Nome do Projeto
Uso de resinas aquecidas e energia ultrassônica em procedimentos de cimentação – Avaliação dos aspectos relacionados à técnica de aplicação
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
02/06/2022 - 30/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O uso de resinas compostas convencionais pré-aquecidas para cimentação adesiva de restaurações indiretas como alternativa aos tradicionais cimentos resinosos é cada vez mais popular. Alguma das características que justificam o seu uso como agente de cimentação são o potencial de menor deterioração marginal, por ser um material mais resistente ao desgaste, com maior estabilidade de cor e maior resistência mecânica. No entanto, por ser um material mais viscoso, essa técnica apresenta preocupações em relação a espessura de película formada e a correta adaptação da restauração indireta. O pré-aquecimento e o uso de ultrassom são ferramentas que se já se mostraram eficientes para a redução da viscosidade e espessura da película formada por resinas compostas convencionais. Apesar disso, diversas questões são pouco esclarecidas, como por exemplo a influência do tempo de aquecimento dos compósitos restauradores, o tempo necessário para que as resinas atinjam o equilíbrio térmico e a faixa de temperatura que é eficiente e segura para cimentação de restaurações indiretas. A potência e o tempo de aplicação de energia ultrassônica piezoelétrica no procedimento de cimentação também são pouco descritos na literatura. Faltam informações para estabelecer uma técnica ideal para a prática clínica. Dessa maneira, o presente trabalho tem como objetivo: I- investigar a cinética térmica e o efeito de diferentes temperaturas e tempos de aquecimento nas propriedades de espessura de película, viscosidade, grau de conversão e resistência coesiva de resinas convencionais pré-aquecidas II- avaliar o efeito da aplicação do ultrassom em diferentes configurações (potência x tempo) nas propriedades de espessura de película, escoamento, resistência de união, adaptação marginal e resistência á fratura e III- avaliar o efeito do pré-aquecimento nas propriedades de viscosidade e espessura de película em diferentes tipos de resinas compostas convencionais.

Objetivo Geral

Investigar a faixa de temperatura eficiente e segura para otimização do uso de resinas compostas pré-aquecidas como agentes de cimentação, bem como avaliar o efeito da utilização de energia ultrassônica no procedimento de cimentação, nas propriedades e no desempenho de diferentes materiais cimentantes.

Justificativa

Apesar dos resultados positivos já observados da aplicação de pré-aquecimento e energia ultrassônica no procedimento de cimentação, diversas questões são pouco esclarecidas na literatura: a influência do tempo de aquecimento dos compósitos restauradores, o tempo necessário para que as resinas atinjam equilíbrio térmico, a faixa de temperatura que seja eficiente e segura, ou seja, que ofereçabenefícios como redução de viscosidade e espessura de película sem alterar as propriedades mecânicas do agente de cimentação aquecido. Em relação ao uso de ultrassom, o tempo de aplicação e a potência do equipamento utilizado também são variáveis pouco descritas nos estudos e não há critérios bem definidos para estabelecer uma técnica ideal. Desta maneira, o presente estudo tem como objetivos: I- investigar a cinética térmica e o efeito de diferentes temperaturas e tempos de aquecimento nas propriedades de espessura de película, viscosidade, grau de conversão e resistência coesiva de resinas convencionais pré-aquecidas; II- avaliar o efeito da aplicação do ultrassom em diferentes configurações (potência x tempo) nas propriedades de espessura de película, escoamento, resistência de união, adaptação marginal e resistência à fratura; e III- avaliar o efeito do pré-aquecimento nas propriedades de viscosidade e espessura de película em diferentes tipos de resinas compostas convencionais.

Metodologia

Este estudo in vitro avaliará o efeito do pré-aquecimento de quatro resinas compostas (Tabela 1) à 54°C e 68°C , por 1; 2,5; 5; 10; 15; 30 ou 60 minutos, nas propriedades de viscosidade, espessura de película, escoamento, resistência coesiva e grau de conversão. Dois cimentos resinosos fotopolimerizáveis (pré-aquecidos e em temperatura ambiente) serão testados para comparação. Todos os materiais serão escolhidos em tons de esmalte A1, A2 ou similares. Para o aquecimento dos agentes de cimentação uma porção padronizada de material será aquecida em um equipamento específico para este fim (Calset; AdDent, Inc, Danbury, CT, USA). O equipamento será utilizado de acordo com as normas do fabricante.

Indicadores, Metas e Resultados

O tempo de aquecimento necessário para atingir a estabilidade a temperatura desejada e a cinética térmica varia entre os materiais avaliados.
Tempos mais longos e temperaturas mais altas influenciam o desempenho das resinas frente às propriedades de viscosidade, espessura de película, grau de conversão e resistência coesiva.
Diferentes configurações de um ultrassom piezoelétrico podem ser usadas para o procedimento de cimentação com a finalidade de aumentar o escoamento e reduzir a espessura de película dos agentes de cimentação.
A aplicação de energia ultrassônica no procedimento de cimentação melhora a adaptação marginal e a resistência de união.
Agentes de cimentação influenciam a resistência fratura de laminados cerâmicos.
Algumas resinas compostas, quando pré-aquecidas, apresentam espessura de película semelhante à de cimentos resinosos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAMILA DA SILVA RODRIGUES
EDUARDO TROTA CHAVES
GIANA DA SILVEIRA LIMA3
JANDRYCE SILVEIRA DE SOUZA
JULIA CADORIM FACENDA4
LAURA KROETZ FANG
RAISSA COI DE ARAUJO

Página gerada em 27/02/2024 11:32:14 (consulta levou 0.123012s)