Nome do Projeto
Satolep [FabLab]
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
03/01/2022 - 31/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Educação
Linha de Extensão
Inovação tecnológica
Resumo
Este projeto visa a democratização de acesso a tecnologias de fabricação digital no âmbito da UFPel e comunidade geral de Pelotas e região. Busca, ainda, possibilitar o compartilhamento de conhecimentos sobre esse tema entre a comunidade da Faurb e da UFPel com a comunidade em geral visando instigar a invenção, inovação e criação. Para tanto serão oferecidos treinamentos para o uso de equipamentos de fabricação digital e processos associados a este fim. O projeto buscará parcerias para atividades de ensino, pesquisa e extenção considerando três escalas: (1) no âmbito da FAUrb, dando apoio a diferentes disciplinas e projetos; (2) no âmbito da UFPel com parcerias em projetos em conjunto com outras unidades além da FAUrb; (3) ações que reverberam direta ou indiretamente na comunidade em geral de Pelotas e região seja através de treinamentos e dias abertos para o público em geral com através de parcerias com outras entidades (como escolas públicas) articulando atividades específicas para tal público. Espera-se com este projeto incentivar a inovação nas três escalas mencionadas. Espera-se também com essa iniciativa, estabelecer um FAB Lab na UFPel seguindo as diretrizes da rede mundial de FAB Labs visando o credenciamento e reconhecimento como membro desta rede (as ações deste projeto não dependem desse credenciamento inicialmente, sendo tal credenciamento entendido como um resultado; para as ações serão utilizados os equipamentos existentes na FAUrb).

Objetivo Geral

Aproximar e instigar tanto na comunidade acadêmica da Universidade Federal de Pelotas quanto da comunidade externa à instituição a invenção, inovação e criação através do acesso e treinamento no uso de ferramentas de fabricação digital.

Possibilitar o compartilhamento de conhecimentos entre a comunidade acadêmica, empresas, escolas e comunidade em geral da região de Pelotas, principalmente no que tange a fabricação digital.

Estabelecer laboratório de fabricação digital existente como FAB Lab na UFPel seguindo as diretrizes da rede mundial de FAB Labs (https://fabfoundation.org)visando o credenciamento e reconhecimento como membro desta rede.

Justificativa

“A rede mundial de Fab Labs e o Movimento Maker são de grande valia para a sociedade, devido ao fato de promoverem interações entre alunos, professores e entusiastas do movimento. Com isso, possibilita-se o aprendizado mútuo, bem como a prática da filosofia de compartilhamento de processos e inovação em suas criações” (AGUIAR et. al., 2017).

O grupo GEGRADI, assim como os pesquisadores envolvidos neste projeto, vem se articulando ao longo dos últimos 7 anos na área de fabricação digital e processo projetual computacional. Nesta direção, ampliou-se e explorou-se a formação docente e discente por meio de pesquisas, Palestras, Workshops, ações de ensino em contexto didático de graduação e pós-graduação. Estas experimentações foram mobilizadoras e impulsionadoras da consolidação de uma rede de parceiros locais, regionais, nacionais e internacionais que possibilitam a articulação a implementação de um FAB LAB na instituição em questão. Além disso, tanto o grupo Gegradi como a FAUrb como um todo, têm investido através de diversos projetos na aquisição de equipamentos de fabricação digital e qualificação dos espaços vinculados a seu uso. Tal investimento vem permitindo gradativamente a formação de pessoal e avanços no uso de tais tecnologias no ensino, pesquisa e extensão no âmbito de arquitetura e urbanismo.

Projetos de pesquisa, ensino e extensão de diferentes áreas da arquitetura e urbanismo vem utilizando o maquinário e conhecimento gerado ao longo desses anos para avançar ainda mais em suas áreas bem como nos processos da fabricação digital. Cabe citar o projeto
Morar_TS/SocioTIC/FINEP que permitiu a aquisição dos primeiros equipamentos para a fabricação digital na FAUrb. Desde então os processos de fabricação digital vêm gradativamente se inserindo no âmbito de algumas disciplinas do curso de arquitetura e urbanismo além de apoiar pesquisas e projetos de extensção. Foi possível ainda, ao longo desses anos, estabelecer algumas parcerias pontuais com outras áreas e instituições. Através do projeto Modela Pelotas foi possível estabelecer parcerias com museus como o Museu do Doce e Museu da Baronesa, permitindo a fabricação de objetos táteis para ampliação da acessibilidade nos museus. Através do projeto de pesquisa “ Órtese em Impressão 3D” foi estabelecida uma parceria com o curso de terapia ocupacional para o desenvolvimento de órtese a partir da impressão 3D. Em 2020, como parte das ações de combate a pandemia por covid-19, estabeleceu-se, em parceria com outras instituições da cidade, o projeto REDELAB (Rede de Laboratórios e Coletivos de Arquitetura, Urbanismo, Design e Tecnologia da UFPel integrados no combate ao COVID_19) em que a FAUrb se utilizou das tecnologias de fabricação digital para a fabricação de EPIs (principalmente face Shields). Foram distribuídas máscaras para diversas instituições da cidade. Além disso, fortaleceu-se parcerias e interesse mútuo por esse tipo de processo entre diversas unidades da UFPel e de outras instituições. Através desse projeto, foi possível adquirir novas maquinas, ampliando a quantidade e diversidade do maquinário disponível para tal produção. Tais ações e parcerias evidenciam os benefícios e ganhos para a sociedade de se ampliar e facilitar o uso de tais tecnologias através de parcerias com diferentes áreas do conhecimento dentro e fora da UFPel.

A fabricação digital vem se estabelecendo como um agente promotor de inovação em diversas áreas do conhecimento. Seu uso tem dado apoio a pesquisa, ensino e inovação em diversas áreas como artes e design, engenharias, saúde, tecnologia entre outras. Entretanto a dificuldade de acesso a tais tecnologias muitas vezes impossibilita projetos de pesquisa, ensino e extensão que não incluam verba para compra de tais equipamentos. Neste sentido o presente projeto visa estruturar ações e parcerias que facilitem o uso de maquinário existente na UFPel para ações e projetos de ensino, pesquisa e extensão de diversas áreas.

A abertura do laboratório de fabricação digital para o público em geral bem como a oferta de treinamento no uso do maquinário para tal público visa promover a democratização do acesso a tais tecnologias. Além disso, tais ações visam promover a criatividade e inovação possibilitando à sociedade a exploração de ideias de uma forma diferenciada. É importante destacar, que já no ano de 2015 o GEGRADI foi identificado como agente na produção de conhecimento sobre fabicação digital, pela exposição “Homo Faber: Digital Fabrication in Latin América” um evento estabelecido no CAAD Futures. Portanto, a FAUrb, proponente deste projeto, conta com o conhecimento e experiência necessárias para ampliar as ações envolvendo um público mais amplo num ambiente de aprendizado mútuo entre UFPel e sociedade.

Ainda, visando questões específicas para área de Arquitetura e Urbanismo, existem evidências da importância desta implementação diretamente nas ações de ensino dentro do contexto de arquitetura. Os mapeamentos estabelecidos em Vasconselos e Sperling (2017; 2019) demostram uma relação espacial, no contexto da América Latina, concomitante entre: práticas didáticas estabelecidas em cursos de arquitetura estabelecidas com níveis de computabilidade mais avançados e laboratórios ou maquinários adequados para este desenvolvimento; e como estas duas dinâmicas auto apoiam-se e fortalecem-se quando estabelecidas conjuntamente. Estabelecendo assim, a pertinência de facilitar ainda mais as ações que envolvam a fabricação digital em um curso arquitetura como suporte a utilização mais consciente das potencialidades do computador dentro do processo de projeto e fabricação.

Metodologia

As atividades do projeto estão divididas em dois eixos de ações: (1) Ações de gerenciamento e articulação para funcionamento do fabLab e (2) Ações de fabricação digital. O primeiro eixo inclui ações necessárias para o funcionamento do fablab como estruturação do regimento interno e a busca e articulação de parcerias com outras unidades da UFPel e instituições externas a UFPel como escolas públicas. Também fazem parte das ações desse eixo as ações de pesquisa referente ao aprimoramento dos processos de fabricação digital e impactos do fablab na ufpel e sociedade de Pelotas. O segundo eixo de ações inclui ações voltadas ao atendimento do público e parceiros em atividades de ensino, pesquisa e extensão. Neste eixo estão incluídas as ações de formação como o oferecimento de cursos e treinamentos. Estão incluídas neste eixo também as ações de se ter pelo menos um dia por mês em que o laboratório será aberto ao público em geral para produção individual e as ações para atendimento de grupos específicos através das parcerias estabelecidas.

Serão exploradas três escalas de engajamento que estabelecemos como micro, médio e macro no que tange o uso de tecnologias de fabricação digital possibilitando a ampliação de seu uso em tais atividades. A primeira está associado com ações de ensino, pesquisa e extensão da FAUrb; o segundo relativo a comunidade acadêmica da UFPel em suas diferentes áreas; e na escala macro compreendendo ações que reverberam direta ou indiretamente na comunidade em geral de Pelotas e região.

Todas as ações preveem a participação de discentes, e estas ações serão atualizadas anualmente conforme o interesse dos estudantes de participação no projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se com este projeto incentivar a inovação com relação à fabricação digital nas três escalas mencionadas, por meio de aperfeiçoamento de pessoal.

Partindo do princípio que a maneira de projetar construir já está conectada na escala micro, cenário da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo modificar, acredita-se que possa ser uma ferramenta inclusive para pensar o projeto de maneiras diferentes.

Acredita-se que as ações propostas possam viabilizar a criação de soluções e produtos baseados no conceito de design aberto e incentivar ações de "faça você mesmo (DIY)."

Toma-se como indicadores o reconhecimento do Satolep FabLab pela rede mundial de fablabs como integrante de tal red, além de dados quantitativos em relação ao alcance do projeto em números de participantes, parcerias estabelecidas, disciplinas e projetos que contem com o apoio deste projeto. Serão considerados ainda, os aspectos qualitativos vinculados às ações do projeto para avaliar o impacto deste na FAUrb, UFPel e comunidade externa a UFPel.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE BORDA ALMEIDA DA SILVA1
ALINE DA COSTA FERREIRA
BRYAN FONSECA ORTIZ
CRISTIANE DOS SANTOS NUNES
Eduardo Ductra Bortolotti
IVANA PATRICIA IAHNKE STEIM3
JANICE DE FREITAS PIRES1
LUISA RODRIGUES FELIX DALLA VECCHIA7
RAFAELA BORTOLINI1
Rafael Redü Eslabão
TÁSSIA BORGES DE VASCONSELOS5

Página gerada em 30/06/2022 08:00:26 (consulta levou 0.100258s)