Nome do Projeto
ANÁLISE COMPARATIVA DE FERRAMENTAS BRASILEIRAS DE AVALIAÇÃO DA SUSTENTABILIDADE EM PROPRIEDADES AGRÍCOLAS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
18/04/2022 - 31/03/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Diversos são os sistemas internacionais desenvolvidos para mensurar a sustentabilidade das atividades agrícolas baseados em indicadores, foco desta pesquisa. (DE OLDE; OUDSHOORN; SØRENSEN; BOKKERS et al., 2016) listam cerca de sessenta ferramentas publicadas, destacando o MESMIS – Marco para la Evaluación de Sistemas de Manejo de Recursos Naturales incorporando Indicadores de Sustentabilidade (MASERA; ASTIER; LÓPEZ RIDAURA, 1999), o Indicateurs de Durabilité des Explotations Agricoles – IDEA (BRIQUEL; VILAIN; BOURDAIS; GIRARDIN et al., 2001), a Ferramenta para Sustentabilidade Agrícola Integrada -MOTIFS (MEUL; VAN PASSEL; NEVENS; DESSEIN et al., 2008) dentre outros. No Brasil, sistemas para mensurar a sustentabilidade das propriedades agrícolas também estão em desenvolvimento, especialmente pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, podendo-se destacar o APOIA Novo Rural (RAMOS FILHO; RODRIGUES; FRIGHETTO; RODRIGUES et al., 2004); o Método AMBITEC (MONTEIRO; RODRIGUES, 2006) e o Método Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas – ISA (FERREIRA; VIANA; COSTA; SOUSA et al., 2012). Os métodos de avaliação de sustentabilidade tem sido aplicados em diferentes tipos de propriedades agrícolas, como no estudo feito por (HÄNI; GERBER; STÄMPFLI; PORSCHE et al., 2006) com o método RISE aplicado em fazendas produtoras de chá; por (HANI; BRAGA; STAMPFLI; KELLER et al., 2003), os quais aplicaram o método RISE em fazendas de produção de gado de corte, leite e cacau; por (DE OLDE; OUDSHOORN; SØRENSEN; BOKKERS et al., 2016) que em sua pesquisa aplicaram os métodos RISE, SAFA, PG e IDEA em propriedades agrícolas de produção animal e áreas de cultivo; por (MEUL; VAN PASSEL; NEVENS; DESSEIN et al., 2008) que em seus estudos, aplicaram o método MOTIFS em uma fazenda de produção de leite; por (FERREIRA; VIANA; COSTA; SOUSA et al., 2012) que usaram o método ISA em propriedades rurais produtoras de café, leite, dentre outras; e por (RODRIGUES; CAMPANHOLA, 2003) que aplicaram o método APOIA-NovoRural em atividades de horticultura orgânica diversificada, em horticultura convencional especializada, na produção orgânica integrada de hortaliças e leite, em hidroponia e agroturismo. Entretanto, quando analisamos os estudos comparativos de sistemas de mensuração da sustentabilidade das propriedades agrícolas, constata-se que estes têm sido realizados com as ferramentas internacionais. Considerando a importância da aplicação de avaliações de sustentabilidade para o ecossistema, a carência de estudos comparativo entre os métodos brasileiros e a falta de uma visão abrangente das ferramentas disponíveis, a pesquisa a ser desenvolvida nesse trabalho propõe a análise comparativa de três sistemas brasileiros de avaliação de sustentabilidade agrícola visando à seleção do sistema mais adequado para avaliação da sustentabilidade em propriedades produtoras de tabaco do Sul do Brasil. O presente trabalho visa identificar, dentre métodos brasileiros, o sistema mais adequado para avaliação da sustentabilidade em propriedades agrícolas.

Objetivo Geral

1.1 Objetivos
1.1.1 Geral

O presente trabalho visa identificar, dentre métodos brasileiros, o sistema mais adequado para avaliação da sustentabilidade em propriedades produtoras de tabaco no Sul do Brasil

1.1.2 Específico

Para atendimento ao objetivo geral serão desenvolvidas as seguintes etapas:
• Analisar as diferenças e similaridades dos métodos brasileiros de avaliação da sustentabilidade em propriedades agrícolas;
• Validar as categorias chaves de análise comparativa de ferramentas de análise da sustentabilidade em propriedades agrícolas;
• Analisar as vantagens e desvantagens dos métodos com vista ao uso em propriedades agrícolas de tabaco.

Justificativa

Para atender o interesse cada vez maior pela sustentabilidade, se destaca a necessidade de usar ferramentas eficazes em aferir esses aspectos na escala de propriedade rural. Muitas metodologias e ferramentas têm surgido trazendo abordagens de avaliações integradas e holísticas (LAMPRIDI; SØRENSEN; BOCHTIS, 2019), que conciliam o desempenho econômico, a responsabilidade social e a proteção do patrimônio natural na gestão de propriedades rurais, (FERREIRA; VIANA; COSTA; SOUSA et al., 2012)
Prova deste interesse em se avaliar a sustentabilidade em propriedades agrícolas é de que entre 2006-2015 um número crescente de publicações (Figura 1) sobre avaliações de sustentabilidade em propriedades agrícolas foram divulgadas, demonstrando o alto interesse da ciência, política e sociedade (DE OLDE, 2017).

De 2015 em diante foi feita uma busca por artigos sobre avaliação de sustentabilidade em propriedades agrícolas no site web of Science com as palavras chaves (sustainability, assessment, agricultural, properties), no qual foi encontrado 284 artigos, o que assegura ser o tema atual com bastante interesse no meio acadêmico.
No entanto, como constatado por (DE OLDE, 2017), foram encontrados muitos desafios e lacunas em relação à adoção e à implementação prática das ferramentas usadas para avaliação de sustentabilidade. De acordo com a autora, a adoção desses métodos costuma ser decepcionante e limitada por inúmeros fatores, como o envolvimento insuficiente dos usuários, o custo e o tempo necessário para a avaliação, a disponibilidade de dados, a precisão de saída, a complexidade, a dificuldade de uso e a acessibilidade da ferramenta, influenciando na relevância percebida pelo produtor. Além disso, estudos comparativos entre as ferramentas de avaliação são limitados e basicamente teóricos, salientando a falta de uma visão abrangente das ferramentas disponíveis e de suas características para apoiar os usuários na seleção do método a utilizar.
A revisão bibliográfica feita para o desenvolvimento da proposta desse trabalho demonstrou que existe uma carência de estudos comparativos entre os métodos brasileiros de avaliação de sustentabilidade agrícola, diferentemente dos métodos internacionais, comparados na sua teoria e aplicação.
Adicionalmente, esta pesquisa se justifica pela importância da produção de tabaco no Sul do Brasil, o qual é uma atividade de grande relevância econômica e social e está fortemente vinculada ao contexto da agricultura familiar. De acordo com (IVAN BONETTI; TIAGO FICK, 2020), na Radiografia da Agropecuária Gaúcha 2020, no Estado são plantados 126,87 mil hectares, rendendo uma produção de 269,71 mil toneladas de tabaco que gera um valor bruto de 2,99 bilhões para 73.490 famílias produtoras. O tabaco ocupou o 3º lugar entre os principais produtos exportados no 1º semestre de 2020. Embora seja reconhecida por sua relevância econômica, importante se faz oportunizar a incorporação de conhecimentos e das boas práticas agropecuárias, reforçando a sustentabilidade dos sistemas de produção. Inúmeros esforços têm sido empreendidos nos diversos países produtores de tabaco com o objetivo de assegurar o bem-estar dos agricultores integrados, qualificar os processos produtivos do campo à indústria e assegurar que a produção se dê de forma sustentável.
Nesta pesquisa pretende-se dar uma visão abrangente e comparativa de três métodos brasileiros de avaliação de sustentabilidade agrícola a fim de auxiliar na escolha das ferramentas pelos usuários e, dentre elas ver qual melhor avaliaria a sustentabilidade em propriedades produtoras de tabaco.

Metodologia

Método: O estudo de caso é uma forma de realizar pesquisa nas ciências sociais, considerado por (YIN, 2015) como o mais utilizado deles. Investiga um fenômeno contemporâneo em seu contexto no mundo real, podendo incluir um caso único ou múltiplos casos, limitando-se a evidências quantitativas, constituindo-se em um método útil de avaliação.

Definição do objeto de pesquisa: Foram analisados três métodos nacionais de avaliação da sustentabilidade de propriedades agrícolas: o Sistema de avaliação de impactos ambientais de inovações tecnológicas agropecuárias AMBITEC-Agro (RODRIGUES; KITAMURA, 2003), Sistema de Avaliação Ponderada de Impacto Ambiental de Atividades do Novo Rural - APOIA-Novo Rural (RODRIGUES; CAMPANHOLA, 2003) e Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas - ISA (FERREIRA; VIANA; COSTA; SOUSA et al., 2012)

4 Procedimentos de coleta e análise de dados

Para atender o objetivo específico de analisar as diferenças e similaridades dos métodos brasileiros de avaliação da sustentabilidade em propriedades agrícolas foram realizadas quatro etapas metodológicas as quais foram: 1⁰ etapa – Análise comparativa procedida pelo próprio pesquisador sobre os aspectos normativos, sistêmicos e processuais (parcial); 2⁰ etapa – Análise comparativa feita por especialistas do aspecto processual. Para atender o objetivo específico de analisar as vantagens e desvantagens dos métodos com vista ao uso em propriedades agrícolas de tabaco foram realizadas uma 3⁰ etapa - Análise das vantagens e desvantagens das ferramentas nacionais de avaliação da sustentabilidade com vista ao uso em propriedades produtoras de tabaco e finalizando será realizada uma 4ª etapa de análise integrada dos dados coletados.

Indicadores, Metas e Resultados

As metas são a elaboração de uma dissertação de mestrado e redação de dois artigos para publicação em congresso e em revistas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
Clenio Nailto Pillon
Laura Gonçalves Osorio
MARCELO FERNANDES PACHECO DIAS3

Página gerada em 03/03/2024 23:21:53 (consulta levou 0.117481s)