Nome do Projeto
Tempos e espaços na educação de surdos
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/02/2023 - 31/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Metodologias e estratégias de ensino/aprendizagem
Resumo
O projeto se insere numa histórica aproximação da Faculdade de Educação com a comunidade surda e seus espaços educativos. Pretende a realização de ações de formação continuada junto a educadores envolvidos com a educação de crianças, jovens e adultos surdos na cidade de Pelotas e região, como também com acadêmicos das universidade, preferencialmente das licenciaturas, interessados nesta temática. Pretende promover a troca de experiências entre educadores que atuam junto a alunos surdos; - aprofundar a discussão em relação às temáticas relevantes na Educação de Surdos e que vêm exigindo posicionamentos e definições dos educadores nesta área; - proporcionar fórum permanente de discussão de resultados das pesquisas realizadas no âmbito dos estudos surdos, com a comunidade surda e comunidade educativa, em uma articulação extensão/pesquisa;- promover a aproximação da Faculdade de Educação com as escolas e os educadores envolvidos na educação de Surdos; - possibilitar a criação de espaços de formação em educação de surdos para acadêmicos dos cursos de licenciaturas (Curso de Pedagogia, nas disciplinas de Educação Inclusiva I e II, e nas demais licenciaturas, na disciplina Educação Inclusiva: pedagogia da diferença), promovendo a articulação ensino/extensão.

Objetivo Geral

Estabelecer espaços de discussão e formação sobre a Educação bilíngue/intercultural dos Surdos nos diferentes espaços educacionais de surdos na cidade de Pelotas e região sul do estado.

Justificativa

As atuais Políticas Educacionais vêm exigindo dos educadores e demais atores envolvidos no campo da Educação, uma formação continuada que lhes proporcione posicionamentos críticos diante das demandas cotidianas, nos diferentes espaços educacionais.
Pensando especificamente na educação de surdos, há um permanente tensionamento relativo às demandas da comunidade surda através de seus movimentos sociais, articulados com os espaços das escolas bilíngues de surdos. As ultimas conquistas referentes à Lei 14.191/2021, promulgada em e que instituiu a educação bilíngue de surdos como modalidade de ensino na LDB trás ao conjunto de educadores e pesquisadores na área desafios no sentido de reativar uma postura de problematização frente aos sentidos que vem se produzindo relativo ao que é denominado escola bilíngue de surdos e os sujeitos ali envolvidos.
O que me mobiliza há bastante tempo nos percursos investigativos e de intervenção junto ao GIPES – Grupo Interinstitucional de Pesquisas em Educação de Surdos é pensar as experiências formativas na educação de surdos e os projetos de educação [escola] bilíngue não como um fim em si mesmo, mas como possibilidades de provocar a experiência de discentes e docentes de ser algo diferente do que são. Nesta trajetória, firmamos uma estreita parceria com escolas de surdos, tanto aquelas específicas, como também as que apresentam propostas de inclusão de estudantes surdos), nas diversas redes de ensino. Encontramos na cidade de Pelotas e região, variadas experiências nesta área, havendo um número significativo de educadores envolvidos diretamente com projetos direcionados a crianças e jovens surdos.
Podemos enumerar alguns exemplos de propostas na educação de surdos, entre eles detacando-se: a Escola Especial de Ensino Fundamental Alfredo Dub, em Pelotas, e a Escola Municipal de Educação Bilíngue Prof.ª Carmen Regina Teixeira Baldino, em Rio Grande, onde estudam alunos na educação infantil, anos iniciais, finais e os adultos na modalidade da Educação de Jovens e Adultos. Os professores envolvidos nestes projetos apresentam diferentes trajetórias de formação, muitos deles tendo participado de cursos de capacitação e/ou especialização na área da educação dos surdos, alguns deles ofertados pela Faculdade de Educação em parceria com a área de Libras do Centro de Letras e Comunicação da UFPel. A estreita relação estabelecida ao longo de anos de parcerias nos compromete a reafirmar projetos que mobilizem a comunidade educativa e em geral junto com a Universidade, no sentido de organização de espaços permanentes de formação, principalmente para a discussão do projeto político pedagógico da escola e das implicações nas práticas docentes. Caracteriza-se, ainda, como um espaço que permite a estudantes das licenciaturas participarem dessas discussões e aprofundarem temas atuais nas políticas educacionais de nosso país. O projeto estará aberto à articulação com o PPC dos Cursos de Pedagogia (Diurno e Noturno), proporcionando a integralização da extensão na formação de novos/as pedagogos/as.Temas como a inclusão escolar e social, a singularidade dos sujeitos, a formação dos educadores diante das diferenças identitarias e culturais, os currículos das escolas e as variadas experiências constituídas nos espaços escolares são colocados como desafios no sentido de uma discussão que encaminhe a qualificação e a possibilidade de novos projetos nessa área.

Metodologia

O projeto prevê diferentes ações, todas articuladas no sentido de proporcionar a formação docente atendendo as especificidades dos tempos e espaços do ensino, da extensão e da pesquisa. Pretendemos promover ações que potencializem a problematização e o fomento de políticas e práticas bilíngues e interculturais, que possam mobilizar ações no cotidiano da escola. Para esse fim, serão realizadas atividades como cursos, oficinas e outras formas de intervenções, com a participação voluntária de docentes e estudantes das escolas interessadas. A cada atividade, será proposto um registro, organizado para atender a objetivos de formação, no sentido de retroalimentar os debates e permitir pensar a escola de surdos de outros modos. Também, prevê-se a organização de eventos que proporcionem a aproximação entre as escolas de surdos, a comunidade surda, bem como a comunidade educativa em geral da região.

Indicadores, Metas e Resultados

Como resultados esperados, pretendemos contribuir com a qualificação da educação bilíngue de surdos na região, potencializando a construção de práticas pedagógicas engajadas no desenvolvimento linguístico e intercultural dos estudantes surdos. Pretende-se, ainda, engajar acadêmicos das licenciaturas, e mais especificamente dos cursos de Pedagogia, em ações educativas junto ás escolas com estudantes surdos matriculados.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
JOSÉ FRANCISCO DURAN VIEIRA
Luar Fagundes Nunes da Silva
MADALENA KLEIN4
RÚBIA DENISE ISLABÃO AIRES
SOL ANDRADE

Página gerada em 23/07/2024 08:30:30 (consulta levou 0.091925s)