Nome do Projeto
Atividade Física na Terceira Idade
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
03/05/2017 - 22/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Direitos Humanos e Justiça
Linha de Extensão
Terceira Idade
Resumo
A partir de 1940 com o decréscimo da taxa de crescimento populacional o Brasil deixa de se tornar um país de jovens e passa por uma profunda transição. Em 2030 é estimado que a população idosa brasileira se aproxime da marca de 35 milhões de pessoas – 18,7% da população total brasileira (IBGE, 2008). Com o envelhecimento, num processo natural da velhice, as pessoas tendem a ficar menos aptas fisicamente e apresentam consequentemente maiores dificuldades em lidar com as atividades de vida diária. Na literatura científica é comprovado que quanto mais ativa fisicamente é a pessoa, menor risco esta tem de apresentar limitações físicas. Portanto este projeto proporciona aulas de ginástica para idosos da comunidade da cidade de Pelotas/RS.

Objetivo Geral

Este projeto de extensão de cunho social, visa a melhora da qualidade de vida de seus usuários, compreendendo com isso a adoção de um estilo de vida saudável, autonomia e independência nas atividades de vida diária através de atividades voltadas ao condicionamento físico utilizando a modalidade de ginástica.

Justificativa

Estudos têm comprovado que a população humana está constituída em grande parte por idosos, havendo assim uma tendência na sociedade moderna para os anos de vida se elevarem. De acordo com Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA, 2012) dos grupos populacionais brasileiros, o de idade superior a 45 anos será o único a apresentar crescimento positivo a partir de 2030. E a partir desse ano o contingente populacional brasileira chegará ao seu limite de 208 milhões de pessoas, sendo uma crescente o número de pessoas na faixa etária de 80 anos ou mais.
As universidades através dos projetos de extensão inovadores se revitalizam, redirecionando muitas vezes, seu ensino e sua pesquisa. Podemos observar que os idosos integrantes do projeto normalmente permanecem no programa por um longo período, sendo evidenciado que aspectos motivacionais contribuem para a sua permanência.
Dentre os vários benefícios que a prática de exercícios físicos pode acarretar, um dos principais é a proteção da capacidade funcional compreendida como a capacidade em realizar as atividades práticas do dia-a-dia (FRANCHI, 2005; WHO, 2015). As atividades físicas desenvolvidas desempenham um papel importante no processo de auto-aceitação, pois retardam os efeitos fisiológicos da velhice e também atuam de forma eficaz na redescoberta de valores, bem como na melhora da auto-estima, abrindo um novo espaço de inserção do idoso na sociedade, proporcionando uma mudança positiva no seu estilo de vida.

Metodologia

Este projeto trabalha com a comunidade idosa de Pelotas/RS e seus familiares indiretamente.
As aulas são realizadas 2 vezes por semana atendendo cerca de 100 idosos.
As aulas tem duração de 60 minutos cada e compreendem atividades de aquecimento através da dança, ginástica aeróbia por cerca de 20 minutos, seguidos de exercícios localizados nos diversos segmentos do corpo por 35 minutos, e ainda 5 minutos de alongamento e coordenação motora. São realizados também exercícios para melhoria do equilíbrio visto que no Brasil aproximadamente 30% das pessoas com 65 anos e mais que moram em comunidades, ou seja, que não foram institucionalizadas, têm um evento de queda a cada ano. Metade dos idosos que caem repetem o evento. As lesões decorrentes dessas quedas são responsáveis pela sexta causa de morte nessa faixa etária. Cerca de 5% das quedas resultam em lesões graves e ocasionam mais de 200 mil hospitalizações por fratura de quadril a cada ano. (PEREIRA et al., 2001; SILVA e SILVA, 2003).
As aulas também compreendem circuitos/ estações com bolas, halteres, caneleiras, bastões quando alunos do curso de Educação Física auxiliam voluntariamente nas aulas, visto que é necessário um maior número de pessoas para ministrar esta atividade, de circuito, que requer uma pessoa para cada estação do mesmo.
Com a perda da capacidade funcional na velhice, e a possibilidade de quedas nos idosos, é primordial a presença de pessoal para auxiliar nas aulas, de pelo menos uma pessoa ministrando a aula e outra corrigindo os movimentos, visando auxiliar na manutenção do equilíbrio, correção de posturas, uso adequado dos materiais, execução correta dos exercícios, entre outros.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se com as aulas que:
1. os idosos melhorem a aptidão física;
2. os idosos consigam melhorar a execução das atividades diárias por estarem bem condicionados fisicamente;
3. se estabeleça uma troca de informação e conhecimento entre os idosos e os acadêmicos do curso de Educação Física;
4. os alunos da Educação Física fiquem motivados a trabalhar com idosos e estejam melhor preparados para atuar no mercado de trabalho com esta população;
5. os alunos estabeleçam conexões entre a teoria estudada no curso e sua aplicação prática na extensão.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA SCHULER CAVALLI21
AMANDA DOS SANTOS ESTEVES
BEATRIZ RODRIGUES VARGAS
BRUNO GALHO BRAGA
ELIZA COELHO LEAL
EMILY PORTO TELESCA
FABÍOLA SEGÚ COPELLO
GILVAN TESSMER BERGMANN
GIOVANNA SILVA MUNARO
GUILHERME TIMM
JANISE DA SILVA
JESSICA MUNHOZ FONSECA
JOAO VITOR PETRY DE VASCONCELLOS LOPES
JULIA KONZGEN KOGLIN
JULIA MARTINEZ PEREIRA
LIZANDRO PICH FONSECA
LORENZA DONINI SILVESTRE
LORENZO SANTANA AVILA
MARCELO COZZENSA DA SILVA12
MARIA EDUARDA MENDES PEREIRA
MAYLON HENRIQUE FARIAS DIAS
NICOLLY FONSECA DOS SANTOS
OTHAVIO NIZOLLI DA ROSA
PAMELA SILVA CARDOZO
THAIS MONTIERRE RENCK
VITORIA CUNHA MADRUGA
VÍTOR TAVARES DA SILVA

Página gerada em 25/04/2024 08:24:45 (consulta levou 0.172301s)