Nome do Projeto
Visualidades e Docência: emergências e contingências no Ensino de Artes Visuais
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/06/2021 - 31/08/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
Com a suspensão das aulas nas redes pública e privada, em função da pandemia de COVID-19 em 2020, as escolas são fechadas (em sua maioria) e os alunos permanecem em casa com a orientação dos professores por meio do ensino remoto. Os recursos tecnológicos estão sendo largamente utilizados: materiais digitais, orientações em redes sociais enviadas pelo professor para o acesso dos estudantes de forma assíncrona, videoaulas gravadas pelos professores, mediações realizadas por familiares dentre outras possibilidades. O smartphone, outrora proibido, hoje se torna a principal mídia de interação entre escola, gestão, professores e alunos. Além disso, o envolvimento dos pais e responsáveis pelos alunos na realização das tarefas remotas demanda novas organizações no cotidiano das famílias. Nossa vida se dá em meio a telas, imagens e sons, o isolamento e a dispersão se tornam componentes indissociáveis nos processos de ensino e aprendizagem. Assim, as visualidades na cibercultura, em suas diversas manifestações, sentidos e mídias se tornam as principais fontes de intermediação entre alunos e professores, em especial, no Ensino de Artes Visuais. Porém, as visualidades e as mídias associadas, ainda que possam auxiliar os professores em seu ensino, trazem diferentes questionamentos em termos de recursos, acesso, criação, adaptação de formas semelhantes ou divergentes às práticas utilizadas no ensino presencial, provocando emergências e contingências para a educação, em especial no caso a ser estudado, nas Artes Visuais.

Objetivo Geral

Compreender as relações estabelecidas entre as visualidades e as práticas de ensino de professores de Artes Visuais em termos de emergências e contingências ocorridas pelas transformações nas formas de educação remota/presencial.

Justificativa

O Ensino de Artes Visuais em contexto remoto e pandêmico, a partir da incidência de instabilidades, transformações e desafios no trabalho docente, faz com que o espaço escolar seja deslocado para os espaços das casas de alunos e professores. Os laços de confiança na relação família-escola e a presença dos professores como personagens indispensáveis neste contexto desafiador, promove situações emergenciais e contingenciais, onde as artes e suas práticas educativas podem se constituir em formas de [re]conhecimento e transformação social em meio à cibercultura. Desta forma, é relevante pesquisar sobre as relações entre as visualidades e as práticas de ensino dos professores de Artes Visuais neste contexto.

Metodologia

Qualitativa. Instrumentos de pesquisa: questionários, entrevistas, observações de aula (caso possíveis, dependendo do contexto), registros escritos e fotográficos, grupos de discussão em sites de redes sociais e estudo de materiais didáticos dos professores, como também, relatos e escritos que por ventura possam ser cedidos pelos profissionais.

Indicadores, Metas e Resultados

Investigação acerca das práticas de ensino realizadas pelos professores, propiciando o conhecimento e a reflexão nas trocas acadêmicas/escolares que visam contribuir para o campo da formação de professores(as) em contexto de excepcionalidade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA GURGEL PONTES
Adriene Coelho Ferreira Jerozolimski
CLEISON RAFAEL GOULART DA SILVA
Claudia Rekowsky Bistrichi
Denner Rodrigues Goulart
FABIANA LOPES DE SOUZA
Gabriela Paludo Sulczinski
HENIELE PINHEIRO LEAL
JOSENILDO SANTOS DE SOUZA
LIZIANE ALDRIGHI LEMOS
MARISTANI POLIDORI ZAMPERETTI4
RITA MARTINS VILELA
VERONICA DE LIMA

Página gerada em 25/06/2022 18:04:43 (consulta levou 0.074850s)