Nome do Projeto
Cartografias Mentais
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/05/2020 - 01/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O presente projeto pretende conhecer as pessoas em sofrimento psíquico ou outras vulnerabilidades, avaliar a rede de cuidados e desenvolver estratégias de promoção, prevenção e tratamento de saúde mental a partir dos referenciais da atenção psicossocial, reabilitação baseada na comunidade e terapia ocupacional. O plano de pesquisa foi construído com base na articulação de alguns pressupostos ético-políticos destacados: o entendimento de que não há uma separação entre clínica/política/pesquisa; a compreensão que as construções de saber não estão dissociadas das práticas e da produção de subjetividades dos coletivos; a inseparabilidade entre teoria e prática no tripé ensino/pesquisa/extensão articulados com a dimensão da experiência. Através de métodos quantitativos e qualitativos busca-se melhorar e ampliar as propostas de promoção, prevenção e tratamento para pessoas com adoecimento psíquico, que valorizem a singularidade dos sujeitos em seu contexto cotidiano, respondendo aos desafios postos pelo SUS e OMS.

Objetivo Geral

Conhecer as pessoas em sofrimento psíquico ou outras vulnerabilidades sociais, avaliar a rede de cuidados e desenvolver estratégias de promoção, prevenção e tratamento de saúde mental a partir dos referenciais da atenção psicossocial, reabilitação baseada na comunidade e terapia ocupacional.

Justificativa

A OMS (2013) (WHO, 2013) propôs um plano de ação aos Estados-nação (Action-Plan 2013/2020), tendo como princípio que não existe saúde sem saúde mental, reforçando os índices alarmantes e crescentes de adoecimento psíquico dos povos. Apesar dos avanços no financiamento e na cobertura (BRASIL, 2012), estudos apontam o isolamento dos equipamentos e dificuldades na comunicação entre os serviços e para a estruturação da rede de cuidados principalmente o diálogo entre os serviços especializados e a atenção básica.
A Atenção Psicossocial e a Reabilitação Baseada na Comunidade propõem a ampliação do campo da clínica, fazendo com que se redefina o sentido de saúde nesta fronteira entre o individual e o coletivo. A marca é afirmar-se como experiência-limite entre o psíquico e o social no território de pertencimento das pessoas, entre às formas de organização da cidade, dos territórios e das relações cotidianas.

Metodologia

O presente projeto apresenta um desenho misto. Métodos qualitativos e quantitativos serão adotados em diferentes tempos do estudo para responder aos objetivos propostos. Trata-se de um estudo ancorado ao paradigma crítico.
A pesquisa de campo envolverá os diferentes atores: usuários, familiares, trabalhadores e gestores do Brasil. Grupos focais, entrevistas semi-estruturadas, dados sociodemográficos, aplicação de instrumento e diário de campo serão utilizados para coletar dados para futura análise. O material produzido em campo (entrevistas e grupos focais) será trabalhado por meio da construção de narrativas e precedido de termo de consentimento livre esclarecido.

Indicadores, Metas e Resultados

Este projeto de pesquisa terá um tempo de 2 anos, sendo construído a partir de Trabalho de Conclusão de Curso; Iniciação Científica e outros formatos não formais.
Compromisso com a publicização dos conhecimentos sistematizados e produzidos ao longo do processo de docência, incluindo a produção de artigos científicos em periódicos nacionais e internacionais; produção de textos em livros ou capítulos de livros; produção de vídeos e formatos acessíveis a todo o público-alvo da pesquisa, participação em eventos científicos da categoria e de áreas afins; participação em eventos comunitários e redes sociais virtuais buscando capilaridades outras na relação da Universidade-Comunidades Locais e Globais.
O desenvolvimento da proposta de pesquisa possibilita atrelar e compartilhar os conhecimentos adquiridos através da vivência e experimentação de um projeto real com os conhecimentos do campo teórico. É possível desenvolver uma integração entre Universidade e Serviços de Saúde Pública no intuito de construir ações voltadas à formação profissional, promoção de saúde e exercício de cidadania, se considerarmos os princípios norteadores da Universidade (ensino-pesquisa-extensão) e da Saúde Pública (universalidade-integralidade-equidade na atenção à saúde).
Buscamos com isso melhorar e ampliar as propostas de tratamento que valorizem a singularidade dos sujeitos em seu contexto cotidiano, respondendo aos desafios contemporâneos. A elaboração mais amiúde deste desenho de pesquisa pode ser composta a partir do interesse investigativo de diferentes estudantes, docentes, terapeutas ocupacionais e pessoas acompanhadas, identificados com a temática.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA CORREA BOTELHO
AMANDA DOS SANTOS BOTELHO
ANA PAULA DOS SANTOS DUARTE
BRUNA IRIGONHE RAMOS
CAMILA SCHANDER DA ROCHA
DANIELE SAYURI WARICODA HORAGUTI
DIEVANA BARBOSA RIBEIRO
ELLEN CRISTINA RICCI7
FERNANDA GABRIELLE PEREIRA DOS SANTOS
GABRIEL BENAVENTANA SANTOS
GISIANE DE SOUZA CARVALHO
GIULIA DUARTE DOS SANTOS
KATHARYNE FIGUEIREDO ELESBÃO
LARISSA DALL AGNOL DA SILVA
MARIA VARGAS LEAO
NATALIE FONSECA PEREIRA
PATRICK GOMES DA SILVA
PRINCE CHAIENE MEIRELES DIAS
RAFAELA MIRANDA DOS SANTOS
RAILLANE DE OLIVEIRA MARQUES
TATIANE DA SILVA CASSAIS
VITORIA XAVIER DA SILVA SANTOS
YASMIN SANTOS BOANOVA DE SOUZA

Página gerada em 23/01/2022 14:43:17 (consulta levou 0.481334s)