Nome do Projeto
Marginalidad, Borde Costero y Ciudad-Puerto 2020
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
20/09/2020 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Meio ambiente
Linha de Extensão
Metodologias e estratégias de ensino/aprendizagem
Resumo
O projeto estruturado dentro da Escola de Arquitetura da Pontifícia Universidade Católica em Valparaíso (PUCV) tem forma de Atelier e envolve uma compreensão da marginalidade da cidade de Valparaíso no Chile e sua relevância no habitar durante a dimensão do tempo. Tem como foco o desenvolvimento de propostas arquitetônicas que consigam enxergar esta condição de marginalidade como potência urbana, no contexto da Cidade-Porto. A margem urbana se traduz ao mesmo tempo em uma proposta arquitetônica a qual se constrói e se transforma em uma espessura habitável, abordando os conceitos de Limite, Borda e Margem e suas relações com a configuração da cidade, seus limites urbanos e margens naturais. Analisa-se o contexto da Cidade-Porto, a sua relação com o ambiente espacial e físico-geográfico, bem como os aspectos regulatórios e de infraestrutura. Funcionará sob três metodologias de estudo: observação, observacional e verificação. O estudo de caso neste projeto será a marginalidade no contexto do Projeto Parque Puerto Muelle Barón, no contexto de um acordo de colaboração com o MINVU (Ministerio de Vivienda y Urbanismo). O projeto Parque Puerto Barón contempla uma série de elementos articulados entre si, e a proposta arquitetônica do ateliê apontará para sua conexão com a cidade de Valparaíso. O projeto se coloca como atividade proposta dentro o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo (EMAU) como primeira aproximação ao método de criação do projeto arquitetônico que envolve a poesia como fundamento do fazer arquitetura.

Objetivo Geral

ETAPA 1
Acompanhamento das atividades de ensino por parte do professor coordenador

Espera-se que os alunos criem seu próprio assunto a partir das instruções dadas em aula. O trabalho de cada aluno é original, portanto, deve-se ter o cuidado de não incorrer em plágio, tanto no trabalho escrito como na materialização de uma forma arquitetônica, e deve obedecer às normas específicas.
Eles devem fazer uma folha de resumo que concentre suas principais observações para construir um discurso arquitetônico, que decanta em afirmações claras sobre os temas discutidos na oficina. A partir dessas afirmações, eles vão configurar um nome espacial que deve tomar forma em uma primeira proposição do curso do espaço. O percurso do espaço terá uma folha de estudo separada, com diagramas que esclarecem como se chega ao nome e como é passado para o formulário.
ETAPA 2
Objetivo geral
Aproximação a escola e organização de atividades de forma remota, com projeção de documentários e debates sobre a Escola Escola de Arquitetura da Pontifícia Universidade Católica em Valparaíso (PUCV), com a participação dos professores e alunos de ambas Universidades.
ETAPA 2
Objetivo geral
Viagem estudo por uma oficina prática de autoconstrução de um espaço arquitetônico dentro da Cooperação Amereida e a Escola de Arquitetura da Pontifícia Universidade Católica em Valparaíso (PUCV), Chile.

Justificativa

O projeto quer ser a oportunidade para uma atividade de extensão que permita durante a pandemia o intercambio de praticas de ensino aprendizagem da unidade da Faurb e conseguentemente da Ufpel com a Escuela de Arquitectura de la Pontificia Universidad Católica de Valparaíso (PUCV) no Chile, com o fim de abrir uma linea de pesquisa extensão e ensino no futuro entre as duas Universidades.

Metodologia

Funcionará sob três metodologias de estudo: observação, observacional e verificação.
O ateliê terá quatro ciclos: Observação, Fundamento del projeto, Fundação do Projeto e Módulo Construção. Além disso, haverá uma entrega independente.
C1 - Observação: Elaboração de fichas de observação sobre os temas indicados, análise dos observacionais relacionados ao tema e achados. Termina com um discurso arquitetônico que destaca as três dimensões anteriores.
C2 - Observacional II: Relata o ciclo anterior para trabalhar em um plano diretor localizado no estudo de caso. Termina com o desenvolvimento de dois percursos de espaço e uma folha final antes do formulário.
C3 - Fundação do Projeto: Uma proposta arquitetônica é desenvolvida com o Acto que o projeto pretende desenvolver e sua forma, juntamente com o desenvolvimento de um programa. O ciclo termina com a entrega de um projeto individual no seu contexto e localização (planimetria).
Entrega: Paralelamente ao C3, serão desenvolvidos esboços de uma folha de fundação final, um modelo de estudo e suas plantas (pisos e alçados). Estas serão entregues como uma exposição final após a conclusão da Fundação do Projeto.
C4 - Módulo construtivo: A parte estrutural do projeto é desenvolvida por meio de plantas. Trabalharão aula a aula e terminarão com a entrega de folder de planimetria (plantas, elevações, cortes e moldes).

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto pretende abrir um intercâmbio entre as duas universidade, como experiência interessante a profissão do arquitecto e no entendimento das estruturas e suas origens de forma diferente que envolve a poesia e a prática. Espera-se que os alunos criem seu próprio assunto a partir das instruções dadas em aula. O trabalho de cada aluno é original, portanto, deve-se ter o cuidado de não incorrer em plágio, tanto no trabalho escrito como na materialização de uma forma arquitetônica, e deve obedecer às normas de citação da APA.
As observação serão realizadas em livreto em formato de meia folha vertical, ou seja, é construído com a dobra de uma folha de paisagem completa. Ficarão arquivados em uma pasta que será entregue ao final de cada ciclo. As atividades de estudo observacional serão realizadas em um livreto como um registro de atividades cotidianas. O formato deste será uma folha de carta e deve ser construído como um livreto.Eles devem fazer uma folha de resumo que concentre suas principais observações para construir um discurso arquitetônico, que decanta em afirmações claras sobre os temas discutidos na oficina. A partir dessas afirmações, eles vão configurar um nome espacial que deve tomar forma em uma primeira proposição do curso do espaço. O percurso do espaço terá uma folha de estudo separada, com diagramas que esclarecem como se chega ao nome do projeto e como se passa deste para a forma

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EDUARDO ROCHA3
EMANUELA DI FELICE14
GABRIELA WREGE PARRA
JULIANA AIDE BORTOLOTTI
Jorge Alfonso Ferrada Herrera
NADIANE FONTES CASTRO
THIFANI GOMES ORTIZ MACHADO
VALENTINA DE FARIAS BETEMPS DA SILVA

Página gerada em 04/12/2022 02:31:10 (consulta levou 0.078404s)