Nome do Projeto
Associação da doença periodontal com o câncer de pulmão em pacientes em tratamento quimioterápico: um estudo transversal
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
09/08/2021 - 17/02/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
As doenças periodontais, podem ter, além de efeitos locais na dentição e tecidos de suporte dentário, associação com uma série de doenças sistêmicas. Uma resposta inflamatória exacerbada pode induzir a proliferação celular e a liberação de subprodutos carcinogênicos dos patógenos periodontais, podendo promover a iniciação do câncer em diversos órgãos. O câncer de pulmão é a neoplasia maligna mais frequentemente diagnosticada em todo o mundo e a principal causa de mortes relacionadas a tumores. Dentre suas modalidades terapêuticas está a quimioterapia, tratamento que, frequentemente, causa diversos efeitos colaterais, incluindo severas complicações bucais no paciente oncológico. Doenças periodontais pré-existentes podem se agravar ou também afetar o resultado do tratamento quimioterápico, levando a complicações locais e sistêmicas e diminuindo a qualidade de vida. Diante disso, o objetivo do presente estudo é avaliar a associação entre a doença periodontal e o câncer de pulmão em pacientes em tratamento quimioterápico. Um total de 114 pacientes, diagnosticados com câncer de pulmão e em tratamento quimioterápico no Serviço de Oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas e também no Centro de Radioterapia e Oncologia da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas serão incluídos. Em uma primeira sessão, será realizada uma entrevista dialogada para coleta de dados sociodemográficos e análise do prontuário médico de cada paciente. Além disso, um questionário de autopercepção de saúde periodontal será aplicado individualmente e o exame clínico periodontal será realizado, e incluirá os seguintes parâmetros: índice de placa visível, índice de sangramento gengival, profundidade de sondagem, sangramento à sondagem e nível de inserção clínica. Em uma segunda sessão, será feita a coleta do fluído gengival e o DNA das cepas de quatro tipos de bactérias será utilizado para padronização das técnicas de PCR e PCR em tempo real, para posteriormente quantificar as espécies bacterianas. Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística, considerando o nível de significância de 5%.

Objetivo Geral

Avaliar a ocorrência de doenças periodontais e seus fatores associados em pacientes em tratamento quimioterápico para o câncer de pulmão.

Justificativa

Este estudo justifica-se pela importância do controle da saúde bucal em pacientes submetidos ao tratamento oncológico, especialmente o quimioterápico. Muitos efeitos colaterais surgem concomitantes a esse tipo de terapia, sendo a cavidade bucal frequentemente acometida. É fundamental que haja um acompanhamento desses pacientes pelo CD, em todas as etapas do tratamento antineoplásico, a fim de realizar o preparo prévio da condição bucal e prevenir infecções secundárias que possam prejudicar o decorrer do tratamento oncológico. Além disso, é importante compreender a importância da saúde bucal para esses indivíduos, bem como a autopercepção de saúde oral que eles possuem, avaliando se as mesmas estão condizentes com a verdadeira situação clínica, avaliada pelo profissional.

Metodologia

3.1 Delineamento do estudo
Este estudo caracteriza-se como observacional transversal e será desenvolvido no Serviço de Oncologia da Faculdade de Medicina (Famed) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), e no Centro De Radioterapia e Oncologia (CERON) da Santa Casa de Misericórdia, ambos na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. A amostra será composta por 114 pacientes adultos em tratamento quimioterápico para o câncer de pulmão. Estipula-se que o período de coleta do estudo ocorrerá entre agosto de 2021 e fevereiro de 2022. Será realizada uma entrevista dialogada e aplicado um questionário semiestruturado sobre a autopercepção de saúde bucal, individualmente com cada participante do estudo. Informações clínicas como o tipo de tumor, tempo do diagnóstico anatomopatológico, tratamentos implementados (cirúrgico ou medicamentoso), estadiamento, protocolo quimioterápico, duração da quimioterapia, medicamentos de uso contínuo e outras doenças sistêmicas serão obtidos a partir dos prontuários dos pacientes. Além disso, exames clínicos periodontais serão realizados com o objetivo de avaliar a condição periodontal dos pacientes e coleta de fluido crevicular gengival (FCG), para análise microbiológica.
3.2 Aspectos éticos
Este projeto será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Faculdade de Odontologia da UFPel; ao CEP do Hospital Escola (HE) da UFPel e ao CEP da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas. Apenas após a aprovação nos CEPs, a coleta de dados será iniciada. Todas as pessoas convidadas a participar do estudo serão informadas sobre seus objetivos, riscos e benefícios. Em caso de aceite, receberão um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE – Apêndice A), o qual deverá ser lido e assinado pelo paciente, comprovando que o mesmo concorda e consente com sua participação na pesquisa.
3.3 População do estudo, critérios de inclusão e exclusão
Serão incluídos pacientes que estejam em tratamento quimioterápico para o tratamento de câncer de pulmão, no Setor de Oncologia da Famed da UFPel e no Centro De Radioterapia e Oncologia (CERON) da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas. Os critérios para inclusão dos participantes no estudo serão os seguintes:
1- Ter 18 anos ou mais; 2- Possuir diagnóstico de câncer de pulmão como tumor primário em seus diferentes subtipos; 3- Apresentar no mínimo 8 dentes permanentes em boca. Não serão utilizadas restrições quanto ao estadiamento do tumor.
Os critérios para exclusão dos participantes no estudo serão os seguintes:
1- Ter menos de 18 anos; 2- Possuir diagnóstico de tumor primário que não seja em pulmão; 3- Desdentados totais ou com menos de 8 dentes permanentes em boca; 4- Pacientes com doenças sistêmicas não compensadas (diabetes, cardiopatias, discrasias sanguíneas, dislipidemias, doenças imunológicas); 5- Pacientes que não estejam em cuidados paliativos; 6- Pacientes com doença autoimune; 7- Pacientes usuários de drogas ilícitas; 8- Usuários de medicamentos que podem causar hiperplasia gengival medicamentosa, como antiepiléticos (fenitoína), bloqueadores de canais de cálcio (nifedipina) e imunossupressores (ciclosporina)
9- Ter realizado tratamento periodontal ou utilizado antibióticos nos últimos 6 meses.

3.4 Cálculo amostral
O cálculo da amostra foi baseado em estudo clínico prévio, com objetivo avaliar o perfil periodontal de pacientes com diferentes tipos de tumores sólidos em tratamento quimioterápico (VOZZA et al., 2015). Sendo assim, utilizando a prevalência de 35,2 % de periodontite reportada na população estudada e se objetivando um poder de 80%, a um nível de significância de 5%, o tamanho da amostra calculado foi de 95 participantes. Considerando possíveis perdas e recusas, foi acrescentado 20% na amostra, totalizando 114 participantes.

3.5.Questionário de autopercepção de saúde periodontal
Na avaliação da autopercepção da condição periodontal, será utilizado um questionário de REINIGER et al. (2020) (Anexo A), para análise dos sinais e sintomas de doença periodontal percebidos pelos próprios pacientes. Serão aplicadas nove questões (Q), das quais oito representam três domínios distintos:
1- Doença periodontal autopercebida: Q1 e Q2;
2- História de periodontite autopercebida: Q3, Q4 e Q5;
3- Doença periodontal diagnosticada pelo dentista: Q6, Q7 e Q8.
As questões Q1, Q3, Q4, Q5, Q6, Q7, Q8 e Q9 apresentarão respostas binárias (sim ou não). Já a pergunta Q2, terá suas respostas transformadas em um sistema de dois níveis: “excelente”, “muito boa” e “boa” serão considerados como autopercepção de condição periodontal boa; “ruim” e “muito ruim” serão considerados como autopercepção ruim.
A autopercepção da condição periodontal será positiva se o participante responder “sim” ou “bom” a pelo menos uma questão do primeiro domínio (Q1 e Q2). Já a autopercepção de histórico de periodontite será positiva se houver pelo menos uma resposta “sim” ao segundo domínio (Q3, Q4 e Q5). Ainda, será inferido relato positivo de doença periodontal diagnosticada pelo dentista caso o paciente resposta “sim” a pelo menos uma pergunta do terceiro domínio (Q6, Q7 e Q8).

3.5.1 Diagnóstico periodontal

Após o exame clínico periodontal, os pacientes serão diagnosticados conforme a Classificação das Doenças e Condições Periodontais, proposta em 2017 pela Academia Americana de Periodontia e pela Federação Europeia de Periodontia (PAPAPANOU & SANZ et al., 2018). Os indivíduos que apresentarem SS serão diagnosticados com gengivite induzida por biofilme, a qual será localizada (entre 10% e 30% dos sítios com sangramento marginal) ou generalizada (mais de 30% dos sítios com sangramento marginal).
Caso o paciente apresente SS positivo associado à perda de inserção periodontal interproximal em pelo menos dois sítios não vizinhos, receberá o diagnóstico de periodontite, a qual será caracterizada conforme seu estágio e grau. Os estágios da doença representam sua gravidade, complexidade e extensão, podendo ser divididos em I, II, III e IV. Já os graus, A, B ou C, avaliam as evidências direta e indireta de progressão, além dos fatores de risco associados. Condições de perda de inserção para as faces livres serão avaliadas conforme a Classificação citada anteriormente.
A classificação de cada paciente será realizada de acordo com as tabelas disponíveis no Anexo B. Serão considerados saudáveis aqueles que não apresentarem SS e tiverem valor de ISG menor que 10%.
3.8 Análise dos resultados

Análise dos Resultados: Os dados serão tabulados e submetidos à análise estatística para verificar a ocorrência de associação entre as patologias. A normalidade dos dados será analisada e os mesmos serão submetidos ao teste paramétrico ou não paramétrico mais adequado. Para todos os testes, o indivíduo será a unidade de análise, e um nível de significância de 5% será adotado. Os dados serão analisados utilizando-se o programa de computador SPSS Statistics, versão 20.0 (SPSS Inc., Chicago, IL, EUA).


Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que seja identificada a prevalência das doenças periodontais nesses pacientes oncológicos e se identifique a melhor estratégia de abordagem para o tratamento das condições, com o objetivo de melhorar a progressão do tratamento e também a qualidade de vida dos pacientes.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE FERNANDES E SILVA
FRANCISCO WILKER MUSTAFA GOMES MUNIZ1
MARIANA DA SILVA MUÑOZ
NATALIA MARCUMINI POLA2

Página gerada em 10/08/2022 01:36:42 (consulta levou 0.120873s)