Nome do Projeto
Recuperação dos solos construídos e controle ambiental na área de mineração de carvão de Candiota – RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
04/10/2021 - 03/10/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
O projeto de pesquisa tem como objetivo realizar a irrigação controlada de efluente tratado (chorume) do aterro sanitário de Candiota sobre solos construídos visando a fertirrigação do perfil e a maximização do crescimento de vegetação, da população de organismos edáficos e do teor de matéria orgânica das áreas degradadas pela mineração e atualmente em regeneração. O trabalho será realizado na mina de carvão de Candiota, pertencente à Companhia Riograndense de Mineração, localizada no município de Candiota/RS, situado a 140 km de Pelotas, numa área experimental recomposta topograficamente com adição de topsoil e sob revegetação com gramíneas. O chorume a ser aplicado na área experimental advém do Aterro Sanitário Metade Sul, sob coordenação da Meioeste Ambiental. Antes da aplicação do chorume, serão coletadas amostras de solo nas camadas de 0,00-0,10 e 0,10-0,20 m, para a para a determinação de atributos químicos, físicos e biológicos do solo. O tamanho das parcelas será definido após a disponibilização da área teste pela Meioeste Ambiental. Serão testadas três taxas de aplicação do chorume: 1) dose calculada conforme o parâmetro Nitrogênio Total encontrada na água de reuso e a carga aplicada não deverá exceder as recomendações de adubação para a cultura adotada (gramíneas perenes de verão possivelmente); 2) metade da dose calculada; 3) dobro da dose calculada. Dois tratamentos testemunhas também constarão no experimento: uma testemunha negativa: área sem aplicação de chorume; e uma testemunha positiva: dose de NPK utilizando adubação química, expressa em kg/ha, conforme tabelas constantes no “Manual de Calagem e Adubação para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina", elaborado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo-Núcleo Regional Sul. Após a aplicação dos tratamentos, os atributos químicos, físicos e biológicos do solo construído serão monitorados a curto, médio e longo prazo.

Objetivo Geral

O objetivo do projeto é realizar a irrigação controlada de efluente tratado (chorume) proveniente do aterro sanitário de Candiota sobre o perfil de solos construídos visando a fertirrigação do perfil e a maximização do crescimento de vegetação, da população de organismos edáficos e no teor de matéria orgânica das áreas degradadas pela mineração e atualmente em regeneração

Justificativa

A mineração do carvão é uma importante atividade econômica com interface direta no ambiente. Um dos principais impactos é a degradação das características químicas, físicas e biológicas do solo, fazendo da revegetação uma alternativa para mitigar esse impacto. Entretanto, para o sucesso das espécies vegetais, é necessária uma correção dos nutrientes e da acidez do solo para que consigam sobreviver em tais locais principalmente na fase inicial da revegetação. Por conseguinte, o chorume produzido em aterros sanitários de resíduos urbanos pode ser uma alternativa sustentável para a recuperação inicial das áreas degradadas pela mineração já que pode adicionar nutrientes e melhorar o pH do solo bem como a nutrição de plantas, promovendo assim um rápido estabelecimento e cobertura
da vegetação na área degradada e, consequentemente promovendo melhorias, em menor prazo, em outras características dos solos construídos, como a física do solo por exemplo. Contudo, o chorume de aterros sanitários apresenta elevada quantidade de material orgânico e variada composição físico-química que pode também contaminar do solo e as águas superficiais ou subterrâneas. Nesse sentido, quantificar a quantidade de elementos tóxicos, quantidade de organismos patogênicos e a adoção de parâmetros bem
definidos de chorume com relação à aplicação da dose é imprescindível para evitar os impactos negativos na sua utilização.

Metodologia

O estudo será realizado mina de Candiota, pertencente à Companhia Riograndense de Mineração (CRM), localizada em no município de Candiota/RS, situado a 140 km de Pelotas. Uma área experimental será implantada em um solo recentemente recuperado pela CRM, onde houve a recomposição topografica
com adição de topsoil e revegetação com gramíneas. O chorume a ser aplicado na área experimental advém do Aterro Sanitário Metade Sul, sob coordenação da Meioeste Ambiental.

A caracterização do efluente originário do Aterro Sanitário Metade Sul abrangerá os seguintes parâmetros: DBO, DQO, sólidos dissolvidos totais, óleos e graxas, carbono orgânico total (COT), pH, série nitrogenada completa (N-Kjedahl, N-amoniacal, N-nitrato, Nnitrito), sulfatos, cloretos, dureza, condutividade elétrica, alumínio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, teores de enxofre, ferro, cobre, zinco, boro, ferro, manganês, sódio, cádmio, mercúrio, níquel, chumbo, arsênio, molibdênio, selênio, bário, e cromo (Cr+3 e Cr+6). Deverá ser calculada a Razão de Adsorção de Sódio (RAS) do efluente.

Antes da aplicação do chorume serão coletadas amostras de solo construído nas camadas de 0,00-0,10 e 0,10-0,20 m, para a para a determinação de atributos químicos (Percentual de Sódio Trocável (PST); condutividade elétrica, argila, pH, índice SMP, fósforo, potássio, matéria orgânica, alumínio, cálcio, magnésio, H + Al, CTC, saturação de bases e saturação de alumínio e enxofre, cobre zinco, manganês,
sódio, boro, cádmio, níquel, chumbo, mercúrio, arsênio, molibdênio, selênio, vanádio, cobalto, bário, cromo hexavalente e cromo trivalente), atributos biológicos (população da fauna e microbiota edáfica) e atributos físicos (Densidade, porosidade, distribuição de agregados estáveis em água e a taxa de infiltração de água no solo).

O delineamento experimental será em blocos ao acaso, com 4 repetições. O tamanho das parcelas será definido após a disponibilização da área teste pela Meioeste. Em cada bloco serão testadas três taxas de aplicação do chorume: 1) dose calculada conforme o parâmetro Nitrogênio Total encontrada na água de reuso e a carga aplicada não deverão exceder as recomendações de adubação para a cultura adotada (gramíneas perenes de verão possivelmente), expressa em kg/ha, conforme tabelas constantes no “Manual de Calagem e Adubação para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina", elaborado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo-Núcleo Regional Sul; 2) Metade da dose calculada; 3) Dobro da dose calculada. Dois tratamentos testemunhas também constarão no experimento: uma testemunha negativa: Área sem aplicação de chorume; e uma testemunha positiva: Dose de NPK utilizando adubação química, expressa em kg/ha, conforme tabelas constantes no “Manual de Calagem e Adubação para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina", elaborado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo-Núcleo Regional Sul.

Após a aplicação dos tratamentos, os atributos químicos, físicos e biológicos do solo construído serão monitorados a curto, médio e longo prazo.

Indicadores, Metas e Resultados

O projeto lida com problemas reais que afetam a sociedade moderna: a disposição de resíduos urbanos e a compatibilização da atividade de mineração com os preceitos da preservação ambiental. Nesse contexto, o estudo do efeito da disposição do chorume oriundo do aterro sanitário de Candiota sobre a recuperação solos impactados pela mineração de carvão irá determinar a forma de dispor esse resíduo em uma área já impactada sem que haja contaminação ambiental, por um lado; e por outro, aproveitar as características positivas desse resíduo (carga orgânica e aporte de nutrientes) para acelerar o processo de recuperação dos solos.

O aproveitamento do efluente do aterro sanitário nas áreas degradadas de mineração irá auxiliar na diminuição do custo do tratamento do efluente e no custo de recuperação do solo minerado. Atualmente o chorume é recirculado na célula do aterro sanitário da Meioeste, o que, em longo prazo, pode levar a um encarecimento no processo de tratamento do efluente. Com a diminuição do volume deste líquido recirculado na célula, o efluente aplicado ao solo terá seu potencial de contaminação reduzido, auxiliando na mitigação do problema de dois passivos ambientais: aterro sanitário e áreas degradadas por mineração.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA LEMONS BRISOLARA
JOSÉ VITOR PEROBA ROCHA
LIZETE STUMPF4
LUIZ FERNANDO SPINELLI PINTO6
LUÍS EDUARDO TORMA BURGUEÑO
PABLO MIGUEL1

Página gerada em 23/05/2024 18:30:10 (consulta levou 0.148758s)