Nome do Projeto
Estado, Mercado, Desigualdade: um debate acerca do desenvolvimento internacional
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
28/09/2020 - 28/09/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
O Estado, além do seu território, povo e instituições, detêm poder e riqueza. O Mercado, espaço donde os fluxos financeiros e comerciais são transacionados, também pode ser considerados detentor de poder e riqueza. Todavia, poder e riqueza são mensurados a partir de parâmetros nem sempre claros. Estes, por vezes, conformam-se na desigualdade. O dabate acerca do desenvolvimento internacional exige, pois, um esforço analítico que abarca as interações entre Estado e Mercado permeados por padrões de desigualdade. O desenvolvimento internacional é, portanto, reflexo de um conjunto de ações e estratégias, exitosas ou não, aplicadas ao longo do tempo por diferentes atores imersos num sistema internacional em constante transformação.

Objetivo Geral

Analisar as relações de poder e riqueza permeadas por padrões de desigualdade entre os diferentes atores internacionais e seu impacto no desenvolvimento internacional contemporâneo.

Justificativa

O debate acerca do desenvolvimento é recente nas Relações Internacionais. Embora estudos acerca do desenvolvimento terem sido amplamente realizados nos anos 1960 e 1970 pelas Nações Unidas, como por exemplo aqueles da CEPAL, poucos tiveram centralidade dentro do campo analítica das Relações Internacionais. Ora porque a disciplina é jovem ora pelo desinteresse acadêmico enquanto problema de pesquisa. Todavia, o campo das RI tem em seu cerne o debate acerca do poder e da riqueza e, decorrente disso, a desigualdade como parâmetro. As transformações pelas quais o Sistema Internacional vem passando nas últimas décadas tem exponenciado essas relações de poder e riqueza e as desigualdades existentes. Ações e estratégias estabelecidas por Estados ora obtiveram êxito ora não, foram distintas, apesar de episódios de esforço para sua homogeneização, e tiveram um grande impacto nos mercados ou foram impactadas por ele. Perfaz, portanto, um cenário instigante de pesquisa seja pela alcance seja pelas possibilidades da agenda de pesquisa em Relações Internacionais aplicada ao papel que o Brasil representa na contemporaneidade bem como seus principais parceiros políticos e comerciais.

Metodologia

A Economia Política Internacional oferece um instrumental teórico-conceitual pertinente assim como é complementado pela discussão estabelecida em Política Internacional Contemporânea. O uso, portanto, desse arcabouço exigirá sobretudo tendo em vista o objetivo da pesquisa de analisar as relações de poder e riqueza e seu impacto no desenvolvimento internacional de metodologia em que se associam métodos qualitativos e quantitativos. Desse modo, têm-se como métodos principais para o desenvolvimento dessa pesquisa: revisão bibliográfica, análise documental, análise de conteúdo. Como ferramentas metodológicas complementares, o uso de softwares livres para o trato do grande volume textual tais como AntConc e VOSviewer.

Indicadores, Metas e Resultados

Têm-se como metas:

- Iniciar atividades de pesquisa do Grupo de Pesquisa "Economia, Política e Desenvolvimento Internacional";
- Atrair discentes e docentes, internos e externos à UFPel, para debates de alto nível;
- O desenvolvimento de disciplina para graduação e pós-graduação nessa temática.

Como resultados esperados:

- Publicação de material em formato de artigo científico em revistas indexadas da área;
- Estabelecimento de agenda de pesquisa acerca do desenvolvimento na área de Relações Internacionais e Ciência Política na UFPel.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JULIA MARIA SOARES ANDRADE RUDRIGUES
JÚLIA ADRIANE FERREIRA BRETANHA
LUIS GUSTAVO QUEIROGA DE ARAÚJO
WILLIAM DALDEGAN DE FREITAS12

Página gerada em 25/04/2024 10:57:47 (consulta levou 0.125926s)