Nome do Projeto
PESQUISA, IDENTIFICAÇÃO E MONITORAMENTO DE INSETOS VETORES DE ZOONOSES, DAS FAMÍLIAS CERATOPOGONIDAE E PSYCHODIDAE (DIPTERA), NA CIDADE DE PELOTAS, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/06/2022 - 31/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Os ectoparasitos de interesse veterinário causam grandes prejuízos na produção animal e criação de animais pet, seja pela ação espoliadora direta ou pelo incômodo que causam, além do potencial risco de veiculação de patógenos que podem ser transmitidos aos animais, bem como os humanos (BRITO et al., 2008). Portanto, identificar possíveis vetores de doenças bem como o reconhecimento das principais espécies transmissoras e sua bioecologia são instrumentos importantíssimos para se entender os mecanismos de transmissão das doenças e, consequentemente, contribuir para a adoção de medidas mais eficazes de vigilância e controle. O objetivo do estudo é identificar e monitorar os insetos vetores de zoonoses das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae (Diptera) na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Os insetos serão coletados mensalmente com o uso de armadilha luminosa por sucção, das 18:00 às 06:00 horas, em regiões de área urbana e em propriedades de área rural, na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. Será realizada uma triagem, separando-se os dípteros das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae dos outros insetos e posteriormente serão identificados. Através da captura e identificação dos insetos famílias Ceratopogonidae e Psychodidae, espera-se obter a descrição das espécies que ocorrem na região de Pelotas, Rio Grande do Sul; Identificar novas espécies de insetos das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae; Identificar locais de possível infestação em animais e humanos, além de regiões com possibilidade de infecção por patógenos, bem como determinar metodologias de controle e prevenção para impedir a proliferação dos insetos.

Objetivo Geral

Identificar e monitorar os insetos vetores de zoonoses das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae (Diptera) na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Justificativa

Os ectoparasitos de interesse veterinário causam grandes prejuízos na produção animal e criação de animais pet, seja pela ação espoliadora direta ou pelo incômodo que causam, além do potencial risco de veiculação de patógenos que podem ser transmitidos aos animais, bem como os humanos (BRITO et al., 2008). Portando, identificar possíveis vetores de doenças bem como o reconhecimento das principais espécies transmissoras e sua bioecologia são instrumentos importantíssimos para se entender os mecanismos de transmissão das doenças e, consequentemente, contribuir para a adoção de medidas mais eficazes de vigilância e controle.

Metodologia

Local e Período do experimento
O experimento estará vinculado a Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), durante o período de março de 2022 a março de 2025.

Coleta de insetos
Os insetos das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae serão coletados mensalmente com o uso de armadilha luminosa por sucção, durante o período de março de 2022 a março de 2025, completando 3 anos. As armadilhas serão instaladas cerca de 1,5m de altura do solo, em regiões de área urbana e em propriedades de área rural, na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul (31° 46' 34'' S; 52° 21' 34'' W).
Os períodos de captura serão das 18:00 às 06:00 horas, e os dípteros capturados serão colocados em recipientes plásticos com álcool 70% e encaminhados ao Laboratório do Grupo de Estudos em Enfermidades Parasitárias (GEEP) da Faculdade de Veterinária na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) para identificação.
Será realizado uma triagem, separando-se os dípteros das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae dos outros insetos. Os espécimes capturados serão avaliados com auxílio de microscópio estereoscópico (lupa). Exemplares serão separados em morfoespécies e, posteriormente, alguns exemplares serão montados em lâminas de acordo com Wirth e Marston (1968) com adaptações de Monteiro et al. (2013), onde os Ceratopogonidae serão identificados de acordo com chaves de identificação de Wirth e Blanton (1959), Wirth et al. (1988), Spinelli et al. (2005) e Felippe-Bauer et al. (2008) e os Psychodidae através da chave taxonômica de Galati (2003).
Para o armazenamento, os insetos serão conservados em microtubos eppendorfs de 2,0mL contendo álcool 70%.

Mapeamento
Todos os pontos de captura do estudo serão mapeados por meio do sistema de posicionamento global (GPS) com o aplicativo móvel My GPS Coordinates.

Análises estatísticas
O método estatístico Qui-quadrado (p < 0,05) será usado para analisar a frequência dos dípteros das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae capturados neste estudo. Essas análises serão realizadas no programa estatístico SAS, versão 9.2 (SAS, 2009).

Indicadores, Metas e Resultados

- Obter, através da captura e identificação dos insetos famílias Ceratopogonidae e Psychodidae, a descrição das espécies que ocorrem na região de Pelotas, Rio Grande do Sul.
- Identificar novas espécies de insetos das famílias Ceratopogonidae e Psychodidae.
- Identificação dos locais de possível infestação em animais e humanos, além de regiões com possibilidade de infecção por patógenos, bem como determinar metodologias de controle e prevenção para impedir a proliferação dos insetos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAMILA GONCALVES DA SILVEIRA
DIEGO MOSCARELLI PINTO1
FELIPE GERALDO PAPPEN1
GABRIELLE TORRES COTTA DE MELLO
GIULIA RIBEIRO MEIRELES
JULIA SOMAVILLA LIGNON
JULIA VICTORIA SANTOS DE SOUZA
MARIA GABRIELA CUSTODIO KOBAYASHI
NATALIA BELEN BAUTE ABERO
NATÁLIA SOARES MARTINS
STANRLEY VICTOR NASCIMENTO DA SILVA
TAMIRES SILVA DOS SANTOS

Página gerada em 23/07/2024 07:48:50 (consulta levou 0.102263s)