Nome do Projeto
Avaliação do paciente idoso usuário de Overdenture mandibular: uma análise multidimensional, antropométrica, e de função mastigatória
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2021 - 01/08/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O envelhecimento é principal fator de risco associado ao desenvolvimento de doenças crônicas, bem como as doenças cardiovasculares, respiratórias, neurológicas e musculoesqueléticas. Dentre as condições de saúde geral dos idosos, a sarcopenia é considerada uma síndrome de elevada prevalência e está relacionada ao aumento da ocorrência de incapacidades. Já a condição de saúde bucal do idoso brasileiro, caracterizada pela a alta prevalência do edentulismo, compromete a função mastigatória, nutrição e qualidade de vida. Overdentures implantossuportadas são consideradas tratamento padrão ouro para reabilitação de edêntulos, por apresentaram maior retenção, estabilidade e conforto. O objetivo desta pesquisa é compreender de que forma a condição sistêmica pode interferir na qualidade de vida e função mastigatória de idosos edêntulos, reabilitados com Overdentures Mandibulares. A amostra será composta por pacientes maiores de 65 anos, reabilitados com Overdentures Mandibulares suportadas por 2 ou 3 implantes, há mais de 2 anos. Os testes clínicos que serão realizados estão divididos nos desfechos deste trabalho: (1) Função Mastigatória (Limiar de Deglutição e Desempenho Mastigatório); (2) Força de Mordida; (3) Rastreio de Sarcopenia (Força de Preensão Palmar, Timed Up and Go e Circunferência de Panturrilha); (4) Qualidade de Vida Relacionada a Saúde Bucal (OHIP-EDENT, GOHAI, DIDL); (5) Rastreio de Fragilidade (Avaliação Multidimensional da Pessoa Idosa). Os dados serão submetidos inicialmente à análise descritiva e à teste de normalidade. Testes não-paramétricos serão utilizados para análise dos dados que não são normalmente distribuídos. O nível de significância será estabelecido em 5%.

Objetivo Geral

Através da avaliação multidimensional e testes clínicos, o objetivo deste trabalho é conhecer o paciente idoso, seu grau de funcionalidade, autonomia, e independência, e de que forma esses fatores se relacionam à sua saúde oral. Além disso, procura-se investigar a relação entre parâmetros de função mastigatória e de qualidade de vida de pacientes idosos usuários de Overdentures Mandibulares, com sua performance muscular e risco de sarcopenia.

Justificativa

Por compreender o crescente número de indivíduos idosos na população brasileira e mundial, e perceber que idosos edêntulos nem sempre melhoram sua função mastigatória após a reabilitação oral com ODM, busca-se entender a relação entre a sarcopenia e parâmetros mastigatórios, além de compreender de que forma podem influenciar na qualidade de vida do indivíduo. O presente estudo tem como justificativa suprir uma carência de evidência científica, afim de proporcionar o melhor tratamento reabilitador possível para o idoso edêntulo, a partir dos resultados obtidos.

Metodologia

4.1 Caracterização do estudo
Este é um estudo clínico retrospectivo com uma amostra de conveniência que será composta por 40 pacientes edêntulos atendidos na Clínica de Prótese Total da Faculdade de Odontologia. Todos os pacientes participantes terão 65 anos ou mais, reabilitados com overdentures mandibulares implantorretidas há mais de dois anos.
Os pacientes serão convidados a participar da pesquisa e os que aceitarem, assinarão um termo de consentimento livre esclarecido. Será garantido à todos os pacientes, independente da aceitação em participar da pesquisa, consultas de acompanhamento de suas próteses dentárias. Os voluntários passarão por testes clínicos de Função Mastigatória (Performance Mastigatória, Limiar de Deglutição e Força de Mordida), e avaliação de Risco de desenvolvimento de Sarcopenia (Diâmetro de Panturrilha, Timed “Up and Go”, e Força de Preensão Palmar). Os pacientes também responderão aos questionários: OHIP-EDENT; GOHAI (qualidade de vida relacionada à saúde bucal); e de Avaliação Multidimensional.

4.2 Aspectos éticos
O projeto será encaminhado para inclusão em outro projeto previamente aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas (69/2013), pois se utilizará da mesma amostra de pacientes. Os participantes serão informados quanto à natureza e objetivos deste estudo e, em caso de concordância com as especificações, assinarão o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (APÊNDICE A) cujo posicionamento ético contempla a Resolução CNS 466/12.


4.3 Cálculo Amostral
O cálculo amostral não foi realizado por apenas abranger pacientes participantes de estudo prévio à este, no qual foram realizadas as instalações das Overdentures mandibulares, necessárias ao cumprimento dos objetivos do presente trabalho (SCHUSTER et al., 2019). Além disso, em razão dos testes de risco de sarcopenia previstos possuírem utilização internacional, a amostra selecionada deve apresentar 65 anos ou mais, de acordo com a maior parte das amostras de estudos clínicos em idosos de avaliação de Sarcopenia, avaliados em uma revisão sistemática com meta-análise realizada recentemente (BEAUDART et al., 2017).

4.4 Seleção dos participantes
Para voluntários de pesquisa serão selecionados indivíduos reabilitados com ODM há mais de 2 anos, participantes de outro estudo clínico em andamento com esses mesmos pacientes (SCHUSTER et al., 2019).

4.5 Critério de Inclusão
Pacientes de ambos os sexos, com 65 anos de idade ou mais; edêntulos totais reabilitados com próteses totais maxilares e ODM retidas por 2 implantes há mais de dois anos; ter disponibilidade de comparecer a FO/UFPel nos dias pré-determinados.

4.6 Critérios de exclusão
Os critérios de exclusão serão indivíduos que não puderem comparecer na faculdade para as consultas de avaliação e acompanhamento. Os pacientes com alguma condição psicológica ou psiquiátrica que impeça a realização dos testes serão excluídos da participação neste estudo.

4.7 Riscos
Não há riscos inerentes à avaliação de risco de sarcopenia. Também não existem riscos aos testes de performance mastigatória. Desta forma, a participação neste estudo não oferece risco previsível à saúde. Além disso, a consulta odontológica geral é idêntica àquela que estaria recebendo se não fizesse parte da pesquisa.
4.8 Benefícios
Os benefícios concedidos aos voluntários serão o diagnóstico e tratamento odontológico geral necessário, como manutenção da prótese total superior, ODM e troca de componentes protéticos, quando necessário. A cada consulta será realizado o acompanhamento e aconselhamento para a manutenção da saúde bucal e caso seja identificado algum indício de doença bucal o mesmo será tratado. Casos onde for identificado o risco de sarcopenia, o mesmo será orientado e encaminhado à avaliação geriátrica, junto à Unidade Cuidativa da Universidade Federal de Pelotas, por sistema de referência e contra-referência. Assim o tratamento odontológico geral, bem como o tratamento protético serão realizados pelos pesquisadores responsáveis: Profa. Dra. Fernanda Faot, Prof. Dr. Otacílio Luiz Chagas Júnior, Profa. Dra. Luciana de Rezende Pinto e a acadêmica Laura Lourenço Morel.

4.9 Desfechos e Testes clínicos
4.9.1 Função Mastigatória
A função mastigatória (FM) será avaliada por meio de dois testes distintos, o teste de Performance Mastigatória (PM) e o teste do Limiar De Deglutição (LD). Para realizar esses testes, todos os voluntários serão instruídos a mastigar uma porção de 3,7g de alimento teste (Optocal) (MARCELLO-MACHADO et al., 2017; POCZTARUK et al., 2008). No teste de PM, os pacientes mastigarão o alimento artificial por 40 ciclos, registrados pelo avaliador. Durante o teste de LD, os voluntários serão instruídos a mastigar até que sintam o desejo de engolir. Todo o material será posteriormente expelido em um filtro de papel. O material mastigado será então lavado e seco à temperatura ambiente durante 7 dias. Após a secagem, o material será passado por uma torre de peneiras com tamanho de malha progressivamente decrescente. O peso retido em cada peneira será então determinado e inserido na equação de Rosin-Rammler para calcular os parâmetros X50 e B. O cálculo do X50 determina o tamanho médio de partícula correspondente à abertura da peneira teórica através da qual passaria 50% do peso das partículas, enquanto os parâmetros B descrevem a homogeneidade da distribuição das partículas trituradas, com valores mais baixos correspondendo a distribuições mais homogêneas. Além disso, a eficiência mastigatória foi calculada de acordo com a porcentagem de peso retida nas peneiras de 5, mm e 2,8mm (ME 5,6 e ME 2,8) (FONTIJN-TEKAMP et al., 2000; (MARCELLO-MACHADO et al., 2017).

4.9.2 Força de Mordida
A força de mordida será analisada utilizando o gnatodinamômetro Kratos de Força Oclusal (modeo IDDKv4), usando três medidas de trinta segundos em cada um dos lados do arco do paciente (SCHIMMEL et al., 2017). O sensor será posicionado entre o segundo pré molar e primeiro molar e a medida será aferida por um avaliador treinado. O valor final será calculado a partir da média das três avaliações. Os lados com maior e menor valores de força de mordida serão denominados lado dominante e não-dominante, respectivamente (SHALA et al., 2018; POSSEBON et al., 2020).
4.9.3 Circunferência de Panturrilha
A circunferência da panturrilha (CP) será aferida com fita inelástica com o idoso na posição ereta, com os pés afastados 20 cm, na máxima circunferência no plano perpendicular à linha longitudinal da panturrilha (LOHMAN; ROCHE; MARTOREL, 1988). A medida foi realizada de forma padronizada, com três aferições para obtenção da média de três medidas, utilizando-se fita inelástica para todas as circunferências. A pesquisadora que coletou essas medidas foi devidamente treinada conforme técnica de Habicht (1994) para cálculo do erro técnico da medida a fim de atingir precisão e acurácia apropriadas para qualidade de dados de pesquisa científica (PAGOTTO et al., 2018).


4.9.4 Força de Preensão Palmar
A Força de Preensão Palmar será coletada através de dinamometria digital (aparelho INSTRUTHERM®, modelo DM9-0, com capacidade máxima de 90 quilos e graduação de 0.1 quilo). Para a aferição da FCC, o paciente permanecerá sentado conforme recomendação da Sociedade Americana de Terapeutas da Mão (SATM) (SOARES et al., 2012), com os quadris e joelhos a 90° de flexão, ombro em adução, cotovelo fletido a 90°, antebraço e punho em posição neutra (medioprono), enquanto o examinador sustenta o dinamômetro. Iniciando-se com a mão dominante, serão realizadas três medidas em cada lado, com intervalo de 20 segundos entre estas, com intuito de evitar fadiga muscular. A média será utilizada como referência neste estudo.
4.9.5 Timed “Up and Go”
O teste Timed “Up and Go” será realizado com o paciente levantando-se de uma cadeira comum, sem apoio para os braços, caminhando uma distância de três metros em um passo normal e seguro, girando 180º para retornar caminhando até a cadeira e sentando-se novamente. Aos participantes, será permitido o uso de mecanismos auxiliares (órteses como bengalas ou muletas), se necessário para completar o teste. O tempo para completar o teste será medido em segundos com um cronômetro, que será avaliado duas vezes. O tempo mais rápido será o score final do paciente utilizado como referência neste estudo (MAKIZAKO et al., 2017).

4.10 Desfechos centrados no paciente
4.10.1 Análise da Qualidade de vida relacionada a saúde bucal
I) OHIP-EDENT (ANEXO A)
Esse questionário avalia os aspectos físicos, funcionais, sociais e psicológicos do tratamento. Cada questão possui três respostas possíveis: nunca, às vezes, e sempre, cada recebendo uma pontuação correspondente em 0, 1 e 2, respectivamente.

II) GOHAI (ANEXO B)
Esse questionário avalia o auto relato dos pacientes a respeito da QVRSB em três domínios diferentes: Físico, Psicológico e Dor/Desconforto. Cada questão possui três respostas possíveis: sempre/frequentemente, às vezes/raramente e nunca, cada recebendo uma pontuação correspondente em 1, 2 e 3, respectivamente.
4.10.2 Análise multidimensional
I) Questionário de Avaliação Multidimensional da Pessoa Idosa (ANEXO C)
Esse questionário avalia o auto relato dos pacientes em relação à sua saúde geral, atividades básicas e instrumentais de vida diária, além de dados sobre sua estrutura social e familiar. Cada item do questionário receberá uma pontuação. Conforme a soma dos pontos obtidos, teremos a seguinte classificação: 0-5 pontos: idoso saudável; 6-10 pontos: idoso pré-frágil; > 11 pontos: idoso frágil.

Indicadores, Metas e Resultados

Metas e Indicadores:
Avaliar 100% dos pacientes da amostra quanto sua função mastigatória, através dos indicadores: performance mastigatória, limiar de deglutição e força de mordida.
Avaliar 100% dos pacientes da amostra quanto ao risco de desenvolvimento de sarcopenia, através dos indicadores: diâmetro da panturrilha, teste TUG e Força de Preensão Palmar.
Avaliar 100% dos pacientes da amostra quanto a qualidade de vida relacionada à saúde bucal, qtravés dos indicadores: OHIP-EDENT, GOHAI.
Avaliar 100% dos pacientes da amostra quanto sua condição geral de saúde, através da avaliação multidimensional da pessoa idosa AMPI.
Resultados esperados:
Espera-se que esta pesquisa seja capaz de rastrear os pacientes idosos com risco para o desenvolvimento de sarcopenia e relacionar o risco de desenvolvimento de sarcopenia com a função mastigatória e a qualidade de vida relacionada à saúde bucal. Os resultados poderão indicar um possível prejuízo na função mastigatória relacionado à diminuição da força muscular sistêmica e grau de fragilidade do idoso.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANNA PAULA DA ROSA POSSEBON
FERNANDA FAOT3
FERNANDA ISABEL ROMAN RAMOS
JORDANA KUNDE BERGMANN
LAURA LOURENÇO MOREL
LUCIANA DE REZENDE PINTO4
MARILIA SOARES DA FONSECA
OTACILIO LUIZ CHAGAS JUNIOR1

Página gerada em 07/08/2022 22:49:07 (consulta levou 0.484792s)