Nome do Projeto
Ocorrência de parasitos com potencial zoonótico em praças públicas de municípios da região sul do Rio Grande do Sul-Brasil
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2020 - 31/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Nos últimos anos a convivência entre seres humanos e animais de companhia (caninos e felinos) tem aumentado consideravelmente, sendo que eles podem transmitir mais de 60 doenças de caráter zoonótico, entre elas, várias causadas por helmintos e protozoários, sendo considerado um problema de saúde pública em todo o mundo, se não for realizado um bom controle e profilaxia dessas enfermidades. Dentre as principais zoonoses parasitárias destacam-se Larva Migrans cutânea (Ancylostoma spp), Larva Migrans Visceral (Toxocara canis), Giardíase (Giardia spp) entre outras. O presente estudo terá como objetivo avaliar a ocorrência de parasitos com potencial zoonótico em praças públicas de cidades da região sul do Rio Grande do Sul. Serão coletadas mensalmente amostras do solo, areia e fezes de praças públicas de cidades da região sul do Rio Grande do Sul, previamente mapeadas e selecionadas. As amostras serão coletadas em cinco pontos de cada praça sendo devidamente identificadas. Posteriormente serão encaminhadas ao Laboratório do Grupo de Estudos em Enfermidades Parasitárias (GEEP) da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), e refrigeradas até o seu processamento. Para pesquisa de formas parasitárias de solos e areias serão utilizadas para cada amostra duas técnicas, a técnica de Caldwell & Caldwell modificada (CORRÊA; MOREIRA, 1995) e a técnica de centrifugoflutuação em solução hipersaturada. A leitura será realizada em microscopia óptica, sob objetiva de 400X, após remoção e transferência da lamínula para lâminas de microscopia. Para realização do exame parasitológico das fezes serão utilizadas as técnica de Willis Mollay, que é um método de flutuação para identificação de ovos e larvas de parasitos gastrointestinais e Técnica de Faust que é um exame parasitológico de fezes, que consiste na centrífugo-flutuação em sulfato de zinco para identificação de protozoário (Giardia sp). Posteriormente será realizada uma análise das médias.

Objetivo Geral

Avaliar a ocorrência de parasitos com potencial zoonótico em praças públicas de cidades
da região sul do Rio Grande do Sul.

Justificativa

Nos últimos anos a convivência entre seres humanos e animais de companhia (caninos e felinos) tem aumentado consideravelmente, sendo que eles podem transmitir mais de 60 doenças de caráter zoonótico, entre elas, várias causadas por helmintos e protozoários, sendo considerado um problema de saúde pública em todo o mundo, se não for realizado um bom controle e profilaxia dessas enfermidades. Tendo em vista à possibilidade de transmissão dessas zoonoses, a contaminação de praças públicas por fezes de cães e gatos representa um sério risco de transmissão para seres humanos (ARAÚJO et al., 1999; FERREIRA et al., 2013). Em várias cidades brasileiras, assim como em outros países emergentes, há uma grande população de animais nas ruas, tanto domiciliados, peri-domiciliados ou errantes. Esses animais levados à rua por proprietários ou errantes, defecam em locais públicos e podem contaminar o solo devido a eliminação de uma grande quantidade de ovos de helmintos, oocistos e cistos de protozoários pelas fezes, podendo permanecerem viáveis no solo por longos períodos, representando perigo de infecção e desenvolvimento de parasitoses para humanos, principalmente crianças expostas a este ambiente (GALLINA et al., 2011; GUIMARÃES et al., 2005; SANTARÉM; SARTOR; BERGAMO, 1998). Portanto, é fundamental que se faça um levantamento da contaminação do solo para que se saiba o nível de exposição a que a população está sujeita (NEVES; MASSARA, 2009).
O Ancylostoma sp., responsável pela Larva Migrans Cutânea (LMC), e o Toxocara sp., responsável pela Larva Migrans Visceral (LMV), estão entre os principais parasitos com potencial zoonótico eliminados através das fezes de cães e gatos. A LMV, ou toxocaríase, é caracterizada pela migração do estádio larval de Toxocara canis ou T. cati através de vísceras humanas causando processos patológicos hipereosinofílicos crônicos, que podem ser acompanhados por leucocitose e lesões granulomatosas,assim como lesão ocular podendo levar a cegueira unilateral. A LMC é uma dermatite provocada pela migração de larvas de nematódeos, no estrato epitelial da pele humana, sendo que no Brasil, Ancylostoma braziliense e A. caninum, constituem os principais nematódeos envolvidos (GUIMARÃES et al., 2005; KATAGIRI; SEQUEIRA, 2007; FERREIRA et al., 2013).
Dentre os oocistos que podem ser encontrado no solo de praças públicas, o de maior importância para a saúde tanto humana, como de outros animais, são os oocistos de Toxoplasma gondii, cistos de Giardia spp. A toxoplasmose é a zoonose parasitária mais comum no mundo, tendo no Brasil uma soroprevalência na população humana estimada entre 50 e 83%(ALBUQUERQUE et al., 2011; ORÉFICE et al., 2010). O T. gondii está amplamente distribuído e possui alta infectividade e baixa patogenicidade, visto que, apesar da alta prevalência, apenas um número reduzido de pessoas apresentam a doença, sendo mais problemática em pacientes imunocomprometidos, assim como o protozoário Giardia spp. (ORÉFICE et al., 2010).
Embora não ocorra com frequência óbitos em humanos, as zoonoses parasitárias levam a alergias, diarreias, anemias e custos com diagnóstico e tratamento, sendo que, crianças, mulheres grávidas e pacientes imunocomprometidos são considerados os de maiores riscos para essas doenças (CAPUANO; ROCHA, 2006; XAVIER, 2006).

Metodologia

Serão coletadas mensalmente amostras do solo, areia e fezes de praças públicas de cidades da região sul do Rio Grande do Sul, Brasil, previamente mapeadas e selecionadas. As amostras serão coletadas em cinco pontos de cada praça sendo devidamente identificadas. Posteriormente serão encaminhadas ao Laboratório do Grupo de Estudos em Enfermidades Parasitárias (GEEP) da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), e refrigeradas até o seu processamento.
Para pesquisa de formas parasitárias de solos e areias serão utilizadas para cada amostra duas técnicas, a técnica de Caldwell & Caldwell modificada (CORRÊA; MOREIRA, 1995) e a técnica de centrifugo-flutuação em solução hipersaturada. De cada amostra de areia e solo coletada, serão realizadas duas repetições, utilizando-se 50g de areia, as quais serão colocadas em beckers de 250ml e o volume completado com 50ml de solução aquosa com detergente neutro de uso doméstico e em seguida realizada a homogeneização. Após, procede-se a transferência do líquido sobrenadante de cada becker, para tubos de centrífuga clínica e centrifugados a 2.000 rpm durante cinco minutos. Os sedimentos serão ressuspendidos com solução hipersaturada de açúcar (densidade de 1.200) para promover a flutuação dos ovos, completa-se o volume até a formação de um menisco nas bordas do tubo, para a colocação de uma lamínula 24x32, mantém-se em repouso por 30 minutos. A leitura será realizada em microscopia óptica sob objetiva de 400X, após remoção e transferência da lamínula para lâminas de microscopia.
Para realização do exame parasitológico das fezes serão utilizadas as técnica de Willis Mollay que é um método de flutuação para identificação de ovos e larvas de parasitos gastrointestinais e Técnica de Faust que é um exame parasitológico de fezes, que consiste na centrífugo-flutuação em sulfato de zinco para identificação de protozoário (Giardia sp). Posteriormente será realizada uma análise das médias.

Indicadores, Metas e Resultados

Os resultados obtidos a partir da realização deste projeto irão demonstrar a situação das praças públicas das cidades da região sul do Rio Grande do Sul quanto à contaminação por formas parasitárias com potencial zoonótico em fezes de cães e gatos e solo contaminado. Estes dados serão divulgados na comunidade cientifica a partir da publicação de um artigo científico.
Baseado nestes dados poderá se estabelecer ações de conscientização da população quanto ao risco de contaminação por formas parasitarias com potencial zoonótico no solo de praças públicas de cidades da região sul do Rio Grande do Sul assim como conscientizar a população sobre o problema de saúde publica e posse responsável.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAMILA GONCALVES DA SILVEIRA
DIEGO MOSCARELLI PINTO1
FELIPE GERALDO PAPPEN1
GABRIELLE TORRES COTTA DE MELLO
GIULIA RIBEIRO MEIRELES
JULIA SOMAVILLA LIGNON
JULIA VICTORIA SANTOS DE SOUZA
MARIA EDUARDA RODRIGUES
MARIA GABRIELA CUSTODIO KOBAYASHI
NATALIA BELEN BAUTE ABERO
NATÁLIA SOARES MARTINS
STANRLEY VICTOR NASCIMENTO DA SILVA
TAMIRES SILVA DOS SANTOS

Página gerada em 13/04/2024 07:41:19 (consulta levou 0.151654s)