Nome do Projeto
Iniciação ao Handebol Escolar na UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
06/03/2017 - 13/06/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Saúde
Linha de Extensão
Esporte e lazer
Resumo
O presente projeto tem como objetivo geral disseminar, potencializar e qualificar a prática da iniciação ao Handebol na comunidade escolar de Pelotas, assim como busca tornar vivo e potente os princípios da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão na vida acadêmica de todos (as) os (as) graduandos (as) envolvidos (as). A implementação do referido projeto está a cargo dos estudantes de Educação Física da ESEF/UFPel, sob a supervisão e orientação de professores da referida instituição e se pauta em dois eixos de ações, que são a realização de oficinas de iniciação ao Handebol, efetivadas nas diferentes escolas do município, assim como na formação de um grupo de Handebol de base, envolvendo estudantes de Pelotas, na faixa etária de dez a quatorze anos, de ambos os sexos, que acontecerá no ginásio da ESEF/UFPel.

Objetivo Geral

O presente projeto tem como objetivo geral disseminar, potencializar e qualificar a prática da iniciação ao Handebol na comunidade escolar de Pelotas, assim como busca tornar vivo e potente os princípios da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão na vida acadêmica de todos (as) os (as) graduandos (as) envolvidos (as).

Justificativa

O esporte é um direito de todo o cidadão, como pode ser verificado no artigo 217 da Constituição Federativa do Brasil, no Título VIII – da Ordem social, no Capítulo III – Da Educação, da Cultura e do Desporto, em que estabelece “É dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, como direito de cada um”. Impera, neste sentido, a necessidade de ações que viabilizem a democratização, valorização e acesso ao esporte, visto que, o mesmo, possui grande capacidade de mobilização e integração, resgatando os sujeitos para uma vida mais saudável, segura e solidária. As práticas esportivas, em suas diferentes manifestações, são constituintes da vida social, impulsionam relações entre pessoas e grupos, renovando vivências e laços de solidariedade, podendo proporcionar o desenvolvimento humano, gerando processos mais amplos de percepção e melhoria da qualidade de vida. Considerando que a iniciação da criança na prática esportiva se dá, na maioria das vezes, no ambiente escolar, tal instituição torna-se um potente local para buscarmos, através do desenvolvimento do Handebol escolar, trabalhar com valores como socialização, responsabilidade, cooperação, respeito, liderança, personalidade, persistência e vida saudável.

Metodologia

Metodologia – O presente projeto terá início com a divulgação junto aos (às) graduandos (as) da ESEF, buscando selecionar discentes interessados (as) em compor um grupo de pessoas responsáveis pela conduta do projeto como um todo. A seguir será feito uma capacitação do grupo de trabalho, em que serão organizados encontros de discussão e de qualificação dos (as) estudantes envolvidos (as), enfatizando as temáticas relacionadas à iniciação do Handebol. Posteriormente será feito o contato com os órgãos gestores da comunidade escolar de Pelotas, visando a apresentação do projeto e a autorização para a realização do mesmo. Como passo seguinte, a presente proposta de trabalho, se desenvolverá a partir de duas ações principais, conforme passo a descrever:
Ação 01 – Oficinas de Iniciação ao Handebol – A referida ação terá como objetivo disseminar a prática do Handebol nas instituições escolares de Pelotas, assim como identificar crianças e jovens com potencial para a prática do referido desporto nas escolas envolvidas. Tal ação terá início a partir do mapeamento das escolas interessadas, assim como pela identificação dos educandários que participaram mais intensamente dos Jogos Escolares de Pelotas (JEPEL) no último ano. Como passo seguinte será feito um contato telefônico com as escolas visando acerto sobre a data de início e em relação aos horários. Ao recebermos o retorno dos discente envolvidos, organizaremos um cronograma semanal e realizaremos uma primeira visita nas escolas, com o objetivo de observarmos os alunos, para identificar se os mesmos já tinham experiência no Handebol, assim como para um reconhecimento das características dos grupos a serem trabalhados. Em seguida, a partir da identificação das turmas, serão planejadas as atividades a serem desenvolvidas e partiremos para a execução das oficinas propriamente ditas. Cada oficina trabalhada terá uma duração de uma hora e trinta minutos, sendo ministradas por dois estagiários e acompanhadas por um dos professores coordenadores, funcionando a partir de atividades de iniciação específica ao Handebol, em que serão desenvolvidos principalmente os fundamentos básicos do referido desporto. No decorrer do projeto serão realizadas reuniões, entre todos os estagiários e coordenadores, para avaliar como foram as oficinas ministradas, buscando conversar sobre as dificuldades encontradas e procurando soluções, assim como ainda serão discutidas as próximas atividades a serem desenvolvidas, visando o prosseguimento do projeto.

Ação 02 – Formação de um Grupo de Handebol de Base – Trata-se de um trabalho de iniciação específico ao Handebol, que ocorrerá nas dependências do ginásio da ESEF, aberto a toda a comunidade escolar, visando a formação de um grupo de base, na faixa etária de dez a quatorze anos, nos naipes masculino e feminino. As aulas serão ministradas pelos discentes do curso de Educação Física da ESEF, sob a supervisão dos coordenadores do projeto, nas segundas e quartas feiras, no horário das 18h às 19h30m. Saliente-se ainda, que as oficinas, previstas na ação 01, servirão também de divulgação e de espaço de identificação de alunos (as) que poderão compor esse grupo de trabalho de base.
JUSTIFICATIVA: O esporte é um direito de todo o cidadão, como pode ser verificado no artigo 217 da Constituição Federativa do Brasil, no Título VIII – da Ordem social, no Capítulo III – Da Educação, da Cultura e do Desporto, em que estabelece “É dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, como direito de cada um”.
Impera, neste sentido, a necessidade de ações que viabilizem a democratização, valorização e acesso ao esporte, visto que, o mesmo, possui grande capacidade de mobilização e integração, resgatando os sujeitos para uma vida mais saudável, segura e solidária.
As práticas esportivas, em suas diferentes manifestações, são constituintes da vida social, impulsionam relações entre pessoas e grupos, renovando vivências e laços de solidariedade, podendo proporcionar o desenvolvimento humano, gerando processos mais amplos de percepção e melhoria da qualidade de vida.
Considerando que a iniciação da criança na prática esportiva se dá, na maioria das vezes, no ambiente escolar, tal instituição torna-se um potente local para buscarmos, através do desenvolvimento do Handebol escolar, trabalhar com valores como socialização, responsabilidade, cooperação, respeito, liderança, personalidade, persistência e vida saudável.
O trabalho de Handebol nas escolas é, sem dúvida, uma das práticas esportivas coletivas, que apresenta uma permanente aceitabilidade entre os educandos, por se tratar de uma atividade de fácil aplicação, variada, empolgante, lúdica e pedagógica, tornando-se assim um potente instrumento de uma educação voltada para o exercício pleno da cidadania.

Indicadores, Metas e Resultados

O presente trabalho espera atingir o maior número possível de escolas e congregar os estudantes das instituições de ensino públicas (municipais e estaduais) e privadas no município de Pelotas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA VALÉRIA LIMA REIS
ERALDO DOS SANTOS PINHEIRO4
LARA VINHOLES
ROSE MERI SANTOS DA SILVA4
SAMANTA DA CRUZ MOREIRA
UBIRAJARA AMARAL VINHOLES

Página gerada em 03/07/2022 05:03:17 (consulta levou 0.061570s)