Nome do Projeto
VII Congresso da Rede de ITCPs
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
29/01/2024 - 20/12/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Trabalho
Linha de Extensão
Empreendedorismo
Resumo
A Rede Universitária de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (Rede de ITCPs) foi fundada em 1998, a partir da experiência exitosa desenvolvida nos dois anos anteriores pela Coordenação de Programas de Pós-graduação em Engenharia (COPPE), da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente, a Rede de ITCPs congrega programas distribuídos em 42 instituições de ensino superior brasileiras, somando centenas de professores/as, técnicos/as e estudantes (1). As ITCPs atuam no apoio à formação, consolidação e desenvolvimento de empreendimentos econômicos solidários, através de ações de formação e assessoramento, bem como de desenvolvimento de inovações sociotécnicas (tecnologias sociais). Ao longo das últimas duas décadas, dois programas nacionais foram constituídos para dar suporte às ITCPs: a "Linha 08" do Programa Nacional de Extensão Universitária (Proext-MEC), bem como o Programa Nacional de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (Proninc), co-gerido pela então Secretaria Nacional de Economia Solidária e pelo CNPq (2). Na UFPel, o Núcleo Interdisiciplinar de Tecnologias Sociais e Economia Solidária (Tecsol), fundado em 2010 e institucionalizado pela Resolução 010/2011 do COCEPE, constitui uma 'ITCP' associada e reconhecida pela Rede. Ao longo de sua história, a Rede de ITCPs realizou 6 (seis) congressos acadêmicos: Itamaracá, UFRPE, 2006; São Paulo, USP, 2008; Porto Alegre, UFRGS, 2011; Salvador, UFBA, 2015; Rio de Janeiro, CEFET-RJ, 2019; Salvador, UFBA, 2022. Somados, os congressos representam quase mil trabalhos relacionados a diferentes aspectos dos processos interdisciplinares desenvolvidos pelas incubadoras em seu 'fazer acadêmico', além de dezenas de relatos de experiências desenvolvidos por empreendimentos econômicos solidários incubados. Em sua última edição (UFBA, 09/2022) (3), a Rede de ITCPs decidiu realizar seu VII Congresso na região sul do RS, onde coexistem e cooperam entre si 5 (cinco) diferentes incubadoras: Tecsol-UFPel; Nesic-UCPel, Nesol-IFSul, Nudese-FURG/Rio Grande; Ineesol-FURG/São Lourenço do Sul. Com indicativo de data para o primeiro semestre de 2024, o VII Congresso será coordenado conjuntamente pelas cinco incubadoras da região, mas com sede institucional na UFPel. Assim, a proposta é receber aqui na UFPel, no começo de 2024, acadêmicas e acadêmicos de dezenas de universidades brasileiras, das mais diversas áreas do conhecimento científico, que contribuem cotidianamente para o desenvolvimento da economia solidária, e que por alguns dias estarão convivendo com nossa comunidade acadêmica e estabelecendo intercâmbios, em exercício de difusão científica e aprendizagem coletiva. As cinco incubadoras citadas, de nossa região, conformaram um Comitê Organizador, que desde já - e ao longo de todo ano de 2023 - construirá as condições necessárias para que tal experiência apresente o máximo de efetividade possível, garantindo a nossos visitantes um congresso repleto de bons momentos e muita aprendizagem. Para tanto, o Comitê se reunirá regulamente para o planejamento do Congresso, bem como para o desenvolvimento de atividades que promovam e estimulem a participação do maior número possível de pessoas, do Brasil e de fora dele.

Objetivo Geral

Executar as etapas (ações e tarefas) necessárias para garantir a realização - de forma adequada e exitosa - do VII Congresso Acadêmico da Rede Universitária de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares e do IV Seminário Internacional de Extensão Universitária e Economia Solidária, em Pelotas, no 1o. semestre de 2024, incluindo o planejamento, preparação, promoção e realização do evento.

Justificativa

A economia solidária, em suas diversas expressões, representa hoje a forma de empreendedorismo econômico de alguns milhões de brasileiros e brasileiras, participantes de grupos, associações e cooperativas - urbanas e rurais - de produção (de bens e de serviços), de consumo e de crédito, em cujas organizações a propriedade do capital, o poder de decisão e os resultados econômicos são compartilhados de forma equânime entre seus/suas associados/das.
No último levantamento, realizado pelo Ministério do Trabalho em 2013 (4), havia 19.856 empreendimentos econômicos solidários no Brasil, totalizando mais de 2 milhões de associados/das em organizações autogestionárias. Some-se a isso, ainda, os cerca de 18 milhões de associados a cooperativas convencionais (como bancos cooperativos ou cooperativas habitacionais) (5), que embora não compartilhem dos mecanismos de autogestão, tampouco podem ser consideradas 'empresas' de tipo tradicional.
As universidades brasileiras, embora venham mantendo seu foco no apoio ao empreendedorismo de tipo convencional (capitalista), também têm desenvolvido ações, projetos e programas de apoio ao desenvolvimento e expansão da economia solidária. Muito embora, as incubadoras tecnológicas de empreendimentos solidários tenham chegado a ser 84 (quando havia políticas públicas ativas de financiamento federal), hoje a Rede de ITCPs representa 43 desses programas acadêmicos, distribuídos entre as universidades mais prestigiadas do Brasil, bem como em universidades de âmbito regional/local ou também em institutos federais tecnológicos.
Ao longo dos últimos dez anos, as ITCPs apoiaram ações de criação e consolidação de mais de 1.800 empreendimentos, trabalhando igualmente no desenvolvimento de tecnologias sociais ('livres') capazes de garantir a inserção e permanência desses empreendimentos no mercado (6).
Fundada em 1998, a Rede de ITCPs - em que pese as crises dos últimos anos (econômica, sanitária, ambiental, política, de financiamento da educação e da pesquisa...) - tem contribuído de forma decisiva para a sustenção dos programas a ela afiliados, garantindo um intercâmbio profícuo em seu interior, oxigenando as práticas de extensão, ensino e pesquisa relacionados ao apoio das universidades à economia solidária.
A região sul do RS, por outro lado, é particularmente destacada neste contexto, com a presença de 5 (cinco) ITCPs num raio de 50 km a partir de Pelotas, com programas na UFPel, na UCPel, no IF-Sul e na FURG (uma em Rio Grande, outras em São Lourenço do Sul).
Por este motivo, especialmente, essas incubadoras foram convidadas pela Rede de ITCPs, durante o recente Congresso (VI) ocorrido na Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia, a sediarem o próximo Congresso (VII), programado para 2024.
Assim, essas ITCPs decidiram constituir um Comitê de Organização do VII Congresso, de forma colegiada, que deverá trabalhar ao longo de 2023 e 2024 para garantir sua realização de forma exitosa.
A UFPel foi escolhida para ser a 'anfitriã-âncora' do evento, em função de seu papel destacado na região, bem como de sua infraestrutura disponível.
Isto significa que o Comitê de Organização deverá iniciar a trabalhar imediatamente, no sentido de desenhar - em linhas gerais - o Congresso, arrecadar os fundos necessários para sua realização, auxiliar a Coordenação da Rede na promoção de suas ações estruturantes e coordenar os recursos disponíveis na diferentes instituições.
O presente projeto visa ordenar e viabilizar esses esforços.

Metodologia

1. Planejamento:
- levantamento de necessidades de recursos humanos e materiais para realização do Congresso;
- indicação provisória de datas de realização do congresso e cronograma de preparação;
- definições relativas a ações de promoção e difusão da Rede e de seu Congresso;
- formulação de estimativa de custos e prospecção de recursos financeiros.
2. Preparação:
- detalhamento da programação do evento (em conjunto com a Coordenação da Rede de ITCPs);
- difusão do cronograma junto às incubadoras, aos empreendimentos incubados e a organizações parceiras da economia solidária;
- delimitação das tarefas e recursos específicos referentes às instituições-membro do Comitê de Organização;
- desenvolvimento e publicização de página web.
3. Promoção:
- apoio à publicação da Revista das ITCPs;
- apoio à participação das ITCPs nos fóruns de economia solidária e nas feiras nacionais;
- preparação e distribuição eletrônica de material de difusão da Rede e do Congresso;
- indicação, convite e agendamento de personalidades e instituições convidadas;
- contratação de prestadores de serviços e aquisição de equipamentos;
- constituição do Comitê Científico e das Coordenações de Grupos de Trabalho.
4. Realização:
- publicação de edital e disponibilização de mecanismos de inscrição de trabalhos acadêmicos;
- recepção de trabalhos acadêmicos e avaliação por parte das coordenações de Grupos de Trabalho;
- recepção de participantes;
- desenvolvimento das atividades programadas;
- organização e publicação dos anais do evento;
- publicação dos trabalhos selecionados na Revista das ITCPs.

Indicadores, Metas e Resultados

1. Participações:
- inscrição de 250 - ou mais - trabalhos acadêmicos para apresentação (presencial ou virtual);
- participação presencial de ao menos 150 expositores de trabalhos acadêmicos, e 100 expositores por via remota;
- participação remota total - exposição e assistência, ao longo do evento - de pelo menos 500 pessoas;
- participação de pelo menos 10% de estrangeiros e de 10% de trabalhadores de empreendimentos em todas as atividades acadêmicas programadas.
- participação de ao menos 20 empreendimentos expositores na feira anexa ao evento.
2. Desenvolvimento de atividades:
- 12 grupos de trabalho específicos para apresentação de trabalhos;
- 4 minicursos/oficinas de difusão tecnológica;
- 3 mesas de debate ou conferência(s) internacional(is);
- 8 apresentações culturais de grupos locais;
- 3 roteiros de visitas técnicas simultâneos a empreendimentos solidários da região;
- 1 (uma) atividade de confraternização.
3. Publicações acadêmicas pós-Congresso:
- anais do VII Congresso;
- dois números da Revista das ITCPs, com 12 artigos cada uma.
4. Resultados esperados para o fortalecimento da Rede de ITCPs:
- ampliação do número de ITCPs filiadas à Rede (ao menos 10%);
- consolidação do sistema de informações e da presença pública da Rede de ITCPs nas redes sociais;
- consolidação da rotina de contribuições anuais das universidades associadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXANDRE DE PAULI BANDEIRA
ANA LUIZA VITALLI SILVA
ANTONIO CARLOS MARTINS DA CRUZ46
BEATRIZ DA SILVA CORDEIRO
DÉBORA DE SOUZA SIMÕES44
Dóris Back Perius
GABRIELA DE LIMA RIBEIRO
HENRIQUE ANDRADE FURTADO DE MENDONCA42
Isabela Fredes de Freitas
JÉSSICA FISHER VERLY DE MORAES
LARISSA FERREIRA TAVARES
Liandra Peres Caldasso
LÚCIA REGINA NOBRE
Maria Cristina Chaves Pires
PAULA GEORDANA HAHN
RENATO DA SILVA DELLA VECHIA
RENATO FABRICIO DE ANDRADE WALDEMARIN42
VITORIA ALVES E ALVES
Vanessa dos Passos Pereira

Página gerada em 16/04/2024 01:39:53 (consulta levou 0.358888s)