Nome do Projeto
ComportamentAção: Desenvolvendo engajamento social por meio de habilidades socioemocionais em pacientes psicológicos
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
22/06/2020 - 22/06/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Direitos Humanos e Justiça
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
O desenvolvimento dos indivíduos é atravessado pelas relações humanas, o que torna necessário o desenvolvimento de importantes formas de habilidades de lidar consigo mesmo e com o outro. As habilidades socioemocionais são fatores comportamentais que os indivíduos precisam para atuar diante de demandas diversas, referentes as situações sociais inseridas dentro de contextos específicos de interação interpessoal. Sabendo-se que qualquer ação humana só ocorre de modo contextualizado, se faz necessário que a sua compreensão seja realizada dentro de ideologias específicas. As políticas verdes trazem uma proposta de ideologia includente dos diversos indivíduos defendendo uma sociedade justa, não violenta e ecologicamente sustentável baseada na democracia. Uma perspectiva prática de atuação psicológica nessa direção tem sido a Terapia Analítico Funcional Verde (Green FAP/FAP Verde), fundamentada nos princípios das Políticas Verdes e da Análise do Comportamento. Nesse sentido esse projeto pretende contribuir para promoção da saúde psicológica de prováveis pacientes psicológicos que se encontram na lista de espera do Serviço-Escola de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas (SEP/UFPel) por meio de estratégias relacionadas às habilidades sociais, emocionais e de efetividade social, baseando-se na perspectiva da Análise Comportamental Clínica, em seu modo FAP Verde. Por meio desse projeto, pretende-se amplificar as relações entre a universidade e a sociedade, oferecendo um serviço em grupo que possibilite o desenvolvimento de habilidades específicas de grupo que auxiliem no engajamento social dos indivíduos, bem como estimulando o fortalecimento das suas autoeficácias e consequentemente das suas qualidades de vida. Além disso, o projeto proporcionará a capacitação de estudantes no manejo e coordenação de grupos terapêuticos sob a perspectiva da Análise do Comportamento. Essa proposta segue alinhada às atividades que estarão sendo desenvolvidas nos estágios clínicos orientados do curso de Psicologia, bem como a outras atividades de ensino e pesquisa promovidas pelo Laboratório de Ciências do Comportamento (LACICO/UFPel). Considerando o estado de isolamento social pela Pandemia, as atividades que envolverão encontros presenciais serão realizados apenas quando ocorrer liberação oficial da gestão institucional. Inicialmente o projeto contará apenas com reuniões de discussão de literatura pertinente e de capacitação prática dos estudantes de modo remoto, em plataformas virtuais da própria universidade.

Objetivo Geral

Contribuir para promoção de saúde psicológica de prováveis pacientes psicológicos que se encontram na lista de espera do Serviço-Escola de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas (SEP/UFPel) por meio de estratégias relacionadas às habilidades sociais, emocionais e de efetividade social, baseando-se na perspectiva da Análise Comportamental Clínica, no seu modo “FAP Verde”.

Justificativa

Geralmente, as dificuldades dos indivíduos nas relações interpessoais, bem como no engajamento político em diferentes contextos sociais, se dão por déficits nos repertórios de habilidades socioemocionais grupais. Esses repertórios são frequentemente improdutivos, principalmente em termos de empatia e altruísmo, no que diz respeito ao reconhecimento e demonstração das emoções próprias e dos outros, além da inabilidade na resolução de problemas, que satisfaçam questões pessoais e da comunidade onde estão inseridos. As habilidades do indivíduo no manejo dessas situações dependem de diversos fatores pessoais e socioambientais que o influenciam por terem aprendido ao longo de toda a sua vida. Os indivíduos que possuem autoestima, autoconceito e autoeficácia baixos, além de regras muito rígidas e prejudiciais ao seu convívio social trazendo-lhe sofrimento, podem ser mais vulneráveis a uma deficiência nas habilidades socioemocionais e na sua efetividade social mais ampla. Esses fatos tornam esse projeto uma contribuição valiosa para processos clínicos e não clínicos relativos aos pacientes psicológicos, profissionais e pesquisadores interessados no desenvolvimento de tecnologia comportamental para promoção de saúde e desenvolvimento humano e social.

Metodologia

O projeto consistirá na realização de um programa de desenvolvimento de habilidades socioemocionais para pequenos grupos de pacientes do SEP/UFPel (máximo de cinco pacientes) implementado por estudantes do curso de Psicologia que atuarão no planejamento e facilitação das estratégias apresentadas por meio de vivências ocorridas em 12 diferentes sessões que ocorrerão de modo semanal, com duração média de duas horas, que incorporarão os seguintes temas: 1) Análise Funcional do Comportamento (Práticas de análise dos comportamentos de forma contextual para autoconhecimento); 2) Atenção Plena (auto e hetero observação e validação dos comportamentos); 3) Habilidades Emocionais (Identificação, entendimento, nomeação e manejo de emoções); 4) Habilidades Sociais (Entendimento das diferenças entre os estilos comportamentais: assertividade/passividade/agressividade e dos direitos humanos básicos; Práticas de recebimento de elogios, críticas e feedback, e da expressão de incômodos e desagrados; Práticas de assertividade: como dizer não; Manifestação de opiniões, concordâncias, discordâncias e de habilidades empáticas e de conversação); 5) Efetividade social (Discussões sobre políticas verdes relacionadas ao machismo, racismo, pobreza e meio ambiente). Cada tema será desenvolvido por duas semanas. Duas outras semanas serão usadas para apresentação e encerramento do grupo. Serão selecionados três alunos para facilitação em cada grupo.
O projeto consistirá de três etapas distintas: 1)Reuniões de discussão teórico-prática com a equipe; 2) Capacitação prático-vivencial da equipe par o manejo dos grupos; 3) Treinamento sócio-emocional dos pacientes pelos estudantes. Inicialmente ocorrerão encontros com o orientador para aprofundamento dos discentes sobre Análise do Comportamento, atendimentos grupais e habilidades sócio-emocionais por meio de apresentação dos temas relacionados em discussões com a equipe. Posteriormente, será realizada uma capacitação da equipe por meio de atividades práticas e vivenciais que serão aplicadas com o grupo de pacientes. Após a capacitação, os estudantes serão alocados aos grupos para assumirem os papéis de facilitadores, relatores e observadores nos atendimentos. Serão selecionados três alunos para facilitação em cada grupo de cinco pacientes. A quantidade total de pacientes atendidos deverá ser avaliada junto a coordenação do Serviço-Escola de Psicologia (SEP), após a aprovação desse projeto. Cada sessão será planejada com antecedência com a orientação do professor-coordenador do projeto. Todas as etapas do projeto serão revisadas continuamente em sua viabilidade, juntamente com a equipe. Sendo assim, algumas ações podem ser modificadas e adaptadas ao contexto em questão e à demanda dos voluntários. Os participantes do projeto, juntamente com a equipe executora, também deverão avaliar as intervenções após a finalização de cada uma delas, para que se possa captar os pontos positivos e negativos de cada intervenção e assim melhorar a qualidade das sessões. Cabe salientar que nesse momento de pandemia, enquanto é requerido o isolamento social, apenas as duas primeiras etapas do projeto serão executadas (aprofundamento teórico e capacitação prática dos estudantes), sendo que ocorrerão de modo remoto, por meio de plataformas virtuais da própria Universidade. A última etapa, que envolve encontros presenciais com pacientes, só deverá ocorrer quando houver liberação oficial da instituição para tal.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se com esse projeto capacitar discentes de Psicologia da UFPel para auxiliar em programas de desenvolvimento de habilidades socioemocionais e de efetividade social, oportunizando a população da cidade de Pelotas e região o acesso engajado socialmente a um serviço de saúde mental especializado que aproxime a Universidade da comunidade não acadêmica, contribuindo com seu desenvolvimento geral. Pretende-se que as discussões em grupo com os prováveis pacientes no Serviço-Escola de Psicologia sobre a importância do conhecimento, utilização e aprimoramento das habilidades socioemocionais e de engajamento político-social possam auxiliá-los para suas vidas cotidianas e da sociedade como um todo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA MIRANDA DO CARMO
AMANDA MOURA QUINZEN
ANA PAULA CHIARELLI
ANA PRISCILA VALERAO DE VASCONCELLOS
ANAROLINO DE AVILA PRESTES
ANTONIEL SAMPAIO FERREIRA
CID PINHEIRO FARIAS
DANIELLE SOARES MAURELL
DEBORA AIRES DA COSTA
EDUARDA MARTINS MALUE
EVELLYN LOUISE LEAL NEITZKE
FRANCIELLY TAVARES DA CUNHA
HENRIQUE STRECK MACAGNAN
ISADORA LANGLOIS MASSARO OSORIO
IVANA CLAUDIA FREDA VARGAS
JAINE CORREA PEREIRA
JANDILSON AVELINO DA SILVA5
JANER LEONTINA CARDOSO DA SILVA
LUANA SOARES COELHO
LUCAS GONÇALVES DE OLIVEIRA
LUISE MACHADO DA SILVA ZANETTE DE OLIVEIRA
LUIZA TEIXEIRA NATALE
PALOMA PIREZ VALERIO
ROBERSON TRINDADE MULLER
TARCILA OLIVEIRA KRUGER
VANESSA DE ARAUJO MARQUES5

Página gerada em 04/07/2022 06:57:35 (consulta levou 0.085005s)