Nome do Projeto
Aspectos epidemiológicos e patológicos dos osteossarcomas em cães no sul do RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
04/07/2022 - 15/10/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Tumores malignos são a primeira causa de morte entre cães. Dentre os tumores ósseos, o osteossarcoma (OSA) têm a maior prevalência. Trata-se de um tumor maligno que se origina do mesoderma, nas metáfises de ossos apendiculares (80% dos casos). Será realizado um estudo retrospectivo dos casos de osteossarcomas. Os neoplasmas serão classificados e os dados epidemiológicos serão tabulados. O tipo tumoral e os aspectos clínico e epidemiológicos serão correlacionados.

Objetivo Geral

Avaliar os fatores predisponentes para o desenvolvimento do osteossarcoma
em cães, assim como a sobrevida dos mesmos.

Justificativa

O osteossarcoma (OSA) é uma doença relativamente comum em cães e que tem dificuldade de tratamentos eficazes. Desta forma, faz-se necessário determinar as predisposições de OSA e possíveis prevenções para cada causa.

Metodologia

Através do estudo retrospectivo, serão verificados todos os protocolos de exames referentes a tumores que acometeram ossos em cães registrados na base de dados do Serviço de Oncologia Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (SOVET-UFPEL) no período de janeiro de 2016 a abril de 2022 As necropsias e as biópsias serão contempladas da mesma forma no presente trabalho. Serão contabilizadas a raça, porte, o sexo e o status reprodutivo de todos os cães. As faixas etárias serão agrupadas em filhotes (caracterizado por cães de até um ano de idade), jovens adultos (de um a quatro anos de idade), adultos (de cinco a dez anos) e idosos (acima de dez anos de idade). Os tumores serão avaliados e classificados de pelos seus aspectos morfológcos

Indicadores, Metas e Resultados

Pretende-se obter a incidência de osteossarcoma em animais atendidos e diagnosticados no SOVET, semelhante ao descrito na literatura, como 85% dos tumores malignos de cães.
Estima-se que a sobrevida em cães diagnosticados é de seis meses a um ano.
Animais tratados (cirurgia e quimioterapia ou outros) vivam até cinco anos. Da mesma forma, varia com a localização, em que ossos chatos ou com tumor localizado proximal ao úmero e/ou cães sobrevida maior ainda maior). Mas também cães com baixo peso tem prognóstico melhor.
Espera-se haver consonância do surgimento de osteossarcomas em cães de grande porte com esterilização antes de completar um ano de idade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE DO AMARAL
CLARISSA CAETANO DE CASTRO
CRISTINA GEVEHR FERNANDES4
FABIANE BORELLI GRECCO2
FELIPE MACHADO LEMOS
ISADORA LOSEKANN MARCON
JULIA NOBRE PARADA CASTRO
JULIANA COSTA DA COSTA
LUÍSA GRECCO CORRÊA
MARINA GIODA NORONHA
MAUREN ARRIADA OLIVEIRA
THOMAS NORMANTON GUIM1

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 1.800,00Coordenador

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339030 - Material de ConsumoR$ 1.800,00

Página gerada em 26/05/2024 15:11:58 (consulta levou 0.147795s)