Nome do Projeto
Estudo da percepção de tutores de cães sobre o diagnóstico e o tratamento da obesidade canina
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/06/2021 - 31/12/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
A obesidade é uma condição patológica definida como o acúmulo excessivo de gordura devido ao desequilíbrio crônico entre a energia ingerida e a energia gasta que pode estar relacionada a fatores como o estilo de vida, genética e alterações endócrinas. Estudos indicam que tutores que não consideram a obesidade como uma doença mostraram tendência em ter cães com sobrepeso ou obesos, deduzindo-se que uma das formas de prevenir a obesidade em cães seria melhorar as estratégias educacionais e promover a difusão de conhecimento sobre esta doença e os meios para evitá-la. Este estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa tem o objetivo de quantificar dados sobre a percepção dos tutores de cães que foram tratados ou que estão em tratamento para a obesidade com relação à aceitação do diagnóstico e de detalhes inerentes ao tratamento, tais como: por quem foi indicado, a impressão do tutor sobre as perspectivas, o manejo com o cão, o cumprimento das indicações terapêuticas, dos custos e dos resultados do tratamento para a obesidade canina. Os tutores de cães serão convidados a responder um questionário online divulgado por meio das mídias digitais. Os dados serão analisados descritivamente. As informações da pesquisa auxiliarão a melhorar o atendimento de cães obesos e serão utilizadas para difundir informação sobre a obesidade canina para a comunidade que frequenta o Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal de Pelotas por meio de panfletos, cartazes e mídia digital.

Objetivo Geral

Quantificar dados sobre a percepção dos tutores de cães que foram tratados ou que estão em tratamento para a obesidade com relação à aceitação do diagnóstico e de detalhes inerentes ao tratamento, tais como: por quem foi indicado, a impressão do tutor sobre as perspectivas, o manejo com o cão, o cumprimento das indicações terapêuticas, dos custos e dos resultados do tratamento para a obesidade canina.
Utilizar as informações levantadas na pesquisa para difundir informação sobre a obesidade canina para a comunidade que frequenta o Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal de Pelotas por meio de panfletos, cartazes e mídia digital.

Justificativa

A obesidade é definida como o acúmulo excessivo de gordura corporal que ocorre devido a um desequilíbrio crônico entre a energia ingerida e a energia gasta. Esta afecção, classificada como síndrome, pode estar relacionada a diversos fatores como estilo de vida, genética e alterações neuroendócrinas (JERICÓ et al., 2015). Em um estudo nacional realizado por Aptekmann et al. (2014), sobre aspectos nutricionais e ambientais dos cães obesos, foi observado que, de 254 cães, 52% apresentavam obesidade. Outro estudo que avaliou a prevalência da obesidade canina na população do município de São Paulo resultou em 14,6% de cães obesos (PORSANI, 2019). Os dados de um estudo realizado por Muñoz-Prieto et al. (2018) sobre a percepção dos tutores em relação à obesidade e aos fatores associados à obesidade canina e humana na Europa, indicaram que os tutores que não consideravam a obesidade como uma doença, mostraram uma tendência a ter cães com sobrepeso ou obesos, deduzindo-se, então, que uma das possíveis maneiras de prevenir a obesidade seria melhorar as estratégias educacionais e promover mais ativamente a conscientização e a difusão de conhecimento sobre esta doença e os meios para evitá-la.
Alguns autores comentam que o crescimento na frequência de obesidade em cães se espelha com a observada em humanos, inclusive alguns fatores nos tutores podem ser relacionados com a ocorrência desta doença nos animais, como estilo de vida, peso corporal, educação alimentar, grau de exercício físico, entre outros (APTEKMANN et al., 2014; GERMAN, 2006; ZORAN, 2010). Segundo o Ministério da Saúde, a taxa de obesidade nos brasileiros atingiu 19,8% em 2018, sendo a maior taxa registrada nos últimos 13 anos (VIGITEL BRASIL, 2019).
Em um estudo sobre a sobrevida de cães submetidos à restrição de dieta, observou-se que os animais que receberam alimento em quantidade restrita apresentaram condição corporal ideal e viveram 1,8 anos a mais do que os cães que receberam alimento em quantidade maior que o primeiro grupo, o que demonstra que os animais que tiveram maior sobrevida eram os mais magros (LAWER et al., 2005). No mesmo estudo, observou-se a relação da massa magra e da massa gorda como fatores preditivos de até um ano antes da morte do animal, concluindo-se que o alto percentual de massa magra tem efeito protetor para o fator óbito, enquanto que o alto percentual de massa gorda relaciona-se com o óbito (LAWER et al., 2005).
Segundo Yam et al. (2016), na maioria das vezes os humanos são responsáveis pelo seu próprio estilo de vida, podendo ser influenciado por fatores sociais. Entretanto, os cães são dependentes dos tutores e podem ser completamente influenciados pelas preferências e hábitos dos próprios tutores, assim, a conscientização dos tutores é uma ferramenta muito importante no combate à obesidade canina.
Neste sentido, este trabalho pretende contribuir para a melhor compreensão sobre os impactos do diagnóstico e do tratamento da obesidade, sob a visão dos tutores destes cães.

Metodologia

Será realizado um estudo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa, por meio de aplicação de questionário online no formato Google Forms, com abrangência nacional e divulgado por meio das mídias digitais (Instagram, Facebook, email e WhatsApp). Para responder os questionários, serão convidados tutores ou responsáveis de cães diagnosticados com obesidade e que foram tratados ou que estão em tratamento para esta condição metabólica. O questionário foi submetido para avaliação do Comitê de Ética em Pesquisa e aprovado sob parecer 4.667.581.
No início do questionário online, uma descrição sucinta da pesquisa e o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido serão apresentados ao participante. Ao concordar em participar da pesquisa, o participante deverá registrar um email válido e escolher a opção “sim” para a pergunta “Aceita participar desta pesquisa?”. A seguir, o participante terá acesso às demais etapas do questionário. No caso de recusa em participar da pesquisa, o participante deverá escolher a opção “não” e o questionário será encerrado. Uma cópia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido assinado pela responsável pela pesquisa será enviada ao email dos participantes que aceitaram responder os questionários.
O número estimado de respostas obtidas é de 200. As respostas dos questionários gerarão dados registrados em planilhas que serão avaliados por estatística descritiva, avaliados por média, desvio padrão e valores mínimos e máximos. Gráficos serão confeccionados para auxiliar na interpretação dos dados.
Será elaborado material para promoção da saúde à comunidade geral dos resultados da pesquisa, principalmente sobre como identificar o problema e como preveni-lo, divulgando-o por meio de panfletos e cartazes no HCV/UFPEL e material digital pelo Instagram do grupo de pesquisa, ensino e extensão EndocrinoPeq UFPEL.

Indicadores, Metas e Resultados

Estima-se elaborar um documento que elenque as principais dificuldades que o tratamento da obesidade representa na rotina dos tutores, e que contribua de maneira positiva na compreensão da obesidade como uma enfermidade metabólica importante em cães. Espera-se que o material elaborado encoraje os tutores a atuar eficazmente na prevenção da obesidade canina. Por fim, pretende-se elaborar material visual impresso e digital para divulgação no HCV/UFPel e no Instagram do grupo de pesquisa, ensino e extensão EndocrinoPeq UFPEL, de resumos para congressos da área e de artigos para publicação em periódicos sobre saúde animal.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADELINE BOGO MADRIL
ANA JÚLIA RODRIGUES TEIXEIRA RAMOS
CAMILA MOURA DE LIMA
GABRIELA MORAIS SANTANA
GRAZIELE SILVEIRA DA COSTA
MARCIA DE OLIVEIRA NOBRE3
MARIANA CRISTINA HOEPPNER RONDELLI3
MARINA SOHN KÜHL
MIRIANE MENDES PEREIRA
PETER DE LIMA WACHHOLZ

Página gerada em 03/07/2022 04:54:20 (consulta levou 0.065156s)