Nome do Projeto
Pesquisa de vírus entéricos em cães da região de Pelotas
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/06/2020 - 05/08/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Continuação do projeto de mesmo nome que estava registrado somente como pesquisa no Cobalto e agora está migrando para o sistema unificado. O presente projeto pretende realizar a identificação de diversos vírus causadores de diarreia, em cães (CDV, CPV, CoV) sendo os resultados essenciais para posterior abordagem com medidas eficientes visando a prevenção e o controle dessas enfermidades, além de pesquisar a presença de NoV.

Objetivo Geral

O presente projeto pretende realizar a identificação de diversos vírus causadores de diarreia, em cães (CDV, CPV, CCoV) sendo os resultados essenciais para posterior abordagem com medidas eficientes visando a prevenção e o controle dessas enfermidades, além de pesquisar a presenç de NoV.

Justificativa

Embora existam relatos de ampla distribuição de infecções por CDV, CPV, e CCoV no Brasil, não há relatos de isolamentos realizados na região de Pelotas. Além disso, há poucas informações a respeito destas infecções em ambientes com alta densidade populacional e frequentes entradas e saídas de animais, como ocorre em abrigos e canis. A descoberta de NoVs em carnívoros e a relação genética entre eles e alguns vírus humanos levantam questões interessantes inerentes à ecologia destes vírus e as possibilidades de transmissão interespécies. Além disso, é interessante avaliar se e em que medida os NoVs afetam a saúde dos animais de estimação. Será utilizado detecção de ácido nucléico a partir de suabe anal e fezes dos animais.

Metodologia

Para o estudo será realizado coleta de fezes frescas ou suabes retal de cães apresentando sinais clínicos compatíveis com o quadro de infecção e também de grupos de risco (contactantes com outros que apresentam quadro ou filhotes até 1 ano de idade). Será necessário ser amostrado pelo menos 73 cães para pesquisa de NoV e 165 para os demais vírus considerando um intervalo de confiança de 80%. O número de animais foi definido segundo o programa OpenEpi, Versão 3, calculadora de código aberto—SSPropor, com a frequência (p) antecipada de 5% para NoV e entre 30 a 50 % para os demais, seguindo dados obtidos em estudos anteriores realizados (Alves et al, 2018). As amostras serão imediatamente acondicionadas individualmente em frascos esterilizados e devidamente identificados, contendo solução estabilizante (RNAlater). A seguir serão remetidas ao Laboratório de Virologia e Imunologia da Universidade Federal de Pelotas (LabVir-UFPel) e mantidas a -80°C até o processamento.
Para determinar a presença ou ausência viral nas amostras de fezes coletadas, será utilizada a técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR). DNA e ou RNA serão extraídos e posteriormente examinados utilizando-se primers com sequências selecionadas a partir de regiões específicas de nucleotídeos para os referidos vírus, conforme descrito anteriormente (Pratelli et. al, 1999, Pereira et. al, 2000, Mesquita et. al, 2010, Alves et al. 2018).

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se identificar e caracterizar os seguintes vírus: CDV, CPV, e CCoV e NoV

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CAROLINA DE ASSIS SCARIOT
ISABEL DE ALMEIDA MANCINI
SILVIA DE OLIVEIRA HUBNER4
WINNIE DE OLIVEIRA DOS SANTOS

Página gerada em 05/03/2024 07:16:35 (consulta levou 0.117326s)