Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DO APOIO SOCIAL ENTRE OS IDOSOS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
30/09/2022 - 31/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
O apoio social refere-se à funcionalidade e qualidade das redes sociais dos indivíduos quando necessitam de ajuda em diferentes áreas e aspectos ao longo do ciclo vital. Sabe- se que os fatores sociais, demográficos e econômicos possuem destaque dentre os determinantes sociais de saúde. Em contrapartida, os fatores demográficos, socioeconômicos e de situação de saúde dos idosos, como a limitação para realizar atividades, podem determinar o recebimento de apoio social. O presente projeto de tese intitulada “Avaliação do apoio social entre os idosos” pretende avaliar o constructo do apoio social e é requisito parcial para o curso de Doutorado em Epidemiologia de Bruna Venturin sob orientação do Prof. Luiz Augusto Facchini, do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas, RS, e coorientação da Profa. Dra. Elaine Thumé que também é da Universidade Federal de Pelotas, RS. Dentre os objetivos deste trabalho, estão: avaliar sistematicamente a literatura existente acerca da ocorrência do apoio social entre os idosos e avaliar as associações com as características demográficas, socioeconômicas e de situação de saúde (artigo 1); estimar a prevalência do recebimento e oferecimento de apoio social financeiro e sua associação com as características socioeconômicas e de situação de saúde dos entrevistados pela coorte ELSI-Brasil, além de explorar possíveis modificações de efeito (artigo 2); e por último, verificar a modificação de efeito entre as características demográficas na relação entre a percepção de recebimento e oferecimento de apoio social e situação de saúde (com foco na limitação em realizar atividades de vida diária) (artigo 3). O artigo 1 será uma revisão sistemática da literatura. Os dados que serão usados para o artigo 2 serão do estudo de coorte ELSI-Brasil realizado com indivíduos com idade igual ou superior a 50 anos residentes na zona urbana ou rural de diferentes estados e municípios do Brasil, o recrutamento e seleção dos participantes aconteceu entre 2015 e 2016 e o primeiro acompanhamento em 2019/20, no artigo proposto serão usados os dados da baseline (2015). A amostra de indivíduos com 60 anos ou mais residentes em zona urbana para o artigo 3 será proveniente dos dados de linha de base (baseline) que aconteceu em 2008 e do segundo acompanhamento (2016/17) do estudo de coorte de Bagé, RS, chamado de SIGa-Bagé. Espera-se que o trabalho fomente a continuidade das pesquisas nesse aspecto e que contribua para fortalecimento das evidências na literatura nacional, além de estar fornecendo dados para identificação de grupos que necessitam de apoio, e isso pode fortalecer a organização da assistência, planejamento de serviços e formulação de políticas públicas, colaborando na identificação de iniquidades sociais e em saúde, facilitando o enfrentamento de desigualdades.

Objetivo Geral

Investigar a percepção de apoio social entre os idosos, os fatores associados e as possíveis
modificações de efeito e interações.

Justificativa

No Brasil, a redução das desigualdades até 2030 constitui os Objetivos do
Desenvolvimento Sustentável (ODS) que tem como metas a promoção de inclusão social,
econômica e política de todos, a implementação de medidas e sistemas de proteção social
adequados e a cobertura universal de serviços de saúde, incluindo a proteção financeira e
acesso a serviços essenciais (ONU, 2022).
Em 2015, o Relatório Mundial sobre Envelhecimento e Saúde definiu como
objetivo do envelhecimento saudável ajudar as pessoas a desenvolver e manter a
habilidade funcional de modo a permitir o bem-estar. Durante o contexto da pandemia, a
Organização Pan-Americana de Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS)
lançaram um Manual de Orientações sobre a avaliação centrada na pessoa e roteiros para
a atenção primária com um capítulo específico para assistência e apoio social aos idosos
(OPAS & OMS, 2020). Nesse questionário, as organizações solicitam que sejam
avaliados aspectos da capacidade funcional, solidão, tipo de moradia, situação financeira,
participação social e maus-tratos devido à sua associação com o apoio social (OPAS &
OMS, 2020).
Em um cenário que o Brasil (2010) possui a quinta maior população do mundo e
que em 2030 o número de idosos ultrapassará o total de crianças entre zero e quatorze
anos, produzir conhecimento, debater a estrutura familiar e social, as diferentes fontes de
apoio social (formal ou informal) e as políticas públicas que atendam de forma eficaz as
demandas dos idosos é extremamente relevante (BRASIL, 2022; USP, 2019).
Desde o começo da década de 90, o apoio social destaca-se internacionalmente
com um contexto importante de identificação, sendo um facilitador e/ou complicador na
implementação de uma estratégia de intervenção ou implementação de política, serviços
e assistência à saúde dos idosos. Contudo, há uma grande lacuna na produção científica
sobre o apoio social nacionalmente, especificamente na direção e magnitude de
associação com as características demográficas, socioeconômicas e de situação de saúde.
No Brasil, o número de pesquisas foram aumentar somente nos anos 2000 (ROCHA; DE
OLIVEIRA; SHUHAMA, 2016; RAMOS, 2002; PORTUGAL, 2005). Apesar da
relevância do apoio social e sua relação com as características demográficas,
socioeconômicas e de situação de saúde, a abordagem do apoio social nos estudos
realizados é em sua maioria como variável independente, sendo escassos os estudos
desenvolvidos tratando o apoio social como variável dependente (HOUSE; LANDIS;
UMBERSON, 1988; RIBEIRO, 1999). A avaliação da modificação de efeito e interação
entre o apoio social e os demais fatores de interesse não aparecem nas evidências
nacionais dos últimos anos.
No que se refere à investigação da modificação de efeito, Hernán & Robins (2020)
afirmam em seu livro que dentre os principais motivos para se explorar a modificação de
efeito estão: a utilidade para identificar os grupos que mais se beneficiariam ou
beneficiaram do recebimento de uma exposição, intervenção, tratamento; direcionamento
de intervenções e políticas públicas, além da melhor compreensão da relação entre as
variáveis e os possíveis mecanismos causais (HERNÁN, ROBINS, 2020).
Investigando a literatura percebe-se que não existe nenhuma revisão sistemática
sobre o apoio social entre os idosos: prevalência e fatores associados. Portanto, o primeiro
objetivo é de suma importância para melhor compreensão e discussão sobre a temática.

No que se refere especificamente aos outros artigos a serem produzidos, destaca-
se primeiramente verificar a ocorrência do recebimento e oferecimento de ajuda

financeira entre os idosos acompanhados pelo ELSI-Brasil e sua associação com as
características demográficas, socioeconômicas e de situação de saúde; e a originalidade

na investigação de modificadores de efeito (e interação) entre o apoio social e os fatores
já mencionados, sendo o primeiro estudo do país com tal objetivo. Os trabalhos possuem
potenciais para fomentar a continuidade das pesquisas nesse aspecto e irão contribuir para
fortalecimento das evidências na literatura nacional, além de estar fornecendo dados que
contribui para a organização da assistência, planejamento de serviços e formulação de
políticas públicas, colaborando na identificação de iniquidades sociais e em saúde,
facilitando o enfrentamento de desigualdades.
Uma outra possível contribuição após publicação dos achados seria para a
assistência de profissionais da saúde e de outras áreas que durante o manejo ou
rastreamento de agravos, condições ou doenças entre a população idosa não indagam
sobre a disponibilidade do apoio social do Estado ou da família, ou até mesmo da
necessidade de apoio, mesmo que o último (necessidade de apoio) não esteja disponível
no banco de dados e não seja possível analisar. Identificando grupos com maior
probabilidade de recebimento de apoio pode-se traçar o perfil, planejar e implementar
políticas públicas e sociais para a população idosa.

Metodologia

Este é um projeto de tese que será desenvolvido a partir de estudos de coorte já
realizados (SIGa-Bagé e ELSI-Brasil) no Brasil. As metodologias das pesquisas são
descritas, sequencialmente, abaixo:

Indicadores, Metas e Resultados

Hipóteses


Artigos propostos

Artigo 1
Apoio social entre idosos residentes na zona urbana: uma revisão sistemática
Artigo 2
Recebimento e oferecimento de apoio social do tipo financeiro entre os idosos
acompanhados pelo ELSI-Brasil e sua associação com as características demográficas,
socioeconômicas e de situação de saúde
Artigo 3
Recebimento e oferecimento de apoio social entre idosos residentes na zona urbana do
município de Bagé, RS: explorando modificação de efeito

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA VENTURIN
LUIZ AUGUSTO FACCHINI1

Página gerada em 28/05/2024 17:49:06 (consulta levou 0.162427s)