Nome do Projeto
PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOJA E TRIGO EM SISTEMA DE CULTIVO ORGÂNICO
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
08/05/2022 - 31/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Com a necessidade de mudanças no sistema de produção vigente, ressurge o modelo de produção orgânica, no resgate às questões sociais, ecológicas e ambientais da agricultura. Esse modelo ainda pouco expressivo no Brasil, embora considerado um dos países mais promissores da agricultura orgânica, apresenta complexidades em suas legislações e regulamentos, sobretudo no âmbito de Sementes e Mudas. O objetivo deste projeto de pesquisa é desenvolver tecnologias para a produção de sementes de soja e trigo dentro do sistema de cultivo orgânico. O trabalho será realizado na área experimental do PPG em Ciência e Tecnologia de Sementes e as análises de qualidade física e fisiológica serão realizadas no laboratório didático de análises de sementes, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Universidade Federal de Pelotas. Serão avaliados os efeitos da adubação verde nas características morfológicas das duas culturas na produção de sementes, as técnicas da agricultura biológica quanto as características estruturais dos solos; avaliação da qualidade fisiológica (viabilidade e vigor) e física das sementes produzidas e identificar quais as melhores formas de armazenamento para manter a qualidade durante o período entre safra. Assim, gerando um estabelecimento de fundamentação científica mínima para o desenvolvimento de sistemas de produção de sementes de grandes culturas em sistema de cultivo biológico. Com propósito de chegar o conhecimento ao agricultor, ao produtor de sementes, ao responsável técnico, aos obtentores de novas cultivares e aos agentes governamentais, com a missão de elevar o entendimento e assim produzir mais alimentos com constante sustentabilidade ambiental. É esperado um padrão crescente de qualidade de sementes orgânicas produzidas, assim, conquistando consumidores do país e do mercado internacional.

Objetivo Geral

Desenvolver tecnologias para a produção de sementes de qualidade de soja e trigo dentro do sistema de cultivo orgânico.

Justificativa

Treinamento para especialização das técnicas de produção e armazenamento de sementes de grandes commodities em sistema biológico de produção e dentro das normativas da legislação Brasileira para a produção de sementes e mudas em sistema orgânico de produção.
Estabelecimento de fundamentação científica mínima para o desenvolvimento de sistemas de produção de sementes de grandes culturas em sistema de cultivo biológico. Com desígnio de chegar o conhecimento ao agricultor, ao produtor de sementes, ao responsável técnico, aos obtentores de novas cultivares e aos agentes governamentais, com a missão de elevar o entendimento e assim produzir mais alimentos com constante sustentabilidade ambiental.
É esperado um padrão crescente de qualidade de sementes orgânicas produzidas, assim, conquistando consumidores do país e do mercado internacional.

Metodologia

O trabalho será realizado na área experimental do programa e as análises de qualidade física e fisiológica serão realizadas no Laboratório de Análise de Sementes do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Universidade Federal de Pelotas, situada à altitude de 13m, 31º 52’ de latitude Sul e 52º 21’ de longitude Oeste. O clima da região é do tipo Cfa segundo a classificação de Köppen, com chuvas bem distribuídas e verão quente. Além disso, existe parceria com a EMBRAPA Clima Temperado e com a Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).
Experimento 1
Para que ocorra a conversão das sementes do sistema de cultivo convencional para o sistema orgânico, será selecionada uma cultivar de soja não transgênica, e com características edafoclimaticas para produção no sul do Rio Grande do Sul. Para a seleção da cultivar de soja produzida como cultura de verão, será observado o ciclo da cultivar, a cor do hilo e a reação a doenças. Esta será semeada em glebas previamente preparadas junto a técnica de adubação verde na área experimental do PPG Sementes,
localizadas em um ponto da área de experimentação distante das áreas de produção convencional de grãos/sementes. As sementes de soja serão inoculadas com as estirpes, de Bradyrhizobium japonicum, recomendadas para a cultura da soja na região, e semeadas na segunda quinzena de novembro de 2022.
Os parâmetros avaliados no projeto durante o período da produção de sementes, bem como os respectivos critérios adotados: floração inicial; ciclo vegetativo; massa acumulada na parte aérea; altura média das plantas e altura média de inserção das primeiras vagens em plantas de soja.
Produção de sementes de Trigo - Experimento 2
Para a conversão das sementes do sistema de cultivo convencional para o sistema orgânico, será selecionada uma cultivar de trigo não transgênico, e com características edafoclimaticas para produção no sul do Rio Grande do Sul. Esta será semeada como cultura de inverno, em glebas previamente preparadas junto a técnica de adubação verde na área experimental do programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes, localizada em um ponto da área de experimentação distante das áreas de produção convencional de grãos/sementes.
Os parâmetros avaliados no projeto durante o período da produção de sementes, bem como os respectivos critérios adotados: estádio de florescimento; estatura das plantas; comprimento da inflorescência e fertilidade de espiguetas. Adubação Verde e avaliação das estruturas do solo aplicados ao experimento 1 e experimento 2.
A adubação verde consiste na facilidade para produção de sementes de boa qualidade, possibilitando a viabilização das quantidades necessárias nas próprias unidades de produção, garantindo sua independência em relação a esse insumo. O adubo verde será semeado a lanço nas entrelinhas das culturas, sendo utilizada uma proporção de aproximadamente 75 kg.ha-1 do mix de sementes para os experimentos 1 e 2.
Os processos de nutrição do solo por meio desta técnica, ocorrerá a partir da relação simbiótica ou associativista qua algumas plantas, onde, se faz uso do mix de sementes no experimento 1 de: crotalária (C. juncea, C. spectabilis e C. ochroleuca), feijão guandú (Cajanus cajan), brachiaria ruziziensis, sorgo volumoso (Sorgo BRS716), milheto (BRS 1501), nabo forrageiro (IPR 116).
Para o experimento 2, o mix de sementes utilizado na produção de sementes será: guandu (Cajanu cajan (L.) Millps), as crotalárias (Crotrolaria juncea L., Crotolaria ochroleuca G., Crotalaria paulina e Crotolaria spectabilis Roth), as mucunas (Mucuna cinereum L., Mucuna deeringanum (Bort.) Merr., Mucuna aterrima (Piper & Tracy) Merr.), o feijão-de-porco (Canavalia ensiformis (L) DC), o feijão-bravo (Canavalia brasiliensis Mart.) e as ervilhacas (Vicia sativa L., Vicia villosa Hoth, Vicia benghalensis L.).
A semeadura destas espécies evita o desenvolvimento indesejado de plantas daninhas, diminui as perdas de água no solo, contribuindo, assim, para recuperação de áreas degradadas (PERIN, 2017).
Armadilhas para controle de pragas em campo Durante o desenvolvimento dos experimentos 1 e 2 e para controle eficiente das pragas de campo, será realizado levantamento populacional destas, semanalmente. Assim, o conhecimento das densidades populacionais irá permitir a aplicação dos métodos
de controle somente quando as populações dos insetos alcançam densidades que podem causar danos econômicos. Dessa forma, podemos promover o uso racional dos produtos e a economia de recursos.
Avaliação da qualidade fisiológica e morfológica das sementes: componentes do rendimento para experimento 1 e 2.
As avaliações a serem realizadas no experimento 1 e 2 são descritas abaixo: qualidade das sementes: germinação, teste de tetrazólio; comprimento de plântulas, matéria seca de raiz e parte aérea e o teste de envelhecimento acelerado. A avaliação do peso hectolitríco para o experimento 2, será realizada por meio de peagâmetro conforme metodologia descrita por Brasil (2009). Nutrientes totais acumulados pelas plantas (parte aérea).
Armazenamento de Sementes de soja dentro do Sistema Biológico de produção – Experimento 3
Serão tratadas 500 gramas de sementes de soja com extratos vegetais e terra de diatomáceas e armazenadas durante 8 meses. Serão feitos testes preliminares para determinar a dose de extrato para cada kg de semente, sem prejudicar a germinação e vigor das mesmas. A terra diatomácea será utilizada nas dosagens especificadas na bula do produto, 1g por kg de sementes.
As sementes de soja serão avaliadas em seis épocas 0, 30, 60, 90 e 180 dias, avaliando a germinação, primeira contagem do teste de germinação, teor de água, massa de mil sementes o vigor (teste de envelhecimento acelerado).Todas as análises de germinação são conduzidas conforme Brasil (2009), sendo o teste de vigor realizado de acordo com a metodologia de Marcos Filho (2015).
O delineamento experimental realizado neste experimento, durante o armazenamento, será um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3x6 (três tratamentos e seis períodos de armazenamento).
Armazenamento de Sementes de trigo dentro do Sistema Biológico de produção – Experimento 4
Serão tratadas 500 gramas de sementes de trigo com extratos vegetais e terra de diatomáceas e armazenadas durante 8 meses. Serão feitos testes preliminares para determinar a dose de extrato para cada kg de semente, sem prejudicar a qualidade física e fisiológica das mesmas. A terra diatomácea será utilizada nas dosagens especificadas na bula do produto, 1g por kg de sementes.
As sementes de trigo serão avaliadas em seis épocas 0, 30, 60, 90 e 180 dias, avaliadas pelo teste de germinação, primeira contagem da germinação, teor de água, massa de mil sementes e teste de vigor (teste de frio). Todas as análises de germinação são conduzidas conforme Brasil (2009), sendo o teste de vigor realizado de acordo com a metodologia de Marcos Filho (2015).
O delineamento experimental realizado neste experimento, durante o armazenamento, será um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3x6 (três tratamentos e seis períodos de armazenamento). Avaliação das características do solo durante a produção de sementes em sistema orgânico Para avaliar a evolução das características solo onde são realizados os experimentos 1 e 2, serão retiradas amostras a cada nova semeadura (verão e inverno), para a avalição da amostragem do solo, ou seja, identificar a capacidade que o solo tem de prover os nutrientes que são necessários para as plantas. Serão realizadas as análises química completas, no qual, permite a verificação de macronutrientes e os micronutrientes do solo. O dimensionamento ocorre em cima de todos nutrientes que a planta necessita em grande quantidade (macronutrientes) e também os que são necessários em doses menores (micronutrientes).
Procedimento estatístico Dados referentes as características morfológicas, componentes do rendimento, composição química e qualidade física e fisiológica das sementes serão submetidos à análise de variância e, quando significativos em nível de 5% de probabilidade, as médias dos cultivares serão comparadas pelo
teste t.

Indicadores, Metas e Resultados

Pressentido atividades de pesquisa junto ao sistema de produção agrícola no Matopiba com a APROSEM (Associação dos Produtores de Sementes do Matopiba) em campos de produção de seus associados. Em parceria com os trabalhos de pesquisa de dissertação dos alunos do mestrado profissional do PPG Sementes UFPel (acordo de cooperação ativo entre UFPel e turma fora de sede do mestrado profissional com a APROSEM), voltados ao aperfeiçoamento das técnicas de manejo quanto a produção e armazenamento de soja orgânica.
No decorrer do projeto, é conjecturado pesquisas juntamente com a Universidade de Firenze na Itália, no qual terá possibilidade de ser realizadas viagens com foco para a produção biológica de sementes de trigo, tendo ênfase no momento da semeadura e durante a época de colheita. Visto a Universidade de Firenze obter um setor de pesquisas, voltadas a produção biológica de cereais antigos, há expectativa de um doutorado sanduiche de um dos colaboradores do projeto.
Impactos econômicos
Possibilitar a elaboração de estratégias de produção de sementes para ambiente especifico, permitindo a produção de grandes cultivos em um nicho de mercado singular, no qual está em desenvolvimento crescente. Busca de um modelo agrícola que reduza os impactos ambientais e impulsione a produção de alimentos mais saudáveis.
Impactos científicos
Geração de informações e técnicas capazes de encontrar possibilidades e sanar dificuldades para realização da produção de sementes orgânicas de grandes culturas.
Impactos sociais
Engajamento de acadêmicos de graduação e pós graduação em projetos de pesquisa e extensão, treinando e capacitando-os para atuar nessa área, obtendo como foco o tripé da sustentabilidade que é o seguimento do economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente correto, com intuito de chegar o conhecimento ao agricultor e o produtor de sementes.
Impactos ambientais
Redução de danos e contaminações não somente ao ambiente, pois, este é um processo produtivo comprometido com a organicidade e sanidade da produção de alimentos vivos para garantir a saúde dos seres humanos. Razão pela qual usa e desenvolve tecnologias apropriadas à realidade local de solo, topografia, clima, água, radiações e biodiversidade própria de cada contexto, mantendo a harmonia de todos esses elementos entre si e com os seres vivos.

O projeto será capitaneado por pesquisador do PPG em Ciência e Tecnologia de Sementes/UFPel, com colaboração de docente vinculado ao PPG em Agronomia e docente vinculado ao PPG em Fisiologia Vegetal. Além disso, existe parceria com a EMBRAPA Clima Temperado e com a Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul.
O estudo com produção de sementes orgânicas de grandes commodities e sua consequência na qualidade fisiológica das sementes e na produtividade de grãos pode permitir o desenvolvimento de sistemas de produção de sementes destinadas à ambientes específicos, possibilitando a utilização de sementes de alto vigor e irá favorecer à diminuição de uso de produtos químicos tóxicos a humanos e animais; e minimizar impactos ambientais provocados por esses produtos; atreladas a preocupação com a sustentabilidade. Um novo panorama indica a necessidade de mudanças no atual sistema de produção convencional.
O número de consumidores vem crescendo e cada vez mais preocupados com o meio ambiente, a demanda por alimentos saudáveis, com alta qualidade e aliada à preços mais atrativos. Ainda há uma necessidade muito grande de solucionar as dificuldades do sistema e colocar em prática os regulamentos e normas da Legislação de Sementes do Brasil. Grande parte do cultivo orgânico no país é realizado com sementes convencionais devido o mercado não dispor de sementes orgânicas em quantidade e qualidade.
Como não utilizam agrotóxicos e outros produtos relacionados, esse método de cultivo respeita o ciclo natural das plantas e do solo, o que faz com que os alimentos sejam mais saudáveis, cresçam com mais fibras e outros nutrientes, valorizando ainda mais o consumo de grãos de soja e trigo.
Em relação a contribuição de inovação da proposta, diante da expansão do setor de orgânicos no Brasil e do crescimento da demanda, por parte do consumidor, por alimentos mais saudáveis, o segmento de sementes orgânicas certificadas começa a atrair o interesse de investidores e empreendedores, com a promessa de potencializar o mercado. A demanda por essas sementes cresce ano a ano e há uma expectativa de que a legislação orgânica seja implementada em relação às sementes. Os produtores, ao utilizar sementes orgânicas certificadas, contribuem para garantir um modelo eficiente de agricultura sustentável. Irá noticiar um grande passo no setor agrícola com a determinação e identificação de técnicas de produção e armazenamento de sementes orgânicas de soja e trigo, no sentido de avançarmos para modelos capazes de responder à demanda crescente de consumidores por produtos livre de agrotóxicos e com menor impacto ambiental e social.
Riscos e dificuldades
O crescimento da população mundial faz com que a demanda por alimentos seja crescente. Nesse sentido, a agricultura de manejo orgânico não teria condições de suprir a demanda do mercado, dada sua produtividade ser menor do que a agricultura convencional. Apesar de todos os benefícios a ela associados, a produção orgânica ainda é uma atividade destinada a atender um nicho específico do mercado que cresce no Brasil.
Outra dificuldade encontrada, é dirigida para a falta de pesquisas voltadas para atividade, o que acaba propiciando obstáculos no manejo da produção das grandes culturas agrícolas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE MARINHO DE ASSIS1
ANDRÉA BICCA NOGUEZ MARTINS
ANDRÉIA DA SILVA ALMEIDA1
CAMILA DE AVILA NUNES
CRISTINA ROSSETTI
IRENI LEITZKE CARVALHO2
LILIAN VANUSSA MADRUGA DE TUNES3
MATEUS DA SILVEIRA PASA1
NATALIA PEDRA MADRUGA
NÍCOLAS DA CONCEICÃO DE AVILA
TIAGO PEDO1
TIAGO ZANATTA AUMONDE1

Página gerada em 13/04/2024 06:49:36 (consulta levou 0.371124s)