Nome do Projeto
Usina de Papel Reciclado Artesanal
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/05/2017 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Educação
Linha de Extensão
Educação Ambiental
Resumo
As perspectivas futuras para a reciclagem de papéis são, sem dúvida, bastante promissoras, pois estão associadas ao conceito de Ecoeficiência sendo prática necessária e muitas vezes comum nas empresas papeleiras. Hoje, uma parcela da população brasileira é atendida por serviços municipais de coleta seletiva e parte desses programas tem a participação de cooperativas de catadores. Mas é importante salientar que a maior parte do material não coletado pelos sistemas oficiais, acaba chegando à indústria por meio do trabalho de catadores, aparistas e sucateiros. A reciclagem envolve uma cadeia que começa na separação dos resíduos sólidos pelos cidadãos, passando pela coleta, triagem e preparação do material recolhido que, em seguida, é encaminhado à indústria para que seja transformado em nova matéria prima. Papel reciclado é feito de aparas (sobras e/ou restos) de papel já produzido, geralmente usado, água e aditivos. Ele pode substituir o papel virgem em vários produtos, sem comprometer a qualidade.

Objetivo Geral

A Usina do Papel Reciclado Artesanal será um evento com o objetivo geral de proporcionar a integração de alunos, professores e demais profissionais da área de Engenharia Industrial Madeireira e de escolas públicas, através da realização de atividades relacionadas a sustentabilidade do meio ambiente, despertando com isso, o interesse dos alunos ingressantes nos cursos de engenharia e de alunos de escolas públicas a atuarem nas áreas das engenharias de forma mais ecoeficiente, maximizando a utilização sustentável de recursos renováveis.

Justificativa

A reciclagem de resíduos sólidos é uma atividade muito atrativa e rentável, principalmente a nível industrial. As perspectivas futuras para a reciclagem de papéis são, sem dúvida, bastante promissoras, pois estão associadas ao conceito de Ecoeficiência sendo prática necessária e muitas vezes comum nas empresas papeleiras.

Metodologia

O Curso Usina do Papel Reciclado Artesanal será direcionado aos alunos da instituição executora e da co-executora e ocorrerá no período de cinco dias onde, em cada dia, serão ministradas aulas teóricas abordando temas sobre a importância da reciclagem de materiais sólidos, como e porque reciclar papéis, o panorama e a situação no Brasil e no mundo desse segmento. Durante o curso também serão realizadas aulas práticas onde os alunos aprenderão a fazer papel reciclado artesanal, possibilitando a aplicação de conhecimentos adquiridos nas aulas teóricas.
As aulas teóricas serão ministradas a partir da apresentação de slides em Data-Show nos quais serão apresentados os seguintes assuntos:
• Panorama atual do setor de celulose e papel no Brasil e no mundo.
• Processo de produção de papel.
• A reciclagem do papel: importância, produtividade e tipos de papéis que podem ser reciclados.
• Como fazer papel reciclado.

Nas aulas práticas, para a produção do papel reciclado artesanal, serão utilizadas fibras extraídas de papéis velhos e fibras naturais não madeireiras. As fibras recicladas serão obtidas de revistas velhas, jornais ou aparas de papéis geradas na Escola Municipal Pelotense e na Universidade Federal de pelotas, tendo-se o cuidado de escolher materiais com fibras parecidas para a produção de papéis reciclados mais uniformes. Com relação às fibras não madeireiras, serão escolhidas espécies fibrosas como o Sisal, Junco, Bambu, entre outras.
Antes de iniciar o processo de reciclagem, os papéis velhos passarão por um processo de limpeza, para a remoção de impurezas como terra, clipes, adesivos, etc. os quais poderão comprometer a qualidade do produto final.

• Preparo da polpa:

Antes de ficar de molho pelo tempo determinado, as aparas (papéis velhos) serão picadas com as mãos ou com uma fragmentadora, para serem depois liquidificadas. No liquidificador industrial será colocado aproximadamente 2/3 do copo com água e o resto com papel picado. A massa então será batida durante 5 minutos no liquidificador industrial, até obtenção de uma polpa macia (massa). A operação será repetida até atingir a consistência desejada. Posteriormente, a massa será lançada em um tanque, uma bacia ou outro recipiente, onde será misturada à água formará a polpa, que será a base do papel reciclado. A mistura será constantemente mexida, para que as fibras fiquem distribuídas por igual. A proporção correta de massa e água no tanque a ser empregada será de 90% de água para 10% de polpa. A esta mistura serão adicionadas, já trituradas e peneiradas, elementos ou fibras decorativas (fibras não madeireiras).

• Obtenção da folha:

Para retirar a massa do tanque, em forma de folhas, será utilizado o molde e a moldura. O procedimento será o seguinte:
- A massa será homogeneizada (mexida) no tanque até a obtenção de uma polpa leitosa;
- Segurando firme, com as duas mãos, o molde com a moldura sobreposta será mergulhado no tanque em posição inclinada a mais ou menos 45°, no lado mais próximo ao operador.
- Cuidadosamente o molde e a moldura serão retirados do tanque;
- A moldura então será retirada, não deixando pingar água na polpa que estará sobre o molde.
Após, a polpa será transferida virando o molde para baixo sobre um material absorvente para a remoção do excesso de água. Então, o molde será removido e a folha formada seguirá para as operações de secagem e acabamento (se necessário).

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se, com esse projeto, que os alunos tenham alcance a informações e ao conhecimento sobre a importância da reciclagem de materiais sólidos e sobre como produzir papéis de excelente qualidade a partir de fibras recicladas e outras fibras naturais. Além disso, este projeto formará um conjunto de atividades práticas e teóricas que possibilitarão também a integração de alunos de escolas públicas e do ensino superior, além da melhoria no ensino em ambas às instituições, gerando, consequentemente, o maior interesse pelos alunos em suas atividades escolares e de aprendizado. Dentro desta proposta, esperamos contribuir para que alunos de escolas públicas tenham interesse em ingressar no curso de Engenharia Industrial Madeireira da Universidade Federal de Pelotas e que os já ingressantes permaneçam no curso.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDREY PEREIRA ACOSTA
ANTONILDES TEIXEIRA MENDES NETO
DARCI ALBERTO GATTO1
EZEQUIEL GALLIO
JÉSSICA MICHEL DA SILVA
LUCIANO ANACKER LESTON1
MARINDIA DE ALMEIDA BORBA
RAFAEL BELTRAME2
RICARDO RIPOLL DE MEDEIROS1
TALINE RODRIGUES MATTOSO
WÂNDRIA DOS SANTOS RIBEIRO

Página gerada em 07/07/2022 03:50:03 (consulta levou 0.097170s)