algum grau de exposição/intoxicação apresentava mínima ou
nenhuma habilidade de leitura e escrita, indicando a influência destes fatores no processo que determina a exposição/contaminação dos trabalhadores aos agrotóxicos. Apesar disso, os
aplicadores foram responsáveis pela regulagem dos pulverizadores em 72% das unidades de
produção agrícola pesquisadas, sendo que, em 11% delas os pulverizadores simplesmente não são
regulados e apenas em 9% dos casos eles são regulados por um técnico ou agrônomo, conforme o
estudo realizado no Estado de São Paulo por Ramos et al., 1999.
Diante do exposto, as ações a serem desenvolvidas na presente proposta visam
disponibilizar aos agricultores familiares de um instrumento tecnológico facilitador do processo de
aplicação, ou seja, um aplicativo para telefone celular, que facilite o processo de aplicação no que se
refere à regulagem e calibração do equipamento, reduzindo a necessidade de execução de cálculos
por parte do agricultor, possibilitando a regulagem e calibração mais correta por indivíduos de baixa
escolaridade.

Metodologia

O estudo será desenvolvido no município de Pelotas, município de Rio Grande e municípios
vizinhos a esses no estado do Rio Grande do Sul e terá como base o Projeto -
“DESENVOLVIMENTO DE RÉGUA DE CÁLCULO PARA AGRICULTURA FAMILIAR COMO
INSTRUMENTO TECNOLÓGICO FACILITADOR DO PROCESSO DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS
FITOSSANITÁRIOS COM USO APROVADO PARA AGRICULTURA ORGÂNICA, AGROTÓXICOS
E AFINS”, o qual recebeu recursos do Edital Edital MCT/CNPq/MDA/SAF/DATER no.33/2009 -
Assistência Técnica e Extensão Rural - Chamada 2 . Nesse projeto foi feito um levantamento de
informações sobre as principais dificuldades enfrentadas pelos agricultores familiares no processo de
regulagem e calibração dos equipamentos de aplicação de produtos fitossanitários com uso
aprovado para a agricultura orgânica, agrotóxicos e afins, no que se refere à determinação da
velocidade de deslocamento, largura da faixa de aplicação e volume de aplicação, também serão
determinadas as características de trabalho pelos agricultores familiares com relação a áreas de
trabalho médias, produtos utilizados, dose de aplicação recomendada e com base nessas
informações foi desenvolvida uma Régua de Cálculo para auxiliar na calibragem de pulverizadores
agrícolas.
Com base nas informações levantadas e nos resultados obtidos no Projeto -
“DESENVOLVIMENTO DE RÉGUA DE CÁLCULO PARA AGRICULTURA FAMILIAR COMO
INSTRUMENTO TECNOLÓGICO FACILITADOR DO PROCESSO DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS
FITOSSANITÁRIOS COM USO APROVADO PARA AGRICULTURA ORGÂNICA, AGROTÓXICOS
E AFINS”, será desenvolvido um aplicativo para celular o qual deverá executar as determinações de
velocidade de deslocamento, largura da faixa de aplicação, volume de aplicação e volume de diluição
e relacione as informações necessárias à regulagem e calibração do pulverizador, ou seja,
quantidade de produto a ser colocado no tanque do pulverizador em função das características de
operação do equipamento e da área a ser trabalhada.
Com o protótipo do aplicativo para celular, serão desenvolvidos testes de validação e ajuste
através do uso desse protótipo em testes no NIMEq/UFPel e por agricultores e técnicos da área. Com base nas observações e considerações
realizadas nesses testes por esse grupo de usuários serão feitos os ajustes necessários e
desenvolvido o produto final.
Através de palestras e dias de campo nas comunidades de agricultores será apresentada e
transferida para os agricultores e técnicos de associações de apoio a agricultores e dos órgãos de
extensão rural o – aplicativo para celular - nova tecnologia facilitadora. Da mesma forma através da
publicação de artigos em revistas e congressos científicos será apresentada e divulgada no meio
acadêmico e científico.

Indicadores, Metas e Resultados

As metas que se pretende atingir com as ações no âmbito limitado desse projeto são:
1. Estabelecer para a regulagem e calibração do processo de aplicação às determinações mais
críticas aos agricultores;
2. Desenvolver a tecnologia,aplicativo para celular;
3. Testar e Validar o aplicativo para celular;
4. Gerar o produto aplicativo para celular a ser disponibilizado através de serviços de distribuição
digital de aplicativos de forma gratuita para os usuários interessados;
5 Publicar trabalhos em revistas e periódicos científicos;
6. Apresentar os resultados em eventos científicos a fim de difundir a tecnologia no meio acadêmico
científico;
7. Orientar alunos de graduação, bolsitas de iniciação científica e de extensão;
Indicadores de resultados ao final do projeto:
- instrumento tecnológico facilitador do processo de aplicação, ou seja, aplicativo para telefone
celular que facilite o processo de aplicação no que se refere à regulagem e calibração do
equipamento, reduzindo a necessidade de execução de cálculos, possibilitando a regulagem e
calibração mais correta por agricultores de baixa escolaridade;
- transferência do processo tecnológico gerado a agricultura familiar, ao corpo técnico das
associações de apoio a agricultores e aos órgãos de extensão rural;
Repercussão e/ou impactos dos resultados:
- redução nos riscos de contaminação do agricultor, do ambiente e os custos;
- tornar o processo mais eficiente e seguro.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANTONIO LILLES TAVARES MACHADO1
MARIA EDUARDA SILVEIRA DOS ANJOS
ROBERTO LILLES TAVARES MACHADO2

Página gerada em 26/01/2021 20:08:29 (consulta levou 0.105864s)