Nome do Projeto
Inventário do Patrimônio Arquitetônico da cidade de Herval, Rio Grande do Sul – Brasil
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2020 - 04/10/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
A pesquisa Inventário do Patrimônio Arquitetônico da cidade de Herval, Rio Grande do Sul - Brasil pretende identificar quais as edificações configuram o patrimônio arquitetônico da cidade de Herval e quais valores justificam a sua preservação. Nessa perspectiva, busca conhecer e caracterizar o patrimônio arquitetônico do centro histórico da cidade, com o intuito de possibilitar o seu reconhecimento e valorização. O recorte espacial é a área documentada na planta da vila de Herval (1898). O método de trabalho consiste em um inventário de conhecimento (ou de varredura) da área estudada. Os resultados obtidos no levantamento de campo serão espacializados em mapas temáticos, que resultam em um banco de dados sobre o objeto. Esses resultados serão cotejados com o referencial teórico, possibilitando a análise e a atribuição de valores as edificações encontradas. Dessa forma, pretende-se apontar os bens integrantes do patrimônio arquitetônico da área de estudo passíveis de preservação, a delimitação das áreas de preservação (poligonais), assim como os níveis de preservação e dos graus de descaracterização das edificações, com o intuito de fundamentar as justificativas para sua preservação e conservação.

Objetivo Geral

Objetivo geral: Identificar e caracterizar o patrimônio arquitetônico do centro histórico da cidade de Herval
com o intuito de possibilitar o seu reconhecimento e valorização. Objetivos específicos a) documentar o
patrimônio arquitetônico do centro histórico da cidade; b) estudar o contexto histórico de formação da
cidade e c) conhecer, atribuir valores e divulgar os conjuntos estudados.

Justificativa

Os inventários são instrumentos empregados para o reconhecimento de acervos de bens passíveis de preservação. No país, o primeiro trabalho nesse campo do conhecimento foi o Inventário de Proteção do Acervo Cultural da Bahia (IPAC-BA), coordenado pelo professor Paulo Ormindo de Azevedo, que contemplou a varredura do território baiano (BAHIA, 1978).
A realização de inventários na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFPel é uma prática que remonta ao início da década de 1980, quando foi realizado o Inventário do Patrimônio Arquitetônico de Pelotas, em 1983 (OLIVEIRA, FUÃO e PATELLA, 1985) e em 1987 (OLIVEIRA, 1989). Nessa mesma época foi realizado o Inventário do Patrimônio Arquitetônico de Jaguarão – IPAJ (OLIVEIRA, 1992; OLIVEIRA e SEIBT, 2005) e alguns anos depois o Inventário de Arquitetura Moderna de Pelotas – IAMP (GONSALES et alli, 2013; LUCKOW et alli, 2013; SILVEIRA et alli, 2013).
Nos últimos anos, os inventários realizados no Rio Grande do Sul serviram de subsídio para ações de preservação no âmbito federal e estadual, através do tombamento do Conjunto Histórico e Paisagístico de Jaguarão (IPHAN) e do Centro Histórico de Bagé (IPHAE). Outras experiências podem ser observadas na discussão proposta por MEIRA e NEUTZLING (2017).
Nesse contexto, cidades de pequeno porte tem buscado documentar seus acervos de bens culturais, seja por reconhecimento por parte do poder público local ou por recomendação dos órgãos de proteção. O inventário do patrimônio arquitetônico de Herval originou-se de uma demanda da Prefeitura Municipal para atender uma recomendação do Ministério Público, referente à proteção dos bens de valor cultural do município. O Núcleo de Estudos de Arquitetura e Urbanismo da UFPel, que já havia realizado um levantamento na cidade em 2006, foi procurado para discutir as possibilidades de realização do inventário do patrimônio arquitetônico da cidade (OLIVEIRA, JANTZEN e SILVEIRA, 2013).
A problemática de pesquisa consiste em identificar quais as edificações configuram o patrimônio arquitetônico da cidade de Herval e quais valores justificam a sua preservação?

Metodologia

O recorte espacial do projeto inclui o centro histórico do município de Herval, definido a partir do registro cartográfico denominado Planta da vila de Herval, de 1898.
A partir dessa delimitação espacial foram estabelecidos os seguintes procedimentos, para a realização de um Inventário de Conhecimento (ou de varredura).
a) Levantamento de fontes escritas (livros, artigos em periódicos e anais de eventos, teses, dissertações e monografias) e iconográficas (fotografias, mapas, desenhos) sobre o patrimônio edificado da cidade, que possibilitam uma avaliação do conhecimento consolidado sobre o objeto estudado;
b) Revisão bibliográfica sobre o tema em geral e definição dos critérios de seleção das obras (recorte temporal);
c) Treinamento da equipe, que inclui corpo técnico de Prefeitura de Herval;
d) Ação-piloto: análise preliminar para testar métodos e instrumentos;
e) Realização do levantamento de campo;
f) Construção de um banco de dados com organização, mapeamento e espacialização dos dados coletados, utilizando programa de georeferenciamento;
g) Análise dos resultados, destacando as semelhanças e as especificidades desse acervo em relação ao cenário arquitetônico gaúcho e brasileiro;
h) Identificação do patrimônio arquitetônico passível de preservação (destacando aspectos tipológicos das obras e morfológicos dos conjuntos), definição das áreas de preservação (poligonais), dos níveis de preservação (integridade e autenticidade das obras) e dos graus de descaracterização, com o intuito de fundamentar as justificativas para sua preservação e conservação;
i) Organização do material no Sistema Integrado de Conhecimento e Gestão do Patrimônio Material (SICG), base de dados desenvolvida pelo IPHAN para sistematização dos inventários de patrimônio material.
j) Redação do Parecer Técnico e do Relatório do Projeto.

Referências
ALVES, Isadora Baptista et alii. O NEAB e a preservação patrimonial: três décadas de cadastramento e registro do patrimônio das cidades do distrito geoeducacional da UFPel. In: Seminário História e Patrimônio, 2, 2014, Rio Grande. Anais do II Seminário de História e Patrimônio. Diálogos e perspectivas. Rio Grande: FURG, 2014. p.575-584.
BAHIA. SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E TURISMO. IPAC-BA. Inventário de Proteção do Acervo Cultural da Bahia. Monumentos e Sítios do Recôncavo, v. 3, Parte I. Salvador: Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo, 1978.
GONSALES, Célia Helena Castro et alii. Inventário da arquitetura moderna art-déco: motivos e motivações para a preservação do patrimônio de Pelotas. In: Encontro Internacional sobre Patrimônio Edificado – Arquimemória, 4, Salvador, 2013, Anais..., Salvador: IAB, UFBA, 2013.
LUCKOW, Daniele et alii . O SIG e o inventário: conhecimento, análise e gestão. A experiência nas cidades da região sul do Rio Grande do Sul. In: Encontro Internacional sobre Patrimônio Edificado – Arquimemória, 4, Salvador, 2013, Anais..., Salvador: IAB, UFBA, 2013
SILVEIRA, Aline Montagna et alii. A arquitetura moderna em Pelotas: inventário, conhecimento e preservação. In: SIMP - Seminário Internacional de Memória e Patrimônio, 7, 2013, Pelotas. Caderno de Resumos. Pelotas: UFPel, 2013, p. 256-260.
OLIVEIRA, Ana Lúcia Costa de (coord). Inventário Arquitetônico da Cidade de Pelotas séc. XIX e XX. Relatório técnico - Núcleo de Estudos de Arquitetura Brasileira e Prefeitura Municipal de Pelotas. 1989.
OLIVEIRA, Ana Lúcia Costa de (coord.). Inventário do Patrimônio Arquitetônico da Cidade de Jaguarão-RS. Relatório técnico. Núcleo de Estudos de Arquitetura Brasileira – UFPel e Prefeitura Municipal de Jaguarão, 1992.
OLIVEIRA, Ana Lúcia Costa de, SEIBT, Maurício Borges. Programa de Revitalização Integrada de Jaguarão. Pelotas: Editora Universitária UFPel, 2005.
OLIVEIRA, Ana Lúcia Costa de; FUÃO, Fernando; PATELLA, Hilda. Inventário Arquitetônico da Cidade de Pelotas. Revista Módulo. 1985.
MEIRA, Ana Lúcia, NEUTZLING, Simone R. Inventários arquitetônicos no Rio Grande do Sul: do poder público ao poder do público. In: Mestres e Conselheiros - Agentes Multiplicadores do Patrimônio, IX, Belo Horizonte, 2017, Anais... Belo Horizonte (MG) CAD II – UFMG. Disponível em : https://even3.azureedge.net/anais/52393.pdf. Acesso em 05 de fevereiro de 2019.
OLIVEIRA, Ana Lúcia Costa de; JANTZEN, Sylvio Arnoldo Dick; SILVEIRA, Aline Montagna da. A ação do NEAB/FAUrb na preservação dos centros históricos da região sul do estado do Rio Grande do Sul. In: Francisca Ferreira Michelon. (Org.). Patrimônio Cultural Edificado da Universidade Federal de Pelotas: primeiro estudo. 1ed.Pelotas: Editora da Universidade Federal de Pelotas, 2013, p. 27-29.
JANTZEN, Sylvio Arnoldo Dick et alii. Architectural Patrimony in Urban Areas: Methodology and case studies of the South of Rio Grande do Sul, Brazil. In: 17th Conference International Seminar on Urban Form, 2010, Hamburgo. Formation and Persistence of Townscape, 2010.

Indicadores, Metas e Resultados

Metas:
a) Realizar inventário de reconhecimento do patrimônio arquitetônico do centro histórico da cidade;
b) Espacializar, através da elaboração de mapas temáticos, o patrimônio arquitetônico inventariado;
c) Analisar os resultados obtidos nos mapas temáticos;
d) Coletar material iconográfico sobre a cidade;
e) Identificar fontes textuais primárias e secundárias sobre a cidade;
f) Mapear a evolução urbana de Herval;
g) Sistematizar os resultados obtidos no inventário de reconhecimento;
h) Identificar os bens e estabelecer valores que justifiquem a sua preservação;
i) Subsidiar possíveis ações de preservação dos gestores públicos e privados;
j) Divulgar os resultados em eventos da área e em periódicos.

Resultados esperados:
a) Criação de um banco de dados sobre o patrimônio arquitetônico do centro histórico da cidade de Herval;
b) Promover a sistematização do conhecimento sobre esse patrimônio;
c) Possibilitar a instrumentalização do poder público com informações que orientem medidas de proteção e intervenção no patrimônio edificado da cidade;
d) Disponibilizar material de pesquisa para a realização de dissertações de mestrado junto ao Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (PROGRAU), na linha de pesquisa Teoria, História, Patrimônio e Crítica;
e) Contribuir para a difusão do conhecimento na área, através da apresentação dos resultados em eventos científicos e periódicos.

O projeto pretende dar continuidade a parceria entre o Núcleo de Estudos de Arquitetura Brasileira e a Prefeitura Municipal de Herval, firmada através de um Termo de Cooperação Técnica.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE MONTAGNA DA SILVEIRA7
ANA LUCIA COSTA DE OLIVEIRA5
ANA LUCIA PRESSI
ANDERSON PIRES AIRES
CAROLINA LEMOS CASTAGNO
FRANCIELE FRAGA PEREIRA
GIULIA VIANNA DOS SANTOS
JAMILA LIMA MACEDO
LAUREN NICOLE GONÇALVES DUARTE
LUISA PAGANINI STEIN
MARINA ULIANA TRENTIN
MAURICIO COUTO POLIDORI1
PEDRO COSTA BOARETTO
RENAN ROSSO BICCA
TACIANA ANCA EVARISTO MENDES CARDOSO

Página gerada em 03/12/2020 23:31:34 (consulta levou 0.121927s)