Nome do Projeto
Impacto da pandemia de Covid-19 (Sars-Cov-2) sobre o comportamento das mães e crianças da Coorte de Nascimentos de Pelotas/RS, 2015
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
06/05/2020 - 30/08/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
A pandemia atual de Covid-19 (Sars-Cov-2) é causada por um tipo de Coronavírus que provoca síndromes respiratórias e sintomas como febre, tosse e dor muscular, apresentando uma taxa de mortalidade relativamente alta se comparada a vírus similares, afetando em termos de letalidade de forma mais expressiva os idosos e pacientes crônicos. Aparentemente o vírus surgiu na China, espalhando-se pelo restante do planeta em menos de 3 meses. Governos de diversos países têm recomendado o distanciamento social bem como o fechamento do comércio e escolas. Assim, crianças têm ficado em casa e muitas famílias encontram-se em condição de confinamento. Com isso surgem impactos sociais, psicológicos e econômicos importantes. Na cidade de Pelotas são desenvolvidos desde a década de 1980 estudos longitudinais - as coortes de nascimento, com todos os nascidos vivos dentro do ano estudado. Estes estudos epidemiológicos investigam aspectos gerais de saúde, discutindo a potencial importância de experiências precoces sobre a saúde futura. Este projeto visa avaliar, através de uma pesquisa transversal realizada por meio de um formulário eletrônico online, os possíveis impactos comportamentais e em saúde que este período de confinamento pode ter sobre a população, buscando entender as mudanças pelas quais as famílias estão passando, mais especificamente mães e filhos, pertencentes ao estudo de Coorte de nascimentos de 2015.

Objetivo Geral

a) investigar o impacto da pandemia de Covid-19 sobre mudanças econômicas nas famílias;
b) avaliar o quanto a recomendação para o confinamento afetou o cotidiano familiar;
c) avaliar as mudanças no padrão de atividade física e comportamento sedentário de mãe-filho(a);
d) investigar possíveis situações de aumento de agressividade no ambiente familiar;
e) entender a percepção infantil da pandemia, relatada pela mãe;
f) avaliar o grau de ansiedade materna neste período;
g) investigar possíveis mudanças na relação mãe-filho(a) geradas pelo confinamento;
h) investigar o impacto sobre a saúde mental da criança.

Justificativa

Este projeto trata-se de um subestudo dentro de um projeto maior intitulado: “Coorte de Nascimentos de Pelotas de 2015: a influência dos determinantes precoces nos desfechos em saúde ao longo do ciclo vital”. A Coorte de 2015 já realizou 6 coletas de dados com esta população de mais de 4 mil mulheres e seus filhos11, sendo as primeiras entrevistas conduzidas com as gestantes (estudo pré-natal), no momento da internação para o parto (estudo perinatal - com medidas neonatais também) e com seguimentos do estudo, com entrevistas e uma série de avaliações físicas quando as crianças tinham 3, 12, 24 e 48 meses. Uma sétima etapa do estudo está prevista para ser realizada no ano de 2010, quando as crianças estiverem com 6 anos. Como estes estudos acompanham mães e crianças em várias etapas da vida, é possível determinar uma sequência causal para vários desfechos, compreendendo como fatores prévios podem impactar a saúde futura. Além disso, o registro destas informações nos permite ter uma linha de base para avaliar o quanto uma situação sem precedentes, como a que estamos vivendo agora, pode impactar na saúde materno-infantil.
Assim, torna-se necessário avaliar os possíveis impactos comportamentais e em saúde que este período de confinamento pode ter sobre a população, buscando entender as mudanças pelas quais as famílias estão passando, mais especificamente mães e filhos, pertencentes ao estudo de Coorte de nascimentos de 2015.

Metodologia

Nos acompanhamentos anteriores as mães e seus filhos eram convidados a visitarem o Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPEL e em caso de impossibilidade, nossa equipe visitaria a família em casa11. Dada a situação atual de distanciamento social, a única forma de se viabilizar a coleta de dados é de forma eletrônica, com o preenchimento de um formulário online elaborado para a pesquisa (Anexo 1). Assim, esta pesquisa será do tipo transversal realizada por meio eletrônico, preferencialmente, e complementada por contato telefônico para aquelas mães que não puderem ser contatadas por outros meios.
A equipe da Coorte de nascimentos de 2015 possui uma base de dados com telefones, e-mails e contatos através de redes sociais (Facebook, WhatsApp e Instagram) das mães pertencentes ao estudo. Inicialmente será feita a divulgação e convite para pesquisa de maneira aberta em redes sociais com propagação do link para preenchimento do formulário. Em paralelo, uma equipe de assistentes de pesquisa iniciará o envio de mensagens eletrônicas individuais para todos os contatos que constam em nossa base, fazendo o convite para participarem da pesquisa.
Os dados serão levados para a plataforma RedCap® (www.project-redcap.org) no mesmo formato que inquéritos anteriores deste projeto, sendo transformados em banco de dados anônimo para análise estatística. Por se tratar de uma pesquisa aninhada em um estudo longitudinal, será possível fazer a conexão dos dados coletados agora com informações dos acompanhamentos prévios da coorte, de forma a conseguirmos traçar as principais mudanças ocorridas com esta população desde antes da pandemia até os próximos acompanhamentos feitos após a pandemia nos anos seguintes.

Aspectos éticos
O questionário será desenvolvido em várias telas, sendo a primeira delas uma breve explicação da pesquisa e um campo de preenchimento obrigatório para discordar/concordar em responder, dando acesso aos interessados ao Termo de consentimento na íntegra (Anexo 2). Todos os participantes precisarão firmar sua concordância em responder ao questionário antes de iniciarem o preenchimento do mesmo.
O projeto será enviado ao comitê de ética em Pesquisa da Escola Superior de Educação Física da UFPEL, mesmo órgão que já aprovou as etapas anteriores da pesquisa “Coorte de Nascimentos de Pelotas de 2015: a influência dos determinantes precoces nos desfechos em saúde ao longo do ciclo vital”.

Indicadores, Metas e Resultados

Entre as hipóteses do estudo estão:

- a pandemia trouxe para as famílias, em geral, um impacto negativo na sua situação financeira;
- o fechamento das escolas e o isolamento social resultaram em grandes mudanças na rotina das famílias;
- tanto mães quanto crianças aumentaram seu comportamento sedentário;
- mães deverão relatar um quadro de ansiedade acima do existente antes da pandemia;
- a agressão familiar aumentou durante a pandemia;
- os problemas de saúde mental da criança aumentaram durante a pandemia;
- o nível de afeto demonstrado pela mãe para a criança durante esse período poderia diminuir o impacto da pandemia nos desfechos negativos para a criança.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDREA HOMSI DAMASO3
DÉBORA TORNQUIST
JOSEPH MURRAY3
LUCIANA TORNQUIST
MARLOS RODRIGUES DOMINGUES3

Página gerada em 24/10/2021 18:18:30 (consulta levou 0.110315s)