Nome do Projeto
Doença Periodontal e fatores associados em adultos após infecção por COVID- 19: um estudo transversal
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2021 - 31/08/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
ças periodontais são definidas como doenças inflamatórias divididas em duas formas principais: gengivite e periodontite. Além dos fatores de risco já from sedimentados para as doenças periodontais, como tabagismo e diabetes, existem the outros fatores que necessitam maior investigação. Nesse sentido, com a pandemia de coronavírus (COVID-19), um estudo avaliando os efeitos bucais pós infecção se doc tornam de extrema importância. Assim, o objetivo desse projeto será avaliar as ume condições periodontais, lesões bucais, qualidade de vida, qualidade do sono, senso de coerência e sintomas depressivos de indivíduos após a infecção por COVID-19 nt or comparados a indivíduos não infectados pela doença. Os individuos infectados use serão provenientes do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e os individuos não infectados serão provenientes do serviço de atendimento this odontológico da Faculdade de Odontologia da UFPel. Será delineado um estudo spac transversal com grupo de comparação. Foram definidos 130 indivíduos a serem avaliados com base no cálculo amostral em cada grupo. Após treinamento, os e to examinadores realizarão a coleta dos dados sociodemográficos, socioeconômicos, emp médicos e comportamentais (hábitos), de Impacto das Condições Bucais na Qualidade de Vida (OHIP), Senso de Coerência (SOC), qualidade do sono (PSQI), e hasi autopercepção de doença periodontal através da aplicação dos questionários. As ze a mensurações clínicas referentes aos exames periodontais serão realizadas por dois examinadores treinados e calibrados, em equipo odontológico. Será realizada key análise descritiva dos dados para as variáveis categóricas e Regressão de Poisson poin para verificar associação entre o desfecho periodontal e variáveis independentes nos dois grupos (após infecção por COVID-19 e sem infecção por COVID-19). O t. To nível de significância será 5%. As análises serão realizadas com o auxílio do Software estatístico Stata 14.

Objetivo Geral

Comparar as condições periodontais de indivíduos que tiveram a infecção por COVID-19 com individuos com diagnóstico negativo de COVID-19, semelhantes quando ao sexo e idade.

Justificativa

Evidências quanto às consequências após a infecção por COVID-19 nas condições bucais são incipientes. Portanto, torna-se importante a realização de um estudo comparando as condições periodontais, lesões bucais e fatores associados em indivíduos que tiveram a infecção por COVID-19 e individuos com diagnóstico negativo de COVID-19, semelhantes quando ao sexo e idade. Esse estudo poderá contribuir para a criação de estratégias de tratamento e manejo dessas condições envolvendo uma abordagem multidisciplinar.

Metodologia

Será delineado um estudo transversal com grupo de comparação pareado para sexo e idade (+/-3 anos), com amostra de conveniência avaliando pacientes provenientes do serviço de triagem da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e do Hospital Escola da UFPel.
O estudo terá uma amostra de conveniência. Os indivíduos que tiveram COVID-19 (grupo expostos) serão provenientes do Hospital Escola da UFPel, onde já tiveram seu diagnóstico positivo e encontram-se reestabelecidos da doença. Os indivídos do grupo de comparação (não expostos) serão provenientes do serviço de triagem da Faculdade de Odontologia da UFPel, e para confirmar que não foram e não estão infectados com COVID-19, irão realizar exame sorológico de IgG e de Real time - Polymare Chain Reaction (RT-PCR).
Critérios de inclusão
Pacientes com idade ≥18 anos, com diagnóstico sorológico de IgG e RT-PCR positivo para COVID-19 após recuperação da doença (NATIONAL HEALTH GUIDANCE 2020; MINISTÉRIO DA SAÚDE 2020; CHAN et al., 2020; LI et al., 2020), pacientes com diagnóstico sorológico de IgG e de RT-PCR negativo para COVID-19 (NATIONAL HEALTH GUIDANCE 2020; MINISTÉRIO DA SAÚDE 2020; CHAN et al., 2020; LI et al., 2020) que apresentem ≥8 dentes permanentes.
Critérios de exclusão
Indivíduos portadores de doenças sistêmicas que contraindiquem o exame clínico periodontal, pacientes com infecção ativa ou com sintomas de COVID-19, assim como indivíduos que necessitem de profilaxia antimicrobiana para a realização dos exames, diagnosticados com problemas psiquiátricos ou intoxicados
com drogas, fumantes e ex-fumantes a menos de 5 anos e pacientes portadores de diabetes mellitus serão excluídos do estudo.
O cálculo amostral foi realizado considerando um erro α de 5%, um poder de 80% e um odds ratio (Intervalo de confiança) de periodontite em paciente com COVID-19 de 3,67 (1,46 – 9,27) (MAROUF et al., 2021). O tamanho mínimo da amostra para satisfazer estes requisitos foi estimado em 118 indivíduos para cada grupo (com diagnóstico positivo de COVID-19 vs com diagnóstico negativo de COVID-19). Será adicionado 10%, considerando possíveis negativas e perdas na participação do estudo, sendo necessário 130 individuos a serem avaliados em cada grupo, totalizando 260 indivíduos.
O projeto será encaminhaco ao comitê de ética em pesquisa em seres humanos da Faculdade de Odontologia da UFPel. Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos os indivíduos elegíveis serão informados dos objetivos do estudo, riscos e benefícios, e após leitura de termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), poderão optar por participar, mediante assinatura dele (Apêndice A). O TCLE será entregue em duas vias (uma para o pesquisador e outra para o paciente). Todos os dados a respeito dos sujeitos da pesquisa serão mantidos em absoluto sigilo por parte dos pesquisadores no intuito de preservar a identidade dos indivíduos. Os sujeitos poderão não concordar em participar do estudo ou encerrar sua participação em qualquer etapa. Será esclarecido que sua participação é voluntária e que não receberá incentivo financeiro.
Os examinadores serão treinados para aplicação dos questionários e calibrados para acessar variáveis odontológicas periodontais.
Coletas de dados
Exame clínico periodontal
Exame periodontal completo será realizado em seis sítios por dente de todos os dentes, exceto terceiros molares. Os parâmetros clínicos periodontais avaliados serão: IPV (AINAMO; BAY, 1975); ISG (AINAMO; BAY, 1975); Fatores Retentivos de Placa (FRP) como presença de cálculo supragengival, cavidades de cárie, restaurações com falta ou excesso de material e raízes residuais com possibilidade restauradora (Apêndice B); Profundidade de Sondagem (PS), definida como a distância entre a margem da gengiva e a porção mais apical sondável da bolsa/sulco, medida em milímetros e arredondada para o milímetro mais próximo; Sangramento e Supuração à Sondagem (SS e SP), serão registrados dicotomicamente, após a inserção da sonda na bolsa/sulco, durante a mensuração da PS; Nível de Inserção Clínica (NIC), definida pela distância da junção cementoesmalte (JCE) até a porção mais apical sondável da bolsa/sulco. Todas as mensurações clínicas serão realizadas por dois examinadores treinados e calibrados, em equipo odontológico
Lesões semiológicas
Se for evidenciada alguma lesão oral, suas características serão registradas e a lesão será fotografada com uma câmera fotográfica (Canon T5i, Tóquio, Japão). Serão avaliadas características clínicas da lesão, localização anatômica, tamanho, cor, história passada e fatores etiológicos associados. O diagnóstico definitivo será fornecido por um consenso entre o examinador clínico e um estomatologista experiente com as imagens em computador. O autorrelato das condições da mucosa oral também será verificado, perguntando aos pacientes sobre secura de boca, dor, ulceração, dificuldade em engolir e sensação de queimação.
Impacto das Condições Bucais na Qualidade de Vida (OHIP)
Para esta avaliação será usado o instrumento Oral Health Impact Profile- short form (OHIP-14), constituído por 14 itens, o qual foi traduzido para diversos idiomas e neste estudo será utilizada a versão brasileira (OLIVEIRA; NADANOSVSKY, 2005) (Anexo A). Este questionário é baseado em questões nos seguintes domínios: limitação funcional, dor física, desconforto psicológico, deficiência física, deficiência psicológica, deficiência social e incapacidade. Cada domínio possui duas questões, com escores variando de 0 a 4 pontos (0 = nunca; 1 = quase nunca; 2 = às vezes; 3 = quase sempre; 4 = sempre). Os escores finais variam de 0 a 56 pontos, e os escores mais altos denotam maiores impactos na qualidade de vida.
Senso de Coerência (SOC)
O instrumento de avaliação do senso de coerência foi intitulado por Antonovski de Questionário de Avaliação para a Vida (Orientation to Life Questionnaire), mas tem sido referido na literatura como Questionário de Senso de Coerência de Antonovsky (QSCA). Trata-se de um questionário fechado e sistematizado com 29 itens distribuídos segundo três componentes: 11 itens investigam o componente da compreensão (maneira como o indivíduo apreende os estímulos intrínsecos ou extrínsecos como informação ordenada, consistente, clara e estruturada: questões 1, 3, 5, 10, 12, 15, 17, 19, 21, 24, 26), dez itens relacionam- se ao manuseio (indivíduo tem ao seu alcance recursos para satisfazer as exigências colocadas por esses estímulos: questões 2, 6, 9, 13, 18, 20, 23, 25, 27, 29) e oito itens com o componente significado (exigências são desafios, capazes de catalisar o investimento e o empenho do indivíduo: questões 4, 7, 8, 11, 14, 16, 22, 28). O valor senso de coerência é o resultado da soma de todos os itens. Este instrumento já foi traduzido para o português e usado no Brasil (FREIRE; HEIHAM; HARDY, 2001).
Qualidade do Sono (PSQI)
O Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) foi desenvolvido por Buysse (BUYSSE; REYNOLDS; MONK et al., 1989), validado no Brasil e que avalia a qualidade do sono durante um período de 1 mês. O questionário consiste em 19 questões respondidas pelo próprio entrevistado e 5 perguntas respondidas por colegas de cama ou de quarto. As últimas 5 questões são usadas apenas para informações clínicas, não sendo obrigatórias. As 19 questões são categorizadas em 7 componentes, classificados em uma pontuação que varia de 0 a 3. Os componentes do PSQI são os seguintes: qualidade subjetiva do sono (C1), latência do sono (C2), duração do sono (C3), eficiência habitual do sono (C4), distúrbios do sono (C5), uso de medicamentos para dormir (C6) e disfunção diurna (C7). A soma das pontuações para esses 7 componentes gera uma pontuação global, que varia de 0 a 21, onde a pontuação mais alta indica pior qualidade do sono. Uma pontuação global no PSQI maior que 5 indica grandes dificuldades em pelo menos 2 componentes ou dificuldades moderadas em mais de 3 componentes (BERTOLAZI; FAGONDES; HOFF et al., 2011).
Sintomas depressivos (Escala Hamilton de Depressão)
Os sintomas de depressão serão aferidos pela escala Hamilton. O instrumento investiga como o indivíduo tem se sentido nos últimos sete dias, incluindo o dia da aplicação. Será empregada a versão traduzida e validada do instrumento, que usualmente vem sendo utilizada no país (FREIRE et al., 2014).
Autopercepção de saúde periodontal
O instrumento utilizado para avaliação de autopercepção de periodontite será o questionário de medidas periodontais autorrelatadas em sua versão traduzida para o português (CYRINO et al., 2011). Trata-se de um questionário para análise de sinais e sintomas da doença periodontal percebidos e relatados pelo próprio paciente. É composto por 9 itens, onde as questões 1 e 3-9 apresentam respostas binárias (sim ou não) e a questão 2 apresenta respostas estratificadas em alternativas de “excelente”, “muito boa” e “boa”, considerado uma boa saúde periodontal autorrelatada, e “razoável” e “ruim”, considerado uma saúde periodontal autorrelatada pobre. As questões do questionário são divididas em 3 domínios: autopercepção de doença periodontal (questões 1 e 2), autopercepção de história de periodontite (questões 3-5) e doença periodontal diagnosticada por dentista (quesões 6-8).
Análise de dados
Análise descritiva dos dados será realizada através de médias, medianas, desvios-padrão e intervalos interquartis para variáveis contínuas e distribuições de frequências para variáveis categóricas. O desfecho principal será periodontite, definida como perda de inserção interproximal ≥ 2mm ou ≥3 mm em ≥2 dentes não adjacentes (PAPAPANOU et al., 2018). Análises uni e multivariáveis serão realizadas para a verificar associação entre periodontite e infecção por COVID-19 e possíveis associações com lesões bucais, fatores demográficos, comportamentais, OHIP-14, senso de coerência, qualidade do sono, sintomas depressivos e autopercepção de doença periodontal.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que até o segundo semestre de 2022 todos os dados estejam coletados e as planilhas preparadas para análise, e ao final de 2023, que todos os dados estejam finalizados e os resultados descritos. Os produtos deste projeto de pesquisa serão gerados com a participação de alunos de graduação e pós- graduação da Faculdade de Odontologia da UFPel. Estes alunos poderão ampliar os conhecimentos relativos ao desenvolvimento e as etapas de um projeto de pesquisa.
Ademais, almeja-se fortalecer as linhas de pesquisas relacionadas à atenção à saúde por meio de interações de pesquisadores e alunos, aumentando a cooperação entre pesquisas básicas e pesquisas clínicas aplicadas. Por fim, a principal perspectiva é de que seja possível uma atuação interdisciplinar e em conjunto, para prevenir e intervir em diferentes situações.
Espera-se que ao início de 2022, tenhamos um número considerável de resultados preliminares para apresentarmos em congressos científicos nacionais e internacionais e em 2023, com o corpo de resultados integrados, elaborar e redigir os manuscritos referentes a este projeto e submetê-los às revistas de alto fator de impacto e seletiva política editorial. Os resultados decorrentes do referido projeto poderão contribuir sobremaneira com a reorientação de políticas públicas voltadas à saúde bucal dos pacientes que foram infectados com COVID-19, uma vez que o conhecimento proporcionado nesta área ainda se encontra escasso. Além disso, poderão contribuir em programas de ação preventiva que já são realizados pela UFPel na cidade de Pelotas e região do extremo Sul do país.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE FERNANDES E SILVA
FRANCISCO HECKTHEUER SILVA
FRANCISCO WILKER MUSTAFA GOMES MUNIZ1
MAISA CASARIN2
NATALIA MARCUMINI POLA1
WAGNER DA SILVA NOLASCO

Página gerada em 23/01/2022 07:08:27 (consulta levou 0.128950s)