Nome do Projeto
Guia de Fontes de Informação Jornalística Antirracista
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
29/06/2020 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Comunicação / Comunicação
Linha de Extensão
Jornalismo
Resumo
O projeto Guia de Fontes de Informação Jornalística Antirracista tem como proposta desenvolver um guia com indicações de fontes especializadas que podem ser consultadas por jornalistas. O guia caracteriza-se por elencar pessoas negras como fonte especializada para o jornalismo. Após a produção do guia, o material será entregue a veículos de comunicação e jornalistas de Pelotas e cidades vizinhas. O projeto é desenvolvido em conjunto com o Coletivo Negro Tim Lopes do curso de jornalismo da UFPEL, que busca evidenciar pautas da população negra e aumentar a representatividade em espaços acadêmicos e midiáticos. No jornalismo, busca-se nas fontes os elementos necessários para se apropriar dos fatos narrados, considerando que esses fatos são situados em um determinado contexto e trabalhados a partir de técnicas jornalísticas. Ou seja, a fonte é um componente essencial e de importância única para a construção noticiosa. A fonte especializada destaca-se pelo seu saber específico e pela capacidade de analisar as consequências e estabelecer relações acerca do tema. Assim, entende-se que evidenciar pessoas negras como fonte especializada corrobora para um jornalismo comprometido com uma prática plural, inclusiva e transformadora. Considerando a segurança das fontes, o guia não será publicado em um site aberto da internet, o documento será entregue diretamente à jornalistas que atuam na cidade de Pelotas e em cidades vizinhas.

Objetivo Geral

Produzir um guia antirracista para jornalistas que elenca pessoas negras como fontes especializadas, o qual será entregue a veículos de comunicação e jornalistas de Pelotas e cidades vizinhas.

Justificativa

Para uma narrativa jornalística ser construída é preciso que o jornalista tenha conhecimento dos espaços e das pessoas com os quais possa resgatar informações. Para isso, é preciso uma pesquisa prévia, a procura e consulta de agentes informacionais (fontes) e uma averiguação para conferir o que foi disposto nas etapas anteriores. Ou seja, todos os procedimentos que antecedem a escrita jornalística e a divulgação de um acontecimento estão ligados às fontes. Por isso, considera-se a fonte um componente essencial e de importância única para a construção noticiosa. Ao tratar especificamente da fonte especializada, destaca-se a importância de investir em pautas que tragam o olhar de pessoas negras como fonte especializada, o que possibilita: 1) apresentar problemáticas diferenciadas para o tema tratado ao trazer a perspectiva de pessoas negras; 2) investir num jornalismo antirracista e plural ao apresenta pessoas negras atuando em diferentes setores da sociedade; 3) combater uma leitura distorcida do papel das pessoas negras na sociedade que se resume a perpetuar estereótipos e 4) investir no protagonismo de pessoas negras na sociedade. Já existem projetos nacionais com esse enfoque, como o Entreviste um Negro da ONG Think Olga (https://olga-project.herokuapp.com/2015/11/16/nos-por-nos-entreviste-um-negro/) e a iniciativa da jornalista Luísa Roig Martins intitulada Jornalismo Antirracista: Guia de Fontes (https://twitter.com/luisamartins/status/1269336852173074436?s=09). O diferencial desse projeto está em buscar fontes jornalísticas em Pelotas e cidades vizinhas, identificando possíveis fontes especializadas na região. Também se destaca que o projeto está sendo desenvolvido em conjunto com o Coletivo Negro Tim Lopes do curso de Jornalismo da UFPEL.

Metodologia

O projeto está desenvolvido em duas etapas: 1) produção do Guia de Fontes de Informação Jornalística Antirracista; 2) distribuição do guia para jornalistas que atuam na cidade de Pelotas e em cidades vizinhas. Na primeira etapa será criado um documento online para organizar as informações do guia, o qual contará com os seguintes campos: Nome, Gênero, Data de Nascimento, Especialidade/ área de atuação profissional, Outros temas que tem interesse em falar, E-mail, WhatsApp, Currículo Lattes, Twitter, Instagram e Facebook. Os integrantes do projeto ficam responsáveis por procurar possíveis fontes especializadas da região e consulta-las sobre o interesse em fazer parte do guia, bem como quais as informações gostariam de disponibilizar no guia. Ou seja, as fontes que vão compor o guia deverão autorizar que suas informações contem no guia. Após completar o documento, os integrantes do projeto irão organizar essas informações no guia. Na segunda etapa, os integrantes do projeto irão identificar jornalistas que atuam em Pelotas e região para explicar sobre o guia e consultar o interesse em ter acesso ao documento. O cuidado de procurar os profissionais e disponibilizar uma consulta restrita é para segurança das próprias fontes.

Indicadores, Metas e Resultados

Elaborar um Guia Antirracista indicando pessoas negras como fonte especializada. O guia tem como proposta destacar os conhecimentos, os temas de interesse e os contatos dessas pessoas, possibilitando que jornalistas de Pelotas e de cidades vizinhas entrem em contato com essas fontes para a produção de notícias. Espera-se elaborar um primeiro guia com 50 fontes especializadas e distribuir esse guia para cerca de 40 jornalistas da região.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRIGIDA SODRE JOHN
GIORDANNA BENKENSTEIN VALLEJOS
GISELE MORAES DIAS
JOAO PEDRO CARDOZO MACEDO
JULIA MOREIRA RODRIGUES DOS SANTOS
LIZIANE MARIA STOELBEN RODRIGUES
MARCELA LIMA DE MORAES
MICAEL DE OLIVEIRA CARVALHO
RAFAELA DUTRA DA SILVA
SAMIRA LUCAS SILVEIRA
SILVIA PORTO MEIRELLES LEITE4
VIVIAN DOMINGUES MATTOS

Página gerada em 02/12/2021 01:07:04 (consulta levou 0.138156s)