Nome do Projeto
Efeito de leveduras probióticas em ovinos infectados por Haemonchus contortus
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/05/2021 - 01/05/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Resumo
O sucesso da ovinocultura está diretamente ligado à ampla difusão e adaptação da espécie a diferentes climas, vegetações e relevos. No entanto a produção de ovinos apresenta diversos entraves, dentre eles as nematodioses gastrintestinais, destacando-se por sua patogenia e hegemonia a Haemoncose, causada pelo nematoide Haemonchus contortus. O manejo sanitário dos rebanhos baseia-se no uso de anti-helmínticos, no entanto, o uso indiscriminado destes fármacos tem induzido o desenvolvimento de resistência dos parasitos à maioria das moléculas disponíveis no mercado. Este experimento tem o objetivo de avaliar o efeito de leveduras probióticas em ovinos infectados por Haemonchus contortus. Idealizou-se usar ovinos infectados, divididos em: grupo controle (G1) – controle não tratado: ovinos parasitados que receberão apenas placebo, Grupo 2 (G2) – ovinos parasitados, suplementados com Saccharomyces cerevisiae, Grupo 3 (G3) - ovinos parasitados, suplementados com Saccharomyces boulardii , Grupo 4 (G4) – ovinos parasitados, suplementados com Pichia pastoris. O probiótico será administrado via oral, na concentração mínima de 1x107 UFC/ml. Proceder com coletas diárias de fezes para realização de OPG (Gordon & Whitlock 1939), e coprocultura (Roberts & O’Sullivan 1950), e coletas semanais de sangue para quantificação de imunoglobulinas, e microhematócrito. Levando-se em consideração os inúmeros casos de resistência às moléculas disponíveis no mercado, e os prejuízos causados a ovinocultura, sejam estes diretos, com a morte de animais, ou indiretos, como gastos com antiparasitários. É importante a busca de medidas alternativas, que possibilitem a redução de uso de anti-helmínticos no controle das parasitoses gastrointestinais de ovinos.

Objetivo Geral

Analisar a viabilidade da utilização de probióticos como ferramenta auxiliar no controle da hemoncose em ovinos.

Justificativa

Buscar medidas alternativas, que possibilitem a redução do uso de anti-helmínticos no controle das parasitoses gastrointestinais de ovinos.

Metodologia

Para a realização do experimento serão utilizados ovinos até 12 meses, provenientes do Centro Agropecuário da Palma. Os animais serão divididos em quatro grupos e permanecerão a campo, separados em quatros piquetes, com intuito de minimizar o stress causado aos animais. Ambos os grupos terão acesso à água, a área escolhida
6
para o experimento é composta por campo nativo melhorado com leguminosas, e gramíneas. O grupo 1 (G1) – controle não tratado: ovinos parasitados os que receberão apenas placebo, Grupo 2 (G2) – ovinos parasitados, suplementados com Saccharomyces cerevisiae, Grupo 3 (G3) - ovinos parasitados, suplementados com Saccharomyces boulardii , Grupo 4 (G4) – ovinos parasitados, suplementados com Pichia pastoris.
Antes de iniciar o experimento, os animais permanecerão trinta dias em adaptação a nova dieta e ambiente. Durante esse período será realizado o acompanhamento do nível de parasitismos do rebanho através da técnica de Gordon & Whitlock – OPG, caso se mostre necessário os animais receberão anti - helmínticos. Serão avaliados: Parâmetros parasitológicos - A coleta de fezes será realizada sete dias antes do inicio do experimento, diariamente, e sete dias após o termino do experimento. O material será coletado diretamente da ampola retal, armazenado em sacos plásticos e refrigerado para a realização da técnica de contagem de ovos por gramas de fezes – OPG (Gordon & Whitlock 1939), as mesmas amostras serão utilizadas para a recuperação de larvas infectantes pela técnica de coprocultura (Roberts & O’Sullivan 1950). Parâmetros sanguíneos e imunológicos - Os parâmetros imunológicos serão avaliados a partir do sangue coletado dos animais através da venopunção da veia jugular no 7°, 14°, e 28° dia de experimento, armazenado em tubos estéreis com EDTA e sem anticoagulante, e mantidos sob refrigeração. Os tubos sem anticoagulante serão centrifugados para obtenção do soro sanguíneo, que será armazenado em microtubos de 1,5 ml a -20°C para posterior análise. O objetivo será avaliar o percentual de células vermelhas através de microhematócrito, e quantificar anticorpos presentes no soro dos animais submetidos aos diferentes tratamentos.
Obtenção e administração das leveduras: As leveduras utilizadas neste estudo serão oriundas do banco de matérias do Centro de Biotecnologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Brasil. As culturas serão realizadas no Laboratório de Parasitologia molecular e imunologia aplicada no Departamento de Microbiologia e Parasitologia do Instituto de Biologia -UFPel. As leveduras devem ser semeadas e multiplicadas em meio liquido YPD (yeast extract, peptone dextrose) solidificado com 2% de ágar (Difco)
7
e incubada por 72 horas/28 ◦C. As leveduras serão repicadas em meio YPD líquido e permanecerão a temperatura de 28°C e agitação de 250 RPM, durante 72 horas. Após os três dias realizar a contagem em unidades formadoras de colônia (UFC), e armazenamento do cultivo em frascos âmbar a 4°C até a sua utilização. Esses probióticos serão administrados aos animais por via oral, diariamente, contendo 1x107 UFCs/ml.
Obtenção dos animais – Os ovinos selecionados para o experimento fazem parte do rebanho da Universidade Federal de Pelotas. Animais até um ano de idade, expostos as condições ambientais e infectados.

Indicadores, Metas e Resultados

Buscar alternativas para o controle de H. contortus, promovendo condições para que os animais possam expressar suas características genéticas atendendo sua finalidade na cadeia produtiva.
Almeja - se otimizar a resposta imunológica e sistêmica dos ovinos suplementados com S. cerevisiae, S. boulardii e P. pastoris.
Espera-se reduzir o número de ovos de H. contortus por grama de fezes, diminuindo a necessidade do uso de anti-helmínticos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FABIO PEREIRA LEIVAS LEITE1
FRANCISCO DENIS SOUZA SANTOS
JÉFERSON VIDART RAMOS
NATÁLIA BERNE PINTO
NEIDA LUCIA CONRAD
PAMELA ARISTIMUNHO SEDREZ
VITÓRIA MÜLLER

Página gerada em 02/07/2022 08:32:08 (consulta levou 0.078191s)