Nome do Projeto
Produção de gordura protegida com farelo de arroz integral através de processo de termo-físico
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
09/01/2022 - 06/12/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Processar o farelo de arroz integral misturado ao hidróxido de cálcio sob pressão e temperatura visando acessar maior conteúdo possível porção da lipídica para reação de saponificação com hidróxido de cálcio. Serão coletadas diariamente da moega da empresa Irgovel 2 amostras de no mínimo 1kg de farelo de arroz gordo em horário aleatório, sendo uma no período da manhã e outra no período da tarde completando 28 amostras no total. Estas amostras serão denominadas amostras “C” e serão analisadas imediatamente quanto a extrato etéreo, proteína, fibra bruta, umidade, acidez livre. Após a coleta as amostras serão divididas em dois grupos de 14 amostras que serão imediatamente misturadas em 2 kg de água e cal virgem na proporção de 1:1 do extrato etéreo analisado e calculado sob base seca; serão então processadas sob temperatura e pressão em uma panela de pressão convencional com potencial de 83kPa de pressão interna de acordo com a ABNT NBR 11823, sob temperatura de ebulição próxima a 120ºC, durante 5 minutos. Um grupo será denominado T-ESTUFA, pois será secado em estufa elétrica a 50ºC por 5 dias e o outro grupo será denominado T-FORNO, pois será secado a gás sob 200ºC por 5 horas. Após a secagem as amostras serão analisadas novamente quanto extrato etéreo, proteína, fibra bruta, umidade, acidez livre. Análise de extrato etéreo nas amostras C serão analisadas através de instrumento NIR (Near Infrared Reflectance) e a análise do extrato etéreo das amostras T serão analisadas por método de solvente com extrator Soxhlet. Esta diferença de metodologia de análise disponível capacitará verificar o teor de proteção causada pela saponificação do extrato etéreo através do resultado antes e após o processamento, uma vez que a análise via NIR nos mostra a quantidade de extrato etéreo de acordo com a presença total de ligações carboxílicas e análise por extrator Soxhlet determina apenas o extrato etéreo que não está saponificado. A fórmula para determinar o extrato etéreo protegido (EEP) se dará pela diferença entre o extrato etéreo (EE) do controle e cada (EE) obtido em cada tratamento: %EEP = %EE sem adição de hidróxido de cálcio - %EE do tratamento com hidróxido de cálcio. A fórmula para determinar a % de proteção calculada com base no EEP e o EE do nível 0%: Prot(%)= (EEP/EE0)x100 É esperado que o processo termo-físico seja capaz promover saponificação acima de 43% do extrato etéreo do farelo de arroz total.

Objetivo Geral

Processar o farelo de arroz integral misturado ao hidróxido de cálcio sob pressão e temperatura visando acessar maior conteúdo possível porção da lipídica para reação de saponificação com hidróxido de cálcio.

Justificativa

A proposta desta pesquisa visa saponificar o conteúdo graxo ainda no farelo de arroz integral com alta acidez com sais de cálcio através do processo de extrusão. Esta seria uma solução para o farelo de arroz integral acidificado, até então com potencial de risco para nutrição animal, transformá-lo numa fonte de energia biodisponível capaz de ser digerida para ruminantes sem interferência na fisiologia do rúmen.

Metodologia

Serão coletadas diariamente da moega da empresa Irgovel 2 amostras de no mínimo 1kg de farelo de arroz gordo em horário aleatório, sendo uma no período da manhã e outra no período da tarde completando 28 amostras no total. Estas amostras serão denominadas amostras “C” e serão analisadas imediatamente quanto a extrato etéreo, proteína, fibra bruta, umidade, acidez livre.

Após a coleta as amostras serão divididas em dois grupos de 14 amostras que serão imediatamente misturadas em 2 kg de água e cal virgem na proporção de 1:1 do extrato etéreo analisado e calculado sob base seca; serão então processadas sob temperatura e pressão em uma panela de pressão convencional com potencial de 83kPa de pressão interna de acordo com a ABNT NBR 11823, sob temperatura de ebulição próxima a 120ºC, durante 5 minutos.

Um grupo será denominado T-ESTUFA, pois será secado em estufa elétrica a 50ºC por 5 dias e o outro grupo será denominado T-FORNO, pois será secado a gás sob 200ºC por 5 horas. Após a secagem as amostras serão analisadas novamente quanto extrato etéreo, proteína, fibra bruta, umidade, acidez livre.

Análise de extrato etéreo nas amostras C serão analisadas através de instrumento NIR (Near Infrared Reflectance) e a análise do extrato etéreo das amostras T serão analisadas por método de solvente com extrator Soxhlet. Esta diferença de metodologia de análise disponível capacitará verificar o teor de proteção causada pela saponificação do extrato etéreo através do resultado antes e após o processamento, uma vez que a análise via NIR nos mostra a quantidade de extrato etéreo de acordo com a presença total de ligações carboxílicas e análise por extrator Soxhlet determina apenas o extrato etéreo que não está saponificado.

A fórmula para determinar o extrato etéreo protegido (EEP) se dará pela diferença entre o extrato etéreo (EE) do controle e cada (EE) obtido em cada tratamento:
%EEP = %EE sem adição de hidróxido de cálcio - %EE do tratamento com hidróxido de cálcio.
A fórmula para determinar a % de proteção calculada com base no EEP e o EE do nível 0%:
Prot(%)= (EEP/EE0)x100

Indicadores, Metas e Resultados

É esperado que o processo termo-físico seja capaz promover saponificação acima de 43% do extrato etéreo do farelo de arroz total.
Com este resultado poderá se abrir uma solução de valor para o farelo de arroz integral, através de uma tecnologia industrial dominada que proporcione escala industrial. Uma alternativa frente ao uso arriscado na nutrição ou inviabilidade financeira para extração de óleo comestível.

Alcançando resultado significativo, os produtos de bovinos de corte e de leite da região Sul do Brasil poderão ter à disposição um potencial na escala de milhares de toneladas de farelo com gordura protegida, uma fonte de energia concentrada para a produção de carne e leite com preço muito mais competitivo que as gorduras protegidas convencionais existentes no mercado.
Verificar se o método de secagem será capaz de alterar os parâmetros apontados antes e após processamento.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO2
MARCIO NUNES CORREA2
MURILO SCALCON NICOLA
RICARDO LOUGON AVILA

Página gerada em 22/04/2024 02:27:58 (consulta levou 0.236265s)