Nome do Projeto
Núcleo de Estudos e Pesquisas E'LÉÉKÒ - Agenciamentos Epistêmicos Antirracistas e Descoloniais
Ênfase
Ensino
Data inicial - Data final
08/03/2022 - 31/12/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Criado em 2017, nas dependências do curso de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), o Núcleo de Estudos e Pesquisas E’LÉÉKÒ passou a integrar o Programa de Pós Graduação em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 2019. Tem discutido, problematizado, teorizado, produzido intervenções sobre epistemologias, metodologias e subjetividades pretas no campo das ciências humanas e da saúde, a partir do que estamos chamado de Pensamento Negro Descolonial. Objetiva promover um espaço de discussão e reflexão que reúna diferentes perspectivas teóricas e políticas em torno do antirracismo, cujos deslocamentos, desdobramentos e agenciamentos epistêmicos têm o intuito de estimular reflexões sobre nossos usos e interpretações de matrizes do pensamento negro, assim como sobre a necessidade de formação de novas redes intelectuais na produção do conhecimento. O Núcleo E'LÉÉKÒ tem como pressuposto a ideia de que o lugar importa, considerando, por exemplo, o pensamento de Édouard Glissant, Hill Collins, bell rooks, Lélia Gonzalez e Silvia Cusicanqui. Ou seja, o lugar desde o qual produzimos e difundimos conhecimento, o lugar desde o qual compreendemos e enunciamos o mundo, assim como o lugar desde o qual escutamos e apre(e)ndemos os diferentes lugares deste mesmo mundo.

Objetivo Geral

Promover um espaço de discussão e reflexão que reúna diferentes perspectivas teóricas e políticas em torno do antirracismo, cujos deslocamentos, desdobramentos e agenciamentos epistêmicos têm o intuito de estimular reflexões sobre nossos usos e interpretações de matrizes do pensamento negro, assim como sobre a necessidade de formação de novas redes intelectuais na produção do conhecimento.

Justificativa

A universidade ocidentalizada (GROSFOGUEL, 2016), está mergulhada nos propósitos de controle, domínio e exploração da modernidade/colonialidade a partir de teorias, métodos e modelos de análises de dados que dão sustentabilidade ao status de cientificidade.
O Núcleo de Estudos e Pesquisas E'LÉÉKÒ tem o desafio de problematizar e construir novos caminhos quanto a relação sujeito-objeto imposta pela ciência da modernidade/colonialidade – pela colonialidade do saber. E mais, trazer alguns elementos para pensarmos esse lugar que a universidade ocidentalizada ainda tenta nos impor, lugar da impossibilidade de falar e, consequentemente, de existir. Lugar da impossibilidade ontológica e epistemológica.
A colonialidade do saber é “uma atitude colonial frente ao conhecimento” que parte do eurocentrismo e que se articula de forma simultânea às relações centro-periferia e às hierarquias raciais, onde diferentes conhecimentos não-europeus são excluídos, silenciados e ignorados (CASTRO-GOMÉZ; GROSFOGUEL, 2007, p. 20).
Tal situação é alimentada por um sistema de distinções visíveis e invisíveis que constituem a noção do que é ‘ser humano’ na sociedade eurocêntrica, de modo que as invisíveis fundamentam as visíveis, como diria Santos (2010) quando discute o pensamento abissal. Ou seja, o autor salienta que “as distinções invisíveis são estabelecidas através de linhas radicais que dividem a realidade social em dois universos distintos: o universo deste lado da linha e o universo do outro lado da linha”. Tal divisão é tão excludente que “o outro lado da linha desparece enquanto realidade, torna-se inexistente”, ou seja, “inexistência significa não existir sob qualquer forma de ser relevante ou compreensível” (SANTOS, 2010, p. 32).
Assim, a descolonização das humanidades e subjetividades subalternizadas passa por descolonizar o conceito de humanidade. Ou seja, deve-se abandonar a ideia universal de humanidade calcada no ideal de homem, branco, heterossexual e cristão (MIGNOLO, 2013).
O Núcleo de Estudos e Pesquisas E'LÉÉKÒ se justifica pela necessidade de construirmos agenciamentos epistêmicos que celebre a diversidade humana e o lugar de enunciação. Temos como pressuposto a ideia de que o lugar importa, considerando, por exemplo, o pensamento de Édouard Glissant, Hill Collins, bell rooks, Lélia Gonzalez e Silvia Cusicanqui. Ou seja, o lugar desde o qual produzimos e difundimos conhecimento, o lugar desde o qual compreendemos e enunciamos o mundo, assim como o lugar desde o qual escutamos e apre(e)ndemos os diferentes lugares deste mesmo mundo.
No que tange a construção do conhecimento na UFPel e na UFRGS, compreendemos que a utilização de aportes teóricos novos que têm a potência de desenhar problemas novos, provocar olhares e questionamentos aos modos vigentes. Precisamos radicalizar na crítica à universalização das teorias, à universalização das categorias abstratas que produzem generalizações e universalidade.

Metodologia

As discussões teórico-metodológicas que subsidiam as atividades do Núcleo de Estudos e Pesquisas E'LÉÉKÒ partem dos estudos pós-coloniais, anticoloniais, descoloniais, contra-coloniais, cujas epistemologias buscam visibilizar modos de conhecimentos não hegemônicos.
Como estratégias para fomentar discussões, problematizações, reflexões e intervenções sobre os temas em estudo, utilizaremos de seminários, debates coletivos, análise de vídeos, palestra com convidadas/os realizados nos encontros semanais (virtuais ou presenciais), com duas horas de duração cada.
Os encontros deverão desencadear e subsidiar a:
• Produção de ensaios, artigos e trabalhos de conclusão de curso;
• Apresentação de trabalhos em eventos científicos e outros espaços pertinentes;
• Realização da Jornada E’LÉÉKÒ;
• Rodas de conversa com a comunidade externa.

Indicadores, Metas e Resultados

• Formação de profissionais no campo das ciências humanas e da saúde capazes problematizar suas práticas no que tange as relações de poder, saber e ser engendrados pela colonialidade no contemporâneo;
• Fomento de marcos teórico-epistemológicos descoloniais e antirracistas na UFPel e UFRGS;
• Apresentação de trabalhos em eventos científicos;
• Publicação de artigos, ensaios, resumos em revistas, periódicos, anais, capítulos de livros, etc.;
• Organização e realização da Jornada E’LÉÉKÒ;
• Construção de parcerias com outros Núcleo/Grupos da UFPel e de outras IES.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Ademiel de SantAnna Júnior
CASSIAN MARIN PEREIRA RAMIREZ
CRISTIANA VIGORITO AFONSO
Cecília Maria Izidoro Pinto
DEBORA AIRES DA COSTA
GUSTAVO PIRES
LUIS ALBERTO FERREIRA DIAZ
MAIARA SCHEILA FREITAS SANTOS
MIRIAM CRISTIANE ALVES5
MONIQUE NAVARRO SOUZA
NATHALIA DUARTE MOURA
RITIELE MACHADO PRESTES

Página gerada em 30/06/2022 12:52:25 (consulta levou 0.071309s)