Nome do Projeto
Ressignificando a economia: moralidades, orçamentos e práticas econômicas cotidianas
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
16/09/2021 - 15/09/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Este projeto de pesquisa é continuidade do projeto registrado no Cobalto como - "Ressignificando" a economia: da economia doméstica ao empreendedorismo e os projetos de educação financeira e fiscal no Brasil (código 9178), o qual prevê a continuidade da pesquisa a partir dos resultados encontrados até o momento. Deste modo, uma breve análise sociológica das práticas econômicas cotidianas nos remete aos estudos das ciências sociais que se apropriam dos fenômenos econômicos, tal discussão se circunscreve a corrente teórica da Sociologia Econômica, que busca uma aproximação entre sociologia e economia, bem como, procura o emprego de novos métodos e propostas para a compreensão deste universo. Neste sentido, o objetivo busca apreender às moralidades, observadas a partir das configurações das práticas econômicas cotidianas e dos seus mecanismos sociais; perpassando pela compreensão da lógica econômica no âmbito privado, isto é, a constituição do orçamento familiar; e, seguindo para o entendimento das práticas econômicas, em especial, no que tange economia e negócios (formal e informal), buscando acompanhar o orçamento de pequenos e médios negócios familiares (agregando temas como empreendedorismo étnico, gênero etc.); procurando também revelar a percepção e o significado dos impostos por tais agentes, retomando a relação economia e política; e por outro lado, visamos analisar a promoção dos programas (políticas públicas) de educação financeira, fiscal e empreendedorismo promovidos, em especial, pelo governo federal, bem como por instituições como bancos e corretoras de valores mobiliários. Deste modo, mapear tais agentes e programas via o entrelaçamento das temáticas em questão visa refletir sobre às moralidades, observadas a partir das configurações das práticas cotidianas, isto é, a constituição do orçamento das famílias, de pequenos e médios negócios. Assim, buscaremos analisar como as práticas econômicas que envolvem os orçamentos e seus mecanismos e sentidos sociais perpassam por questões como pagamentos, salários, renda, contas e cálculos, acesso bancário, uso de aplicativos e conselhos financeiros (planejamento, gestão, cursos, agentes autônomos de investimento etc.) créditos, investimentos, empréstimos, financiamento, seguros, juros, inflação, crises (econômicas e sanitárias), riscos, dívidas, falência, desemprego etc. Isto posto, também visamos analisar os efeitos sociais que, em especial, a pandemia de COVID-19 vem produzindo no cotidiano das famílias e quais decisões (e o que pautam tais decisões) domésticas/negócios estão sendo tomadas para enfrentar os variados problemas que surgem no dia a dia. Por fim, pretendemos revelar a percepção e o significado social dos dinheiros e dos impostos; estabelecendo uma análise socioeconômica e política singular das práticas econômicas dos brasileiros.

Objetivo Geral

O objetivo deste projeto busca apreender às moralidades, observadas a partir das configurações das práticas econômicas cotidianas e dos seus mecanismos sociais; perpassando pela compreensão da lógica econômica no âmbito privado, isto é, a constituição do orçamento familiar; e, seguindo para o entendimento das práticas econômicas, em especial, no que tange economia e negócios (formal e informal), buscando acompanhar o orçamento de pequenos e médios negócios familiares (agregando temas como empreendedorismo étnico, gênero etc.); procurando também revelar a percepção e o significado dos impostos por tais agentes, retomando a relação economia e política; e por outro lado, visamos analisar a promoção dos programas (políticas públicas) de educação financeira, fiscal e empreendedorismo promovidos, em especial, pelo governo federal, bem como por instituições como bancos e corretoras de valores mobiliários. Assim, também buscaremos analisar como as práticas econômicas que envolvem os orçamentos e seus mecanismos e sentidos sociais perpassam por questões como pagamentos, salários, renda, contas e cálculos, acesso bancário, uso de aplicativos e conselhos financeiros (planejamento, gestão, cursos, agentes autônomos de investimento etc.) créditos, investimentos, empréstimos, financiamento, seguros, juros, inflação, crises (econômicas e sanitárias), riscos, dívidas, falência, desemprego etc.

Justificativa

Este projeto busca refletir e contribuir em termos teóricos com a área da sociologia econômica e fiscal para a promoção de uma sociologia das práticas socioeconômicas cotidianas como guia do foco analítico da economia na explicação das disposições socioeconômicas como também, servir de base para o desenvolvimento de políticas públicas, buscando fornecer informações e subsídios para atuação mais efetiva das políticas sociais, que levam em consideração a redistribuição de renda e propostas de desenvolvimento para pequenos e médios negócios. Neste sentido, também visamos analisar os efeitos sociais que a pandemia de COVID-19 vem produzindo no cotidiano das famílias e quais estratégias estão sendo adotadas para enfrentar os variados problemas que surgem no dia a dia em momentos de crises.
Deste projeto de pesquisa preliminar pretende-se estabelecer uma amostra que poderá se constituir como um modelo de pesquisa que, posteriormente, buscará integrar para a pesquisa famílias e empreendimentos de todas as regiões do país, fazendo acordos e convênios com demais universidades, constituindo-se aí numa pesquisa nacional de base qualitativa sobre o orçamento dos brasileiros, bem como em uma pesquisa que pretende uma amostra geracional de acompanhamento de famílias e negócios ao longo do tempo. Aqui revela-se a importância e a inovação em termos de justificativa e contribuição científica da presente pesquisa.
Ao traçar um caminho sociológico para a compreensão das práticas econômicas cotidianas via a constituição dos orçamentos, esperamos que esse entendimento sirva de orientação para reflexões sobre políticas públicas e projetos sociais orientados tanto pelas ideias de educação financeira/fiscal, empreendedorismo, e desenvolvimento socioeconômico; e, incitar sugestões para uma nova forma de olhar o desenvolvimento/crescimento econômico e social. Ressaltando que esta pesquisa será realizada no Brasil, no momento em que enfrentamos uma crise sanitária (pandemia Covid 19), uma crise econômica (aumento do desemprego, do trabalho informal, endividamento, fome, etc.), e, provavelmente será marcada por uma crise energética que implica diretamente na constituição do orçamento.

Metodologia

Para que possamos atingir nossos objetivos de pesquisa, uma vez que estes se colocam numa dimensão sociocultural, realizaremos uma pesquisa de base qualitativa, tendo como foco o acompanhamento de famílias via contato pela observação participante, realização de entrevistas semiestruturadas e de grupo focal. A observação e a condução de entrevistas com roteiros abertos (semiestruturados) realizadas constante e repetidamente referente as práticas cotidianas no ambiente doméstico e de negócios das famílias será uma das principais estratégias metodológicas desta pesquisa, na medida em que permite que se perceba as formas pelas quais as pessoas organizam, planejam, utilizam aplicativos, fazem cálculos, atribuem valores, negociam, percebem o pagamento de taxas e impostos etc.
Em seguida, mapearemos a promoção de educação financeira, fiscal e de empreendedorismo, e realizaremos, em especial, uma análise documental dos programas (políticas públicas) que são fortemente disseminados na sociedade brasileira, para entender como tais projetos influenciam (ou não) as decisões socioeconômicas.
Vale enfatizar que a análise dos dados deste projeto pretende refletir sobre como os valores econômicos foram e são a todo momento construídos e (re)construídos na nossa sociedade – em especial, quando somos atingidos por crises sejam econômicas e/ou sanitárias (como a atual pandemia de COVID-19), de certa forma, buscaremos analisar que tipos de efeitos sociais a pandemia de COVID-19 vem produzindo no cotidiano das famílias e quais decisões domésticas/negócios estão sendo tomadas para enfrentar os variados problemas que surgem no dia-a-dia. Tais análises dialogam com a corrente teórica em que se inscreve esta pesquisa — a sociologia econômica. Assim, a confluência de diversas fontes se torna relevante para a reflexão sobre a existência de valores culturais, simbólicos, políticos e morais presentes na sociedade, que se configuram e reconfiguram, expressando a singularidade das práticas socioeconômicas cotidianas.

Indicadores, Metas e Resultados

Deste projeto de pesquisa preliminar pretende-se estabelecer uma amostra que poderá se constituir como um modelo de pesquisa que, posteriormente, buscará integrar para a pesquisa famílias e empreendimentos de todas as regiões do país, fazendo acordos e convênios com demais universidades, constituindo-se aí numa pesquisa nacional de base qualitativa sobre o orçamento dos brasileiros, bem como em uma pesquisa que pretende uma amostra geracional de acompanhamento de famílias e negócios (formal e informal) ao longo do tempo. Aqui revela-se a importância e a inovação em termos de contribuição científica da presente pesquisa.
O presente projeto contará com a colaboração de pesquisadores externos que também pesquisam a temática, os quais serão convidados a participar dos seminários de discussão dos resultados. Os seminários serão promovidos via a parceria já existente com demais pesquisadores nacionais que possuem produção acadêmica na área temática, em especial via vínculo com o NESEFI (UFSCar). Aqui vale ressaltar importantes parcerias que já resultaram em publicações de trabalhos sobre a temática, em especial com a pesquisadora Marina Sartore (PPGS/UFS) líder do LEMOS, e com diversos pesquisadores do NESEFI, em especial, com a professora Karina Gomes de Assis.
Ao traçar um caminho sociológico para a compreensão das práticas econômicas cotidianas via a constituição dos orçamentos, esperamos que esse entendimento sirva de orientação para reflexões sobre políticas públicas e projetos sociais orientados tanto pelas ideias de educação financeira/fiscal, empreendedorismo, e desenvolvimento socioeconômico; e, incitar sugestões para uma nova forma de olhar o desenvolvimento/crescimento econômico e social. Ressaltando que esta pesquisa será realizada no Brasil, no momento em que enfrentamos uma crise sanitária (pandemia Covid 19), uma crise econômica (aumento do desemprego, do trabalho informal, endividamento, fome, etc.), e, provavelmente será marcada por uma crise energética que implica diretamente na constituição do orçamento.
O presente projeto deverá resultar em relatórios parciais que serão discutidos em seminários promovidos e em parcerias com demais pesquisadores nacionais que possuem produção acadêmica na área temática proposta. Ao mesmo tempo, esse projeto que envolverá parcerias entre professores e alunos de pós-graduação também visa contribuir para a inserção do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (UFPel) no âmbito de pesquisas nacionais sobre a temática.
Os resultados da pesquisa deverão ser apresentados em eventos acadêmicos da área de Sociologia e/ou Ciências Sociais sejam nacionais e internacionais. Também serão produzidos artigos científicos a serem encaminhados para a publicação em periódicos. No final do projeto, pretende-se organizar um livro com as principais contribuições da pesquisa.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EDUARDO PINHEIRO URRUTIA
ELAINE DA SILVEIRA LEITE8
JULIANA LIMA CASTRO
NATÁLIA DE AZEVEDO PEREIRA SMANIOTTO
RODRIGO TAROUCO DA FONSECA
SUELEN FARIAS GULARTE
THAYS ALVES DA SILVA
ÁRLESON RENATO LUZ COSTA

Página gerada em 02/03/2024 09:47:48 (consulta levou 0.126397s)