Nome do Projeto
Cidade Celular: uma convergência entre método, forma e questão teórica na cidade contemporânea.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2021 - 31/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Resumo
Contemporaneamente, envolvendo morfologia do crescimento periférico, análises da estrutura socioespacial e as geotecnologias, sustenta o presente trabalho, que emerge uma convergência no estudo da forma urbana, a qual livremente propõe denominar "cidade celular". A cidade tem produzido espaços dispersos cuja resultante acaba por engendrar questões sociais, funcionais e os impactos ambientais associados ao crescimento urbano. Com apoio das geotecnologias são crescentes as possibilidades de representação, aquisição de dados e análise do ambiente urbano. Como está no enunciado científico do presente congresso, citando Calvino em Cidades Invisíveis, “não se deve confundir a cidade com o discurso que a descreve, mas, contudo, entre eles há uma relação”. A "cidade celular" seria, portanto, um ponto de convergência à ciência urbana, onde questões sobre a realidade observada e teorias enunciadas são reforçadas pelas condições de discurso e representação, no qual o trabalho realiza um conjunto de revisões - teórica, empírica e metodológica, provocando reflexões e pesquisa sobre a cidade contemporânea.

Objetivo Geral

O estudo do crescimento urbano em expansão, observando aspectos referentes à morfologia do crescimento urbano e as relações com a segregação socioespacial e características do ambiente natural.

Justificativa

Este projeto de pesquisa propõe abordar crescimento urbano, a segregação socioespacial e o ambiente natural, livremente adotando o termo "cidade celular", analisando dedicadamente a produção dos espaços urbanos periféricos das cidades médias brasileiras nas últimas décadas. Considera-se que o tema proposto é relevante, uma vez que da aproximação e coexistência de grupos socioeconômicos distintos nos espaços urbanos novos, há justamente uma possibilidade de buscar soluções espaciais de maior integração, convívio e vida pública. Adicionalmente, os atributos do ambiente natural, que devem ser preservados e configuram locais de maior atratividade paisagística, podem ser locais onde a vida pública e a integração socioespacial pode ser promovida, visando um cenário maior equidade espacial e preservação ambiental.

Metodologia

Como estratégia metodológica principal, além da revisão bibliográfica e reflexão teórica crítica, o trabalho está apoiado em recursos da morfologia, modelagem urbana e das geotecnologias, cuja abordagem permite sistematizar dados para o conjunto de cidades médias, integrando variáveis de base social, espacial e ambiental. A partir do uso de dados disponíveis, representados sobre lógica da modelagem urbana em Sistema de Informações Geográficas, o trabalho de investigação pode ser realizado de modo remoto, especialmente considerando o contexto de pandemia e impedimento de visitas e atividades presenciais.

Indicadores, Metas e Resultados

São esperados reflexões teóricas e críticas, no sentido de colaborar para compreensão e explicitação do processo de crescimento urbano periférico, a segregação socioespacial e as relações com o ambiente natural. A “cidade celular” propõe aproximar possibilidades e teorias contemporâneas para construir um contradiscurso, evidenciar os processos e formas da produção da cidade fragmentada, segregada e desigual.
O projeto espera alcançar um conjunto de dados, variáveis e informações, relevantes sobre o crescimento e configuração recente das cidades médias estudadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
OTAVIO MARTINS PERES15

Página gerada em 24/10/2021 07:00:10 (consulta levou 0.089685s)