Nome do Projeto
Normas Linguísticas e Imigração (NOLI)
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/08/2022 - 31/07/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
Enunciados sobre a língua são mobilizados desde a antiguidade (Faraco/Zilles 2019: 17) passando pelo período colonial até o surgimento de Estados-Nação (alemão, português etc.), e integram o que podemos chamar Discurso sobre a Norma (ale. Normdiskurs): “como, o que, qual língua (se deve) falar em um dado contexto”. Em comunidades de imigração de fala alemã, caracterizadas pelo multilinguismo (português-línguas de imigração), dispositivos como a imprensa bem como autoridades feito a escola e a igreja (católica e luterana), encontram-se desde o século XIX posicionamentos em relação a grupos, línguas e práticas que moldam os sentidos sobre normas linguísticas e tocam diferentes áreas da pesquisa linguística até hoje (p. ex. Pupp Spinassé/Mozzillo 2021; Altenhofen 2016; Bredemeier 2010; Neumann 2000). Nesse contexto, emergem perguntas que guiarão o presente projeto: Como se constituem normas linguísticas no contexto de imigração de fala alemã para o Sul do Brasil sob a perspectiva linguística do Discurso? Como se posicionam atores diversos em condições de produção distintas frente ao contato linguístico de variedades germânicas e portuguesas? Quais funções assume o Discurso sobre normas linguísticas no conhecimento das sociedades locais nos dias de hoje? O presente projeto fundamenta-se na grande área da análise do discurso linguística e dos estudos socioculturais, mais especificamente nos campos da História das Ideias Linguísticas (Orlandi 2009; Costa 2017), Language Making (Krämer et al. 2022; Davies/Langer 2006) e positioning ‘posicionamento’ (Spitzmüller/Flubacher/Bendl 2017; Roth/Spitzmüller/Schramm 2018).

Objetivo Geral

Compreender o processo de construção de Normas Linguísticas na Imigração de fala alemã no Brasil através da análise de posicionamentos discursivos de atores (imigrantes, religiosos, viajantes, entre outros) em textos distintos (relatos de viagem e missionários, memórias e artigos jornalísticos).

Justificativa

Existência de um vasto material escrito em língua alemã tanto no Brasil quanto em países de língua alemã;
Relevância de temas como colonialismo e racismo no âmbito local e global;
Necessidade de incorporar diferentes ferramentas analíticas para compreender fenômenos sociolinguísticos resultantes do multilinguismo;
Potencial do tema para diálogo interdisciplinar e interinstitucional;
Aprofundamento do objeto de estudo já pesquisado em certa medida em tese de doutoramento do proponente.

Metodologia

Base para o projeto será inicialmente um corpus de dados escritos coletados em fontes primárias provenientes de acervos físicos (p.ex. Museu Histórico Visconde de São Leopoldo) e digitais (p.ex. coletânea digital sobre o colonialismo alemão). O método de análise propriamente dito se dará em níveis linguísticos e extralinguísticos do discurso (Larcher 2015; Spitzmüller/Warnke 2011):
• Primeira etapa: microanálise da estrutura linguística através da busca por enunciados metalinguísticos, ou seja, excertos que tematizem a língua direta (p. ex. valorações) ou indiretamente (p. ex. citações). A identificação pode se dar por leitura linear ou localização – quando o formato do arquivo permitir – de palavras-chave (p. ex. Sprache ‘língua’, alemão ‘Deutsch’, Dialekt ‘dialeto’, Pommersch ‘pomerano’). Em seguida, amplia-se a análise para os níveis da proposição (p. ex. oposições, colocações) e do próprio texto em que se inserem os lexemas identificados (p.ex. composição temática, sumário etc.).
• Segunda etapa: macroanálise de estruturas semânticas que atravessam diferentes textos ou tipologias textuais. Nessa fase, são comparadas estruturas identificadas no nível micro com vistas a constatar rupturas e/ou continuidades nas funções e usos discursivos.
• Terceira etapa: o terceiro nível da análise ocupa-se com a configuração extralinguística, ou seja, com as posições históricas e sociais dos textos e dos respectivos sujeitos envolvidos. Para tanto, devem ser consultados – além de dados sociolinguísticos – dados de cunho sociológico e histórico.
Essa, contudo, é uma divisão forçadamente metodológica, dado que o fenômeno discursivo implica a simultaneidade dos três níveis. O presente trabalho tem um abordagem inicialmente qualitativa, não sendo descartada uma abordagem quantitativa, na medida em que o corpus se consolidar. Para a organização do corpus, desenvolveu-se uma tabela excell na qual cada planilha corresponde a um tipo de texto e são anotados itens como autor, ano da publicação, obra, capítulo, excerto da análise, palavras-chave, página de referência e observações gerais.

Indicadores, Metas e Resultados

Pesquisa:
- Ampliar a comprensão sobre fenômenos de contato linguístico através de uma perspectiva discursiva;
- Contribuir para o escopo de análise sociolinguística, na medida em que são estudados dados da variação linguística sob a perspectiva discursiva;
Ensino:
- Contribuir para uma reflexão linguística crítica acerca dos posicionamentos tomados tanto no âmbito institucional (escola, Universidade etc.) quanto nas interações interpessoais do dia-a-dia;
Extensão:
- Criar subsídios para ações voltadas às comunidades de fala alemã e pomerana no entorno da UFPel;
- Produzir materiais de conscientização linguística em relação a uma noção crítica de norma em contextos de línguas minoritárias;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BARBARA DE LIMA SOBRAL
BERNARDO KOLLING LIMBERGER1
CAROLINE VARGAS SOARES
Evelin Nascimento Lima
GABRIELA CORDEIRO CASSIANO
Jonatas Silva do Nascimento
LUCAS LOFF MACHADO2
LUCIANE LEIPNITZ
LUIZ EDUARDO DIAS PIRES
MARCELE MATTOS AFONSO
NATHALIA GOULART BARCELOS
RIAM FAGUNDES DE AVILA
ÍTALO DA SILVA

Página gerada em 23/02/2024 06:10:39 (consulta levou 0.119677s)