Nome do Projeto
Elaboração de Material Didático Para o Ensino de Estatística
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
01/07/2020 - 30/06/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra
Resumo
Atualmente, quase todos os cursos de graduação possuem disciplinas da área de Estatística. O CDTec, por exemplo, abriga cinco cursos de graduação e todos têm disciplinas de Estatística na sua grade curricular. Duas disciplinas da área são ofertadas a esses cursos pelo CDTec: Estatística Básica (EB) e Métodos Estatísticos Aplicados a Recursos Hídricos (MERH). Em média, 131 alunos por ano cursam essas disciplinas. Entretanto, grande parte desses alunos apresenta dificuldades, ocasionando altos índices de reprovação e evasão e, por consequência, retenção nos respectivos cursos. Nos últimos oito anos, a taxa de aprovação na disciplina de EB varia de 53% a 67%, com valores abaixo de 60% na maioria dos anos, e na disciplina de MERH as taxas de aprovação são mais altas, com valores acima de 69% na maioria dos anos. Para ambas as disciplinas, o número de infrequentes, em geral, é maior do que o número de reprovados, evidenciando a falta de persistência dos alunos que abandonam a disciplina ao se depararem com dificuldades. Os principais fatores que explicam o desempenho fraco dos alunos são: formação matemática deficitária, impossibilidade de o professor prestar atendimento extra classe e material didático incompleto ou inadequado. Uma forma de melhorar a qualidade do ensino é aprimorar o material didático utilizado dentro e fora das salas de aulas. A interdisciplinaridade do uso da Estatística e sua aplicação nos mais diferentes contextos profissionais, particularmente de pesquisa, fazem com que o público alvo deste projeto seja bastante diverso e, por isso, tenha necessidades específicas diferentes. Por essa razão, pretende-se, com o material didático produzido, contemplar todas as áreas específicas atendidas pelas disciplinas de Estatística. Contudo, a área de Recursos Hídricos receberá atenção especial por se tratar da área de atuação da maioria dos colaboradores deste projeto. Visando aumentar o interesse dos alunos, facilitar o processo de ensino-aprendizagem, melhorar o desempenho e, consequentemente, reduzir os índices de reprovação e evasão nas disciplinas de Estatística, este projeto destina-se a produzir material didático orientado às áreas específicas dos diversos cursos atendidos, utilizando ferramentas da EAD. Para tal, serão realizadas reuniões semanais com toda a equipe para discussão dos processos envolvidos na produção dos materiais: pesquisa bibliográfica sobre temas e metodologias de interesse; proposições e desenvolvimento dos materiais e pesquisa e elaboração de instrumentos de avaliação dos materiais elaborados. Serão utilizadas ferramentas para ensino on-line disponíveis gratuitamente na rede, como OBS Studio, Whiteboard, Kahoot, Google Sheets, entre outras. Disponibilizando os materiais desenvolvidos em plataformas adequadas, pretende-se atingir não só os alunos que cursam as disciplinas, mas o público geral que se interessa pela área. Os alunos vinculados diretamente ao projeto terão oportunidade de consolidar seus conhecimentos em Estatística, conhecer e usar ferramentas da educação à distância e participar da elaboração de materiais didáticos que facilitem o seu processo de aprendizagem, além de permanecerem em contato com professores e colegas durante o período de isolamento social.

Objetivo Geral

Elaborar material didático que facilite o processo de ensino-aprendizagem de estudantes de diferentes cursos em disciplinas da área de Estatística, utilizando ferramentas da EAD.

Os objetivos específicos são:
- Facilitar o processo de ensino-aprendizagem de estudantes em disciplinas de Estatística.
- Elaborar coleções de exemplos, exercícios resolvidos e experimentos por área específica.
- Adaptar material didático impresso para uso em meio digital.
- Desenvolver questionários e materiais iterativos utilizando ferramentas da EAD.
- Revisar, aperfeiçoar e atualizar materiais didáticos (apostilas) já existentes, desenvolvidos por professores da área de Estatística, para viabilizar a sua publicação em meio impresso e digital.

Justificativa

Ao longo das últimas cinco décadas o estudo da Estatística tem se popularizado cada vez mais. Com o surgimento da computação e o desenvolvimento de sistemas de análise de dados, a Estatística ampliou seu campo de ação e se tornou uma ferramenta essencial para as pesquisas empíricas. Esses avanços tecnológicos exigiram que profissionais e público em geral soubessem trabalhar com grandes quantidades de informação (Mann, 2006). Assim, a Estatística passou a ser utilizada nas mais diversas profissões, desde a medicina até os esportes. Como consequência, atualmente, quase todos os cursos de graduação possuem pelo menos uma disciplina de Estatística na sua grade curricular.
O Centro de Desenvolvimento Tecnológico (CDTec), por exemplo, é uma Unidade Acadêmica da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que abriga cinco cursos de graduação (Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia Hídrica, Engenharia de Materiais e Biotecnologia) e todos eles têm disciplinas de Estatística. Os quatro primeiros cursos mencionados, com sede no campus Porto, têm suas demandas por disciplinas de Estatística atendidas preferencialmente por uma professora, da área da Estatística, lotada no CDTec. Já o curso de Biotecnologia, por ter sede no Campus Capão do Leão, tem sua demanda atendida pelo Instituto de Física e Matemática (IFM). No primeiro semestre, o CDTec oferece duas turmas de Estatística Básica (EB), com quatro créditos, e uma turma de Métodos Estatísticos Aplicados a Recursos Hídricos (MERH), com dois créditos; e no segundo semestre, três turmas de EB. Eventualmente, quando o número de vagas disponíveis nas disciplinas não é preenchido por alunos dos cursos do CDTec, as vagas remanescentes são ocupadas por alunos de outros cursos, como Ciências Econômicas e Matemática. O número médio de alunos atendidos por turma é de 23, na disciplina de EB, e 16, na disciplina de MERH, totalizando, em média, 131 alunos por ano.
Muitos desses alunos apresentam dificuldades nas disciplinas de Estatística, desencadeando altos índices de reprovação e evasão e, por consequência, retenção nos respectivos cursos. Informações sobre o rendimento acadêmico dos alunos nas disciplinas de EB e MERH, nos últimos oito anos, são apresentas na Tabela 1 (Anexo). A taxa de aprovação na disciplina de EB varia de 53% a 67% no período, mas com valores abaixo de 60% na maioria dos anos. Também se verifica que o número de alunos infrequentes, em geral, é maior do que o número de alunos reprovados, evidenciando a falta de persistência dos alunos que abandonam a disciplina ao se depararem com dificuldades. A disciplina de MERH apresenta taxas de aprovação mais altas, com valores acima de 69% na maioria dos anos. Mas, para esta disciplina, alunos infrequentes também estão em maior número do que alunos reprovados.
Na Figura 1 (Anexo), verifica-se, para as duas disciplinas, a evolução da taxa de reprovação/evasão no período dos oito anos. Observando o gráfico, constata-se que, no ano de 2017, a taxa de reprovação/evasão na disciplina de EB atinge seu pico. Um fato aparentemente paradoxal relativo a esse dado merece destaque: foi justamente no ano de 2017 que ambas as disciplinas contaram com o auxílio de uma monitora que atuou resolvendo listas de exercícios, prestando atendimento aos alunos em horários pré-estabelecidos e também elucidando dúvidas por e-mail e redes sociais. Segundo os registros da monitora, cerca de 22% dos alunos de EB e 32% de MERH procuraram a monitoria durante no ano. Nota-se, contudo, que a disponibilidade de um monitor não teve o impacto esperado sobre os índices de aprovação nas disciplinas. Acredita-se que tal fato se deva à baixa procura dos alunos pelo auxílio de um monitor. Observou-se que os alunos que apresentavam maiores dificuldades de aprendizado nessas disciplinas não se sentem motivados a buscar ajuda. Portanto, parece que outro grande desafio é despertar o interesse dos alunos pela Estatística.
O desempenho insuficiente dos alunos pode ser explicado por vários fatores, entre eles, uma formação matemática deficitária -- fenômeno que se observa com mais frequência à medida que aumenta nas universidades o número de alunos provenientes de escolas públicas. Nesse contexto, é natural que o aluno se depare com dificuldades para acompanhar o conteúdo dessas disciplinas. Some-se a isso a impossibilidade de o professor prestar atendimento extra classe satisfatório, dado que o contingente de alunos com dificuldades é muito grande ou há incompatibilidade de horários entre o professor e os alunos e não há monitores na disciplina. Outro motivo citado por alunos para o baixo desempenho ou desinteresse pela disciplina é o material didático incompleto ou inadequado. Além da dificuldade de encontrar material em língua portuguesa, mencionam que não conseguem ver a aplicação dos conceitos nas suas áreas de interesse ou que os materiais apresentam exemplos que não estão presentes no seu cotidiano.
Uma forma de melhorar a qualidade do ensino é aprimorar o material didático utilizado dentro e fora das salas de aulas. Para Freitas (2007), é indiscutível o papel do material didático como recurso incentivador da aprendizagem, uma vez que as mensagens que o estudante recebe por meio dele não são somente verbais; abarcam imagem, som, cor, etc. Acrescenta que os materiais didáticos alteram a monotonia das aulas exclusivamente verbais, podendo substituir, em grande parte, a simples memorização, além de contribuir para o desenvolvimento de operações de análise e síntese, generalização e abstração, a partir de elementos concretos. Dessa forma, ampliam o campo de experiências do estudante, ao fazê-lo defrontar-se com elementos que, de outro modo, permaneceriam distantes no tempo e no espaço.
Perrenoud (1999) afirma que é necessário investir na construção de práticas e dispositivos alternativos de ensino, e que esta não ocorre sem um trabalho intenso de cooperação e de inovação, ou seja, uma ruptura com o individualismo e a rotina. Para Richardson (1999), a metodologia de pesquisa para elaboração de material didático, que consiste em desenvolver e validar produtos educacionais, é considerada uma das mais promissoras estratégias utilizadas no campo educacional.
Entre os materiais didáticos mais difundidos aos alunos estão as apostilas elaboradas pelos professores, que podem ser impressas ou disponibilizadas em meio digital. Segundo Mota (2006), a forma digital oferece vantagens em relação à impressa, como facilidade de atualização e de compartilhamento e custo zero. Freitas (2007) relata que há uma gama de equipamentos didáticos, em grande parte recursos audiovisuais, que foram pensados e construídos para atender a disciplinas em todas as modalidades de ensino. Mas há casos em que equipamentos não convencionais ou não pensados, em sua origem, para fins pedagógicos tornam-se didáticos.
Considerando o cenário em que País e o mundo se encontram, com a imposição do distanciamento social por tempo indeterminado, já não é possível conceber o desenvolvimento de materiais didáticos que não tenham aplicação também no ensino a distância. É premente a conversão de disciplinas da modalidade presencial para a modalidade híbrida. Portanto, plataformas e ferramentas da Educação à Distância (EAD) têm papel fundamental nos processos de concepção e elaboração de materiais que cumpram sua função didática nas diferentes modalidades de ensino.
Para Mantovani et al. (2006), partindo-se da premissa de que os alunos têm melhor aproveitamento quando participam ativamente de seu processo de aprendizagem, as tecnologias educacionais podem constituir um recurso promissor no ensino de Estatística, uma vez que podem oferecer um ambiente interativo e individualizado, onde o aluno é convidado a interagir com os conteúdos, podendo escolher o tipo de mídia que se adapta melhor ao seu estilo de aprendizagem.

Metodologia

- Serão realizadas reuniões semanais com toda a equipe para discussão dos processos envolvidos na produção dos materiais, tais como, pesquisa bibliográfica sobre os temas e as metodologias de interesse; proposições, concepção e desenvolvimento dos materiais; pesquisa e elaboração de instrumentos de avaliação dos materiais elaborados, análise dos resultados da avaliação e aperfeiçoamento dos materiais.
- Serão realizadas reuniões especificas para a troca de experiências sobre tecnologias digitais utilizadas. Pretende-se trabalhar com ferramentas para ensino online disponíveis gratuitamente na rede e que possibilitem a gravação e edição de aulas, a organização e disponibilização de material e a elaboração de jogos e questionários, como OBS Studio, Whiteboard, Kahoot, Google Sheets, entre outras.
- Aos professores caberá a orientação dos estudantes e o acompanhamento das suas atividades em todas as etapas do projeto.
- Os estudantes serão responsáveis pelas seguintes atividades: pesquisar sobre o material solicitado; estudar as ferramentas da EAD; projetar e desenvolver o material didático; elaborar questionários avaliativos sobre o material; analisar os questionários e, por fim, aperfeiçoar o material.

Indicadores, Metas e Resultados

As metas e resultados são os seguintes:
- Desenvolver materiais didáticos para o ensino (presencial e a distância) de disciplinas da área de Estatística, tais como, coleções de exemplos de pesquisas e experimentos em diferentes contextos de aplicação, listas de exercícios resolvidos passo a passo, testes de conhecimento sobre os conteúdos das disciplinas.
- Alcançar o maior número possível de pessoas com os resultados do projeto. Disponibilizando os materiais desenvolvidos em plataformas adequadas, pretende-se atingir não só os alunos que cursam as disciplinas (em média, 130 por ano), mas o público geral que se interessa pela área. Para medir o desempenho das páginas que deverão hospedar os materiais, quantificando, por exemplo, o número de acessos, há várias ferramentas gratuitas disponíveis na rede, como Similarweb e Alexa, entre outras.
- Revisar, atualizar e aprimorar as apostilas que têm sido utilizadas nas disciplinas de Estatística.
- Proporcionar aos alunos vinculados diretamente ao projeto a oportunidade de consolidar seus conhecimentos em Estatística, conhecer e usar ferramentas da EAD e participar da elaboração, avaliação e aperfeiçoamento de materiais didáticos que facilitem o seu processo de aprendizagem. Enquanto durar o período de isolamento, o projeto também possibilitará que estes alunos permaneçam em contato com professores e colegas.
- Possibilitar aos professores vinculados ao projeto a aproximação e familiarização com as ferramentas e plataformas da EAD.

Os indicadores dos resultados e dos impactos deste projeto serão a adoção e aprovação dos materiais desenvolvidos pelo público alvo. Por meio de questionários disponibilizados online o público alvo será convidado a avaliar se os materiais desenvolvidos foram úteis no processo de aprendizagem e dar sugestões para melhorá-los. Os resultados obtidos serão divulgados por meio de relatórios.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA RITA DE ASSUMPCAO MAZZINI3
BRUNA BOHM MOURA
CLAUSE FATIMA DE BRUM PIANA7
DANIELLE DE ALMEIDA BRESSIANI1
FELIPE DE LUCIA LOBO1
JOAO GILBERTO CORREA DA SILVA
JULIANA PERTILLE DA SILVA1
LAURA MARTINS BUENO
MARIA CLARA GIACOMINO DE ALMEIDA PASSOS
RODRIGO DE LAFORET PADILHA RAUPP
SAMUEL BESKOW1
SUZAN VIVIANE NUNES E SILVA
WESLEY COSTA SILVEIRA

Página gerada em 17/09/2021 01:24:17 (consulta levou 6.150069s)