Nome do Projeto
Fatores associados a condições de saneamento na zona rural de Pelotas/RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
25/05/2021 - 24/02/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Saneamento compreende um conjunto de medidas que envolvem abastecimento de água, gestão adequada dos resíduos sólidos e esgotamento sanitário. As condições de saneamento têm um papel fundamental no desenvolvimento sustentável, na qualidade de vida das pessoas e controle de doenças. O sul do Brasil tem sido a região com maior acesso a saneamento básico, nestes territórios 98,8% dos domicílios têm rede de abastecimento de água, 94,8% possuem serviço de coleta de resíduos sólidos e 81,6% possuem rede de esgoto. Mesmo assim na zona rural, apenas 40% dos domicílios possuem rede esgoto sanitário e 58% tem acesso a coleta de lixo. Dados sobre as condições de saneamento rural são escassos, a maioria das investigações comparam os territórios urbanos e rurais, revelando desigualdades significativas. Trabalhos que investiguem as condições nas comunidades rurais são necessários, para compreender o contexto que leva a essas iniquidades. Neste sentido, o objetivo do estudo é analisar as condições de saneamento na zona rural do município de Pelotas, RS. Através de um estudo transversal, onde o nível socioeconômico será considerado variável exposição e como desfechos serão analisados o acesso a abastecimento de água, água para consumo, destino do lixo e o tipo de escoamento do esgoto sanitário.

Objetivo Geral

Analisar as condições de saneamento na zona rural do município de Pelotas-RS.

Justificativa

Para atender as metas do Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 6.1 e 6.2 de acesso equitativo aos serviços de saneamento, é preciso entender como acontecem e em que proporção ocorre às desigualdades. É bem conhecida a importância do saneamento básico como determinante no processo de saúde e doença das pessoas, mas na prática uma parcela significativa da sociedade ainda não tem acesso às condições básicas de vida.
No Brasil, cuja economia tem forte participação da atividade rural, mas contraditoriamente, existem poucas políticas de proteção a saúde dos povos do campo, além de estarem entre os mais expostos a falta de água potável, rede de esgoto e destino adequado do lixo. Nas cidades brasileiras a falta de saneamento acontece principalmente entre os mais pobres, negros e de baixa escolaridade. E entre brasileiros da zona rural, como acontecem as desigualdades no acesso as condições de saneamento básico?
Pesquisas de base populacional na zona rural são raras, devido a inúmeras especificidades, entre elas, o custo operacional, quando acontecem é extremamente necessário que se explore todas as informações possíveis. Desta forma e diante da escassez de estudos nacionais como visto na revisão bibliográfica, este projeto estudo contribuirá com entendimento dos fatores associados às condições de saneamento na zona rural, além de estimar as desigualdades no meio rural.

Metodologia

Serão utilizados dados do estudo transversal de base populacional sobre a saúde da população rural de Pelotas-RS, realizado na forma de consórcio pelos alunos de Mestrado em Epidemiologia da UFPel nos anos de 2015 e 2016. Dados foram coletados nos domicílios na forma de questionário, aplicados por entrevistadores treinados e com supervisão dos alunos de Mestrado e docentes do PPGEpi. As informações obtidas incluem diversas variáveis socioeconômicas, comportamentais e de saúde. Também foram feitas perguntas sobre itens de saneamento básico, incluindo sistema de abastecimento de água, escoamento do esgoto sanitário e destino do lixo. Estas informações são o objeto de estudo deste projeto

Inicialmente, será realizada uma descrição das categorias de abastecimento de água, escoamento do esgoto sanitário e destino do lixo. Também serão analisadas combinações destas variáveis (por exemplo, qual o % de domicílios com más condições de saneamento nos três itens), e avaliação da relação entre elas (por exemplo, más condições de escoamento de esgoto são mais comuns em domicílios com más condições de destino do lixo?) utilizando o teste do chi-quadrado.

Além de análises envolvendo apenas as variáveis de saneamento, também será avaliada a associação entre estas e fatores socioeconômicos (como renda familiar), demográficos (como o sexo do chefe do domicílio) e geográficos (como distrito onde o domicílio se localiza). Estas análises permitirão identificar e quantificar desigualdades no acesso a saneamento básico.

Indicadores, Metas e Resultados

Os resultados esperados são:

- As famílias da na zona rural de Pelotas-RS, terão acesso aos serviços de saneamento básico e água, mas estes, não serão seguros e equitativos entre a população.
- Piores condições de saneamento estarão associadas a situações de menor nível de escolaridade e menor renda.
- Famílias expostas a piores condições de abastecimento de água, esta será de pior qualidade para o consumo e o destino do esgoto sanitário e do lixo, também serão menos adequado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FERNANDO PIRES HARTWIG4
JACKELINE VIEIRA LIMA
THIAGO MELO SANTOS

Página gerada em 20/04/2024 20:08:59 (consulta levou 0.149971s)