Nome do Projeto
ANÁLISE DO CICLO DE VIDA NO BENEFICIAMENTO DO ARROZ EM PELOTAS/RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
10/05/2021 - 09/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Resumo
A indústria de beneficiamento de arroz ocasiona impactos ambientais, principalmente pela forma em que os gestores optarem em relação ao meio ambiente. Uma gestão eficiente pode ser um diferencial competitivo e melhorar a imagem da empresa em relação às questões ambientais. Nesse contexto a presente pesquisa será realizada objetivando-se avaliar o ciclo de vida no beneficiamento de grãos de arroz na cidade de Pelotas/RS através do levantamento das entradas e saídas de matérias-primas e energia necessárias ao beneficiamento de arroz, indicando possíveis etapas críticas do beneficiamento que geram maiores impactos nos ecossistemas e na sociedade, assim como as possíveis alternativas para reduzir os impactos negativos e propor medidas de gerenciamento e corretivas para os resíduos agroindustriais do beneficiamento do cereal e, sugerir padrões mínimos de gerenciamento ambiental para industrias de beneficiamento de arroz. Os dados de inventário poderão ser modelados utilizando o software OPEN LCA, com o método CML-IA baseline versão 3.00/World 2000 apresenta as seguintes categorias de impacto: eutrofização, acidificação, oxidação fotoquímica, ecotoxicidade terrestre, ecotoxicidade aquática marinha, ecotoxicidade da água doce, toxicidade humana, depleção da camada de ozônio, aquecimento global e depleção abiótica.

Objetivo Geral

Verificar a geração de resíduos ao longo das fases do beneficiamento do grão de arroz em UBGs, na
cidade de Pelotas - RS, aplicando a análise de ciclo de vida ao processamento deste grão.

Justificativa

O arroz é um dos cereais mais importantes e cultivados mundialmente por ser bastante utilizado na alimentação humana (SANTOS, 2016). O Brasil tem enorme potencial no cultivo deste cereal, sendo o nono produtor mundial. O arroz, milho e soja são os principais cereais da safra brasileira responsáveis pela produção total de 93,1% (IBGE, 2018). A cadeia produtiva do arroz é essencial no setor social, econômico e cultural no Brasil, com consumo estimado em 12 milhões de toneladas/ano, evidenciada por proporcionar trabalho e renda estimulando a economia interna pois conta com um parque industrial nacional de beneficiamento bastante ampliado (CONAB, 2018). A região Sul do Brasil é a maior produtora de arroz, o Rio Grande do Sul com cerca de 70% do total da produção no Brasil, e Santa Catarina com produção de 9,8% na safra de 2015/2016. Estes dois estados são responsáveis por aproximadamente 80% da produção de arroz do país, assegurando abastecimento (SOSBAI, 2016). Seidel et al. (2011) relatam que o Sul do país é uma região significativa na produção, buscando alternativas tecnológicas para elevar a eficiência na cadeia produtiva, onde a oferta seja maior que a demanda. A importância do arroz incentiva a realização de pesquisas buscando a redução dos impactos ambientais gerados durante a cadeia produtiva. Saidelles et al. (2012) afirmam que a questão ambiental é uma preocupação das instituições públicas, privadas e da sociedade, sendo constatado que os produtos gerados atualmente devem ser produzidos, comercializados e consumidos considerando impactos ocasionados em cada fase do processo produtivo da rizicultura.
A indústria de beneficiamento de arroz ocasiona impactos ambientais, principalmente pela geração de
resíduos neste processo produtivo, assim há uma diversidade em relação ao potencial poluidor, principalmente pela forma em que os gestores optarem em relação ao meio ambiente (WALTER; ROSSATO, 2010). Daí a importância de se identificar e quantificar a geração de resíduos nas Unidades de Beneficiamento de Grãos (UBG) de arroz. A produção de resíduos ocorre, e quando a destinação é inadequada alterações na paisagem, assim como sobre a fauna e a flora, podem se tornar impactos negativos, contudo, a preservação dos recursos naturais e a reutilização de resíduos devem ser consideradas para diminuir tais impactos, pois atrelado aos resíduos está a perda de matéria prima e de energia com gastos para controle da poluição (SAIDELLES et al, 2012). De acordo com Martignago e Jorge (2014) nas agroindústrias a implantação do sistema de gestão ambiental é relevante, sendo necessário seguir a normatização desde o cultivo até a comercialização do produto, conhecendo assim todo processo e buscando alternativas para torná-lo sustentável, socialmente e ambientalmente adequadas. As políticas de produção sustentável, como por exemplo a diminuição de emissão de gases do efeito estufa e de uso de energia, atualmente ganham maiores extensões nos setores industriais e ou agroindustrial, sendo estes aspectos convertidos em incentivo financeiro. Assim através da utilização da Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) pode se verificar os impactos ambientais ocasionados por um produto ou processo, identificando o balanço das entradas e saídas de matérias-primas e de energia. (DRAGUETTI et al., 2014). As agroindústrias podem utilizar ACV para obter acesso a mercados, por meio de declarações ou rotulagens ambientais de seu produto.
Ante o exposto, esta pesquisa tem por objetivo identificar os resíduos oriundos do beneficiamento de
arroz, quantificando as entradas e saídas de matéria e energia e apontando qual etapa do beneficiamento é mais impactante para o meio ambiente e propor soluções para minimizar os efeitos do processamento de grãos de arroz.

Metodologia

A proposta de trabalho será desenvolvida com base em revisão de literatura com temática voltada para o
beneficiamento de grãos de arroz e sua interface com a gestão ambiental. Será realizada também pesquisa de
campo para identificar as UBGs e só então um ofício será enviado a cada uma delas solicitando para verificar a disponibilidade destas em colaborar para com esta pesquisa. Tendo realizado o levantamento de informações, a legislação relacionada com a atividade agroindustrial e o seu impacto potencial sobre o meio ambiente será consultada tendo em vista apontar alternativas viáveis respeitando padrões existentes.
Caracterização da Área Estudada
A pesquisa será desenvolvida no município de Pelotas, estado do Rio Grande do Sul, localizada a 261
quilômetros de Porto Alegre, capital do estado. A população deste município, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 341.648 habitantes, sendo a terceira cidade mais populosa do estado.
Pelotas, cidade industrializada, a qual está inserida na cadeia agroindustrial orizícola da região sul, é
listada como a que detém o maior número de unidades de beneficiamento de arroz, isso em 2012, a qual contava com 24 unidades beneficiadoras (FREITAS, 2014).
Construção dos Cenários
Será realizado a identificação de todas as agroindústrias de beneficiamento de grãos de arroz na cidade de Pelotas-RS para só então solicitar através de um ofício as informações sobre o processo de beneficiamento de grãos de arroz. Algumas informações serão baseadas na revisão de literatura, proveniente de pesquisas cientificas realizadas na região e ou trabalhos semelhantes.
Será realizado um inventário base para ser preenchido e que englobe todas as etapas de beneficiamento do arroz, através de visitas a empresa, para a posterior construção do fluxograma de beneficiamento para cada UBG que responder positivamente ao ofício enviado.
Durante as visitas será identificada a presença e ou ausência de práticas de gestão ambiental, bem como os procedimentos utilizados ou que podem ser adotados para minimizar os impactos ambientais decorrentes das atividades desenvolvidas.
A pesquisa irá considerar as etapas do beneficiamento do arroz que são descritas por Saidelles et al (2012) para identificar a produção de resíduos em cada uma das etapas a seguir: chegada do caminhão na indústria
(recepção), pesagem e amostragem, recepção na moega, pré-limpeza, secagem, limpeza, descascamento, brunimento, seleção e pôr fim a embalagem.
Inventário do ciclo de vida
Neste inventário, será quantificada todas as entradas (resíduos, energia, materiais) e saídas (emissões para
o ar, para a água e resíduo final) do sistema de beneficiamento de grãos de arroz, dessa forma segundo Simon (2013) evidenciar qual etapa se mostrará mais crítica em termos de consumo de energia e em produção de resíduos.
A coleta de dados se dará por meio do inventário do ciclo de vida (ICV), como disposto pela ISO 14040, contendo como informações iniciais a serem solicitadas as entradas e saídas da agroindústria de beneficiamento de arroz. A disponibilização de dados de ICV é a base para a realização de estudos de ACV, obrigatoriamente necessários à rotulagem ambiental tipo III e, onde especificado, na realização de rotulagens do tipo I.
Todos os dados de inventário poderão ser modelados utilizando o software OPEN LCA. Os fatores de
caracterização aplicados a cada categoria de impacto são os propostos pelo método CML (GUINEE, 2001). O
método CML-IA baseline versão 3.00/World 2000 apresenta as seguintes categorias de impacto: eutrofização,
acidificação, oxidação fotoquímica, ecotoxicidade terrestre, ecotoxicidade aquática marinha, ecotoxicidade da água doce, toxicidade humana, depleção da camada de ozônio, aquecimento global e depleção abiótica.

Indicadores, Metas e Resultados

- Identificação e quantificação e quantificação dos principais impactos ambientais e alternativas de gestão
ambiental, reduzindo os impactos ao meio ambiente existentes devido ao funcionamento de UBG de arroz na
cidade de Pelotas - RS;
- Otimização no beneficiamento de arroz reduzindo as perdas e elevando a reutilização dos resíduos gerados;
- Determinar os efeitos do funcionamento de uma UBG de arroz sobre o meio ambiente;
- Propor soluções para adequação de serviços/atividades desenvolvidas bem como de maquinário utilizados pelas
- UBG de arroz que possam ser implantadas para melhorar o desempenho produtivo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA PAULA ROZADO GOMES
GIZELE INGRID GADOTTI1
LÍLIAN DE QUEIROZ FIRMINO
Viviane Farias Silva

Página gerada em 27/05/2024 21:17:21 (consulta levou 0.133890s)