Nome do Projeto
ESTUDO BRASILEIRO MEDIADO PELA INTERNET SOBRE TEMPERAMENTO E PSICOPATOLOGIA: BRAINSTEP
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
06/07/2020 - 17/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O ESTUDO BRASILEIRO MEDIADO PELA INTERNET SOBRE TEMPERAMENTO E PSICOPATOLOGIA (BRAINSTEP) visa a avançar no entendimento científico sobre o conceito de temperamento segundo o modelo AFECT com foco particular em suas articulações com variáveis clínicas e biográficas. O procedimento de coleta de dados ocorre por meio de um sistema virtual (www.temperamento.com.br).

Objetivo Geral

Pretende-se avançar no entendimento do modelo AFECT com base no exame da relação de temperamentos emocionais (traços) e afetivos (tipos) com variáveis sociodemográficas, biográficas e clínicas de participantes adultos.

1 - Avaliar a relação entre traços e tipos temperamentais com uso de práticas alternativas e complementares em contexto de saúde.
2 - Avaliar a relação entre temperamento e eventos traumáticos na infância.
3 - Avaliar a relação entre temperamento e psicopatologias de humor e ansiedade e relacionadas ao uso nocivo de substâncias .

Justificativa

Propusemos formalmente em 2012 um modelo psicobiológico das diferenças individuais denominado de Modelo de Temperamento Emocional e Afetivo (AFECT; Lara et al., 2012). Este integra traços psicológicos básicos (temperamento emocionais) a tipos afetivos globais (temperamentos afetivos) em um modelo conceitual homogêneo com implicações para o entendimento do ajustamento psicológico e das bases neurobiológicas do temperamento (Lara et al., 2012).

A pesquisa via Internet apresenta uma série de vantagens: (1) possibilita a coleta em amostras amplas e diversificadas com relativo baixo custo; (2) o procedimento de coleta de dados pode ser modificado ao longo do processo; (3) não há expectativa de dados faltantes ou de erros de transferência para programas estatísticos, uma vez que a sensação de anonimato do respondente parece ser ampliada pelo contexto da avaliação remota (Lara et al., 2012).

Assim, pretendemos avançar no entendimento de como o temperamento se articula com aspectos clínicos e biográficos relevantes da vida das pessoas por meio de coletas de dados virtuais (www.temperamento.com.br).

Metodologia

O comitê de ética em pesquisa do Hospital São Lucas aprovou integralmente o protocolo de pesquisa do BRAINSTEP (no 24907813.10000.5336). Para entrar no sistema e responder aos questionários, todos os participantes devem preencher e concordar com o termo de consentimento livre e esclarecido. Este foi elaborado com base nos requisitos do Conselho Nacional de Saúde (Resolução 196/1996 vigente na época) e do código de ética da Associação Mundial de Medicina (Declaração Helsinque). A participação na pesquisa é voluntária, anônima e pode ser cancelada a qualquer momento sem necessidade de gerar qualquer justificativa. Dados pessoais são codificados e protegidos por um sistema de firewall: o endereço eletrônico do respondente não é acessível a ninguém, nem mesmo a equipe de pesquisa. Os dados que serão utilizados têm sido coletado desde Janeiro de 2013.

Participantes e Procedimentos
A fim de fomentar a participação voluntária, o BRAINSTEP e o sítio www.temperamento.com.br têm sido divulgado em mídias nacionais e locais (rádio, TV e mídias escritas), assim como em redes sociais. A participação e a fidedignidade das respostas é estimulada de múltiplas maneiras: ao entrar no sistema, os voluntários são imediatamente informados das finalidades científicas do estudo, das garantias de anonimato e que ao final receberão um relatório detalhado sobre seu perfil de temperamento e a probabilidade de o rastreio de até 19 variantes de transtorno mental atual ou ao longo da vida. Além disso, há perguntas ao longo dos questionários que avaliam o grau de envolvimento dos respondentes com o processo de avaliação e perguntas que medem a atenção ao responder e consistência entre respostas.
Pretende-se utilizar todos os dados coletados desde 2012. Até Junho de 2020, o sistema armazenou os dados de aproximadamente 60.000 participantes que completaram todo o sistema de avaliação. A maioria dos participantes se encontra entre 18 e 40 anos e se declaram brancos, do sexo feminino e com nível educacional superior incompleto.

Instrumentos
1- Questionário sociodemográfico: avalia perfil socioeconômico e educacional individual e familiar.
2 - Escala de Temperamento Emocional e Afetivo (Lara et al., 2012a): escala de autorrelato organizada em duas seções. A seção emocional contêm 60 itens de múltipla escolha que se organizam em cinco dimensões de oito itens cada (vontade, raiva, sensibilidade, controle e coping) e cinco com quatro itens cada (medo, desejo, ansiedade e estabilidade). Cada item é pontuado com base em uma escala de sete pontos. A seção afetiva contem 12 descrições que caracterizam cada temperamento afetivo e os participantes devem escolher a caracterização que mais se aproxima dos seus modos cotidianos de ser.

3 - Questionário de Trauma Infantil (Child Trauma Questionnaire; Grassi-Oliveira et al., 2006): inventário de autorrelato que administrável em adultos e adolescentes a fim de avaliar experiências traumáticas vivenciadas na infância. Os 25 itens do instrumento se organizam de modo equânime em cinco escalas que visam avaliar cinco categorias traumáticas: abuso físico, abuso sexual, abuso emocional, negligência física e negligência emocional. Cada uma das referidas categorias é dimensionada por meio de uma escala de cinco pontos do tipo que varia entre “nunca” até “frequentemente”. Os escores específicos e o geral ainda são passíveis de categorização em quatro níveis (Tucci et al., 2010), variando entre mínimo, baixo, moderado e grave.

4 - Inventário de Autorrelato Para Adultos-4 (Adult Self-Report Inventory-4, ASRI; Gadow et al., 2004): instrumento de rastreamento psiquiátrico adaptado para o Brasil por Lara et al. (2012b) e composto por 136 itens que avaliam a sintomas psiquiátricos de 19 variantes de transtornos afetivos, de humor e de ansiedade com base nos critérios da quarta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos (DSM-IV; APA, 2000).

Procedimentos Estatísticos
Os dados serão analisados por meio de modelagens estatísticas apropriadas às hipóteses que serão testadas.

Indicadores, Metas e Resultados

- Até o momento foram publicados mais de uma dezena de artigos em periódicos nacionais e internacionais com base nos dados do BRAINSTEP.

- Pretende-se continuar a produção de conhecimento sobre o modelo AFECT por meio da publicação de artigos e manuscritos em periódicos nacionais e internacionais qualificados.

- Pretende-se usar desses dados para subsidiar trabalho de conclusão de curso de discente do curso de Psicologia da UFPel.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CID PINHEIRO FARIAS
HENRY BARBOSA ANTUNES
HUDSON CRISTIANO WANDER DE CARVALHO8
JULIANA CORRÊA HERTZBERG
WILLIAM SPERB ESBER

Página gerada em 07/08/2022 21:54:34 (consulta levou 0.063929s)