Nome do Projeto
Turismo, História e Cultura
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/05/2023 - 30/04/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Turismo
Resumo
O turismo, enquanto fenômeno social, é um importante agente de transformação, havendo múltiplos saberes e fazeres, processos históricos/contemporâneos, socioculturais, políticos e educacionais que o permeiam. Assim, este projeto de atuação extencionista abrange temas como: história; identidade; memória; cultura; patrimônio; lazer; hospitalidade; comunicação; educação; poéticas de viagem; cidadania; mobilidades; práticas, performances e subjetividades turísticas, sociabilidade. As ações executadas neste projeto constroem e atualizam as representações identitárias passadas e presentes, assim como suas possibilidades relacionadas ao fenômeno do turismo.

Objetivo Geral

Exercer atividades de extensão diretas e indiretamente relacionadas ao turismo, correlacionando-o como campo de exercício do lazer, da sociabilidade, da hospitalidade, do pertencimento e da identidade e da importância destes na preservação e na manutenção dos patrimônios e lugares de memória das coletividades, contextualizando o passado, o presente, conectando-os e apontando os caminhos para o futuro, atrelando isso ao desenvolvimento pleno da cidadania (inclusão/exclusão e de acessibilidade) e ao direito ao lazer.

Justificativa

O turismo é uma prática social que emerge da sociedade urbana e acompanha suas transformações e adaptações locais, articulando um complexo sistema de atores, saberes, fazeres, espaços, imaginários, oportunidades de negócios em um fenômeno que perpassa as diversas esferas da vida contemporânea. Assim, o turismo pode ser entendido como um fenômeno social total, ou como um gênero comum em um mundo globalizado. Suas manifestações materiais e simbólicas são diversas, compreendendo multiescalas de ação e de análise, que se (re)fazem primordialmente em territórios-rede. Para além do interesse que comporta em si, é também um ponto de partida para reflexão sobre as (i)mobilidades de sujeitos, materialidades, ideias, informações, comandos e finanças.
Embora relaciona-se primordialmente com as humanidades, a cultura, no âmbito do turismo, pode também ser entendida através da economia criativa e da gestão cultural de espaços e de eventos, e também pelo viés dos processos comunicacionais, fazendo com que a história e a cultura tornam-se facetas relevantes e ao mesmo tempo, veias comunicantes do turismo neste projeto.
Desse modo, a área de concentração em Turismo, História e Cultura, ao articular saber-fazer gerencial e práticas social e culturalmente referenciadas, possui um viés aplicado, voltado à elaboração de ações diversas que se voltem à inovação, sustentabilidade e a inclusão social dos atores envolvidos.
Assim, desenvolverá ações voltadas ao lazer, a hospitalidade, a sociabilidade, a cultura e a sua fruição e preservação em espaços variados do primeiro setor - públicas, do segundo setor - privadas e do terceiro setor e em atividades relacionadas diretamente com o Turismo

Metodologia

Por se tratar de um Projeto de extensão que visa atender a questão da integralização, em que compreende-se, que a relação da universidade com a sociedade não era apenas cumprimento de missão, mas estratégia de formação do estudante, cada estágio curricular obrigatório terá caráter extencionista, já que entende-se a formação em extensão como uma prática, consistente e inserida no currículo, de experiências do aluno como agente da ação extensionista e que esta formação acontece integrada ao currículo e não dissociada desse. Desta forma, a cada semestre os professores do curso proporão ações de extensão no temas correlatos do Projeto e das áreas de estágio que o aluno estiver exercendo. Os alunos aptos a realizarem o estágio curricular obrigatório serão matriculados e farão parte deste projeto de extensão. A partir do estágio que será realizado em empresa ou instituição pública ou privada, o plano de atividades deverá estar contido nas ações cadastradas nos respectivos semestres.
O aluno será orientado na empresa por algum profissional com conhecimento na área, e este profissional será um colaborador externo do projeto de extensão, e também terá a orientação de um docente da UFPel que será um colaborador do projeto.
O estágio curricular obrigatório do atual PPC tem carga horária mínima de 150 horas.

Indicadores, Metas e Resultados

Todas as áreas do projeto com, pelo menos, um estágio extensionista
Uma proposta/ação por estágio extensionista construídas coletivamente com a comunidade
Uma instituições e/ou 05 pessoas externas à UFPel, atendidas/envolvidas pelo projeto dentro de cada setor que o projeto abrange.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
NATALIA DE SOUSA ALDRIGUE4
SIDNEY DANIEL BATISTA4

Página gerada em 28/02/2024 23:12:15 (consulta levou 0.121270s)