Nome do Projeto
Fontes sociolinguísticas para uma memória social e linguística do português gaúcho do século XIX
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/03/2022 - 01/03/2026
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
Este Projeto de Pesquisa faz parte das áreas da sociolinguística histórica (Romaine, 1982; Silvestre, 2007; Ayres-Bennet, W., 2018), da linguística histórica (Marcotulio, 2018; Mattos e Silva, 2008) e da variação e mudança linguística (Labov, 1972, 1994, 2001). A pesquisa trata da análise de textos do século XIX em fontes gaúchas escritas sob a perspectiva sociolinguística-histórico-social e diacrônica. Como se sabe, o Estado do Rio Grande do Sul teve uma colonização tardia em relação as demais regiões brasileiras e foi berço de disputas territoriais do período colonial até o republicano, por meio de várias guerras e conflitos armados de independência do Império. Faz fronteira com países de língua espanhola, Uruguai e Argentina, e é formado por cidades desenvolvidas e fundadas por imigrantes, principalmente italianos e alemães. Todos esses aspectos contribuem para a construção da identidade social, cultural e linguística do RS: portanto, imprescindíveis para os estudos e pesquisas sociolinguísticas do século XIX. Diante desse quadro, a pesquisa objetiva traçar, a partir dos elementos encontrados, um percurso para um melhor entendimento do desenvolvimento de processos variáveis e de mudança linguística da comunidade sul-rio-grandense oitocentista, em face à constituição histórica cultural e linguística da época. O entrelaçamento de resultados descritivos e analíticos de pesquisas sociolinguísticas com dados obtidos em fontes do passado possibilitarão reflexões sobre a realidade social, cultural e linguística da variedade gaúcha do português brasileiro. Para tanto, foi criado um grupo de pesquisadores interinstitucional denominado “Memória linguística e social do RS: estudos diacrônicos”, co-liderado pelo proponente deste projeto, conjuntamente com outros pesquisadores de diferentes universidades gaúchas (UFRGS, UFPEL, UFSM, UNIPAMPA) que propõe: editar documentos manuscritos, particulares e públicos, com normas específicas de transcrição; levantar dados sobre o cotidiano e a vida de diferentes integrantes da sociedade urbana e rural; recuperar informações específicas sobre uso e impressões de “jeitos de falar a língua” de época e sobre as relações sociais interpessoais por meio de diferentes fontes, como peças de teatro, jornais, relatos de viagens, periódicos, dicionários e demais obras metalinguísticas e materiais descritivos, que forneçam pistas e rastros para uma interpretação e análise da complexidade da memória linguística e social do Rio Grande do Sul do Século XIX As fontes, disponíveis em bibliotecas, arquivos oficiais e pessoais, serão examinados sob com base na teoria da variação e da mudança linguística, com o objetivo de contribuir para a descrição do português brasileiro e, de forma especial, para a variedade do português gaúcho. O trabalho com textos históricos constitui-se em uma das principais abordagens de pesquisas para o estudo histórico-científico da língua portuguesa. Os textos históricos analisados e catalogados serão editados e comporão o conjunto de textos nacionais para a História do Português Brasileiro. Salienta-se também que, a partir desse estudo, uma parte da história social do português brasileiro gaúcho também será contemplada, uma vez que o espaço geográfico do Rio Grande do Sul é pertinente para a análise sociolinguística, pelo fato de sua colonização açoriana, fronteira com o Uruguai e Argentina e diversidade imigratória.

Objetivo Geral

Investigar os processos de variação e mudança sociolinguística dos pronomes pessoais de segunda pessoa do singular e primeira pessoa do plural em textos escritos do português gaúcho do século XIX; Caracterizar os caminhos da mudança sociolinguística do português brasileiro-gaúcho em função dos processos de variação encontrados nos textos do século XIX; Descrever e sistematizar diferentes tipos de documentos referentes ao período pesquisado; Editar documentação histórica sobre textos escritos do século XIX dentro de tipologia filológica de texto específica; Conhecer e disponibilizar os textos escritos gaúchos para interesse diacrônico científico; Constituir banco de dados sobre sociolinguística histórica do português brasileiro-gaúcho do século XIX para utilização em atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Justificativa

As fontes, disponíveis em bibliotecas, arquivos oficiais e pessoais, serão examinados sob com base na teoria da variação e da mudança linguística, com o objetivo de contribuir para a descrição do português brasileiro e, de forma especial, para a variedade do português gaúcho. Os modelos teóricos de investigação e de análise seguirão a proposta sociolinguística laboviana e a teoria da variação e mudança linguística. A história do português brasileiro está se constituindo em matéria privilegiada de pesquisas linguísticas. No Brasil, como em outras áreas nacionais, a evolução histórica da língua submete-se a tipos de abordagens inspirados em inovações metodológicas diversas. O trabalho com textos históricos constitui-se em uma das principais abordagens de pesquisas para o estudo histórico-científico da língua portuguesa. Tarallo (1990), entende que o trabalho de escavação em textos históricos possibilita ao pesquisador melhor descrever as mudanças ocorridas para avaliar os fatores externos e estruturais que propiciaram determinadas mudanças. Trabalhar variação e mudança linguística é também trabalhar com identidade histórica de um povo. Dentro da linha sociolinguística laboviana, é importante o estudo metodológico que direciona a pesquisa linguística do presente para o passado, e vice-versa, cada fase concebida como um objeto sistematicamente heterogêneo. Segundo Tarallo (1990, p.23), dentro dessa visão laboviana, em qualquer fase da história da língua que investigarmos, iremos encontrar "formas residuais do passado mais remoto contracenando com formas inovadoras de um futuro". Atualmente, os estudos históricos sobre o português brasileiro direcionam-se a partir de três áreas temáticas: estudos de mudança gramatical, estudos de história social e estudos sobre organização de corpus diacrônico. Esta pesquisa está inserida nestas três propostas de pesquisas.

Metodologia

Reuniões semanais de estudos sobre formas de trabalhar e catalogar textos históricos com os alunos componentes da equipe de pesquisa; Pesquisa bibliográfica de temas afins e preparação para transcrição de textos históricos; Estudos sobre o período gaúcho do século XIX; Realização de leituras bibliográficas específicas e complementares sobre os aspectos sociolinguísticos pesquisados; Participação da equipe em eventos científicos sobre sociolinguística, diacronia e história do português brasileiro; Elaboração de textos científicos para submissão em revistas da área; Pesquisa bibliográfica sobre metodologia e organização para trabalhar material histórico. Utilização de metodologia específica variacionista para coleta e análise dos dados sociolinguísticos; Os dados dessa etapa serão coletados nas cidades de Pelotas e Piratini. Para tanto serão catalogados e transcritos com base nas Normas de Transcrição de Documentos Manuscritos para a História do Português Brasileiro, aprovadas no II Seminário para a História do Português Brasileiro, em Campos do Jordão – SP, em 1998; Pesquisa de campo: serão realizadas em locais potenciais para a coleta dos dados deste projeto, como museus, igrejas, bibliotecas e acervos (públicos e particulares).

Indicadores, Metas e Resultados

Durante a realização do projeto pretende-se: catalogar os seguintes materiais: jornais impressos (62 títulos, 240 exemplares - amostra digital); anúncios de compra e venda transcritos de jornais do século XIX (O Povo, O Pelotense, O Mensageiro, O Americano, Estrela do Sul); catalogar dados digitalizados, formado por Livros de Impressões de Viagens ao Rio Grande do Sul no século XIX (composto por 12 livros); banco de peças de teatro de Simões Lopes Neto: O Boato (1893-1894), Os Bacharéis (1894), O Bicho (1896), A Viúva Pitorra (1898).
Pesquisa bibliográfica, Produção de Artigos, Participação em Eventos, Publicação materiais Digitalizados, Resultados parciais, Divulgação dos resultados, Avaliação final do Projeto.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE NEUSCHRANK2
CAROLINA SALDANHA NUNES
CINTIA DA COSTA ALCANTARA2
GIOVANA CANEZ VALERAO
PAULO RICARDO SILVEIRA BORGES12

Página gerada em 28/06/2022 15:10:44 (consulta levou 0.081017s)