Nome do Projeto
Avaliação do comportamento e qualidade seminal de garanhões da raça Crioula em regime de coleta controlada
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
20/12/2022 - 30/12/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Em condições naturais os garanhões obtêm um harém mesmo sendo jovens associados com fêmeas jovens, assim a produtividade de um rebanho ou uma manada está associada à sua eficiência reprodutiva. Contudo, estudos sobre o comportamento, principalmente dos machos, ajudam a verificar os erros cometidos no processo de acasalamento. Estima-se que 25% dos reprodutores passam por algum tipo de experiência que acarreta problemas no comportamento sexual, limitando a sua fertilidade (McDONNELL, 1986). O papel do macho, sua conduta sexual, bem como sua interação com a fêmea e com o meio em que vivem são pontos importantes a serem avaliados. Nos trabalhos realizados sobre comportamento equino observou-se que o comportamento dos selvagens é semelhante ao dos domésticos (FREITAS, 2005). Contudo, nota-se alterações na libido de garanhões quando comparado, na mesma frequência de monta, os de vida livre em manada e os coletados de maneira artificial (FREITAS,2005). O garanhão interage com a fêmea sexualmente ativa ou com as suas excreções durante dias, antes que a cópula realmente aconteça. No início do estro, por seu comportamento ambivalente, ela se mostra interessada pelo garanhão quando ele está afastado, mas quando se aproxima, torna-se agressiva ou não receptiva. Geralmente, o garanhão consegue a monta quando empina, mas pode ser acompanhada por uma monta lateral com um ajuste posterior para a posição empinada. Este último procedimento é mais comum em garanhões jovens ou inexperientes. Após a monta, o macho abraça as tuberosidades ilíacas com seus membros anteriores e com a cabeça segura a égua mordendo a crina. Nas montas com ereção, o pênis é exposto e, gradualmente, se torna rígido. Normalmente esse tipo de monta leva à inserção e ejaculação. A inserção ocorre após um ou mais atos de procura e a ejaculação é obtida após várias arremetidas intravaginais profundas. Indícios da ejaculação incluem contrações rítmicas dos músculos dos membros posteriores, aumentando a taxa respiratória, abaixamento da cabeça contra a crina da égua e o característico balanço rítmico da cauda. Ao finalizar a ejaculação, o garanhão exibe um relaxamento dos músculos faciais e abaixamento das orelhas. A desmonta ocorre logo após, sendo facilitada pela égua dando uns passos para frente. Respostas pós-copulatórias incluem: cheirar o ejaculado ou secreções urovaginais da égua, seguido de flehmen, ou mesmo urinar ou defecar sobre estas (McDONNELL, 1992). A interação copulatória, dura menos tempo que a pré-copulatória. O período refratário, ou seja, quando perde o interesse pela fêmea, pode durar pouco tempo. Apesar dos pontos etológicos descritos sobre os garanhões aqui apresentados, estudos que relatam a normalidade de comportamentos na sala de coleta, utilizando manequins artificiais e éguas em cio para rufiação são escassos. Não se pode, atualmente portanto, definir quais são os comportamentos esperados como padrão de garanhões crioulos durante a monta e muito menos correlacionar os mesmos com suas características seminais. Assim, o objetivo do presente trabalho é avaliar o comportamento sexual e qualidade seminal de garanhões da raça crioula submetidos a regime de coleta em manequim e vagina artificiais

Objetivo Geral

Objetivo geral: Avaliar as expressões comportamentais e o tempo de execução em cada da coleta de garanhões em manequim e vagina artificial, comparado à qualidade espermática dos mesmos
Objetivos específicos:
● Avaliar a relação do comportamento dos garanhões com a qualidade espermática
● Avaliar se a intensidade de algumas características de comportamento, está relacionada com alguma alteração ou qualidade seminal
● Descrever os tempos de coleta médio dos garanhões da raça crioula durante este regime de coleta
● Descrever os comportamentos mais encontrados nos garanhões da raça crioula neste regime de coleta

Justificativa

A constante ascensão e valorização do cavalo Crioulo, destacando-se as provas e exposições como a Morfologia e as provas funcionais, implicaram também em mudanças no padrão de criação e reprodução destes animais, fazendo com que cada vez mais a monta controlada e a coleta em manequim e vagina artificial sejam utilizadas. Além disso, as centrais de reprodução passaram a trabalhar com demandas de congelamento e dose de sêmen para envio, necessitando cada vez mais de uma otimização das coletas e, consequentemente, maior conhecimento dos comportamentos fisiológicos e anormais dos animais durante o processo de monta em manequins artificiais. Contudo, são escassos os estudos que definem um padrão desses comportamentos e mais ainda os que correlacionam esses comportamentos com as características seminais dos garanhões. Assim, buscamos demonstrar quais os comportamentos e tempos adequados para os garanhões crioulos durante as coletas em manequim artificial e ainda correlacionar esses com as características seminais dos mesmos, com o intuito de auxiliar e otimizar o processo de coleta de sêmen desses animais, tornando menos estressante e invasivo para os mesmos.

Metodologia

O modelo experimental prevê a utilização de 206 animais ao todo, sendo em média 17 animais por mês (Nmensal = 17 animais; Ntotal = 206 animais), que serão avaliados conforme demanda da central de reprodução em que o experimento será conduzido e o regime de coleta para dose, envio e/ou congelamento de sêmen (ou seja, média de 3 coletas por semana, sendo cada cavalo utilizado apenas durante suas estadias na central), durante o período de 1 ano, completando todas as estações (primavera, verão, outono e inverno). Durante o experimento, os equinos serão mantidos na central e em suas respectivas propriedades (indo para a central apenas para as coletas) em cocheira (sendo uma cocheira de 10metros² por animal), soltos em piquetes (1 hectare) 3 vezes por semana para realização de exercício e relaxamento. Todos serão mantidos com oferta de alfafa, suplementados com ração comercial peletizada e água ad libitum. Os animais serão submetidos a exame clínico e inspeção visual prévia a entrada na sala em cada coleta. Os cavalos serão filmados durante todo o processo, desde a entrada na sala até sua saída, para posterior realização de um etograma e análise comportamental. Todos os cavalos serão coletados em manequim e vagina artificial, porém com auxílio da presença de uma égua em cio para rufiamento.
Etogramas: Serão considerados todas as atividades e comportamentos realizados pelo animal, assim como situações gerais que poderão interferir no resultado esperado, tais como: o turno de coleta, estação do ano, influências climáticas (clima, umidade e temperatura do dia da coleta). Somado a isso, será avaliado a rotina geral e manejo do garanhão, como avaliação do local em que o animal se encontrava no período antecedente à coleta, manejo nutricional no mês de coleta, assim como presença ou ausência de suplementação e/ou medicação. Durante a coleta, será considerado a presença e os tempos para realizar, iniciando na entrada da sala de coleta, de comportamentos fisiológicos para a espécie durante o acasalamento, tais como rufiação, exposição peniana, presença de retração peniana, ereção, tempo que levou até iniciar a monta, mordeduras/lambeduras na fêmea, vocalização, reflexo de flehmen, entre outros. Neste mesmo período, será avaliado o comportamento da fêmea, usada para estimular o garanhão, durante a coleta e seu exame reprodutivo.
Informações gerais: Ainda, será realizado um breve questionário com os médicos veterinários, tratadores e profissionais que tiveram contato com o garanhão no mês de coleta, para conseguir se analisar todas as possíveis alterações no manejo, saúde e bem-estar desse indivíduo
Análise seminal: As colheitas serão por meio de vagina artificial (preparada com água aquecida a 50°C) com copo coletor graduado, para medição do volume seminal e com um filtro próprio estéril para filtragem do sêmen e descarte da fração gel; como manequim será utilizado um manequim artificial de modelo comercial comum no mercado, contudo será utilizada uma égua em estro para rufiação. Imediatamente após a colheita, serão analisados, visualmente, o volume, o aspecto e a cor e, sob microscopia convencional, a motilidade total e o vigor, segundo o Manual do Colégio Brasileiro de Reprodução Animal-CBRA11. Ainda, uma alíquota de 10µL de sêmen de logo após a ejaculação do garanhão será diluída em água destilada em eppendorf de 2ml, para determinação da concentração espermática, utilizando-se preparação na câmara de Neubauer (espermatozóide/mL) e visualização em microscopia convencional no laboratório anexo a sala de coleta.

Indicadores, Metas e Resultados

Estabelecer as expressões comportamentais e o tempo de execução em cada da coleta de garanhões em manequim e vagina artificial, comparado à qualidade espermática dos mesmos

Utilizar o Etograma como forma de avaliação de comportamentos de equinos em reproduação controlada.


Estabelecer a relação do comportamento dos garanhões com a qualidade espermática

Determinar a intensidade de características comportamentais com alterações e qualidade seminal

Definir os tempos de coleta médio dos garanhões da raça crioula durante este regime de coleta

Definir os comportamentos mais encontrados nos garanhões da raça crioula neste regime de coleta

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉ MACHADO DA SILVA JÚNIOR
BRUNA DA ROSA CURCIO1
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA1
ESTHER MELLO DIAS DA COSTA
GABRIELA CAMILLO
GIOVANA MANCILLA PIVATO
RAFAELA BASTOS DA SILVA
TATIANE LEITE ALMEIDA
THAIS FEIJO GOMES

Página gerada em 18/04/2024 07:40:43 (consulta levou 0.145978s)