Nome do Projeto
Trabalho e Trabalhadoras: trajetórias profissionais e projetos de aposentadoria
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
13/02/2023 - 13/02/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
Este projeto visa analisar a vida laboral das mulheres em sua diversidade, desde uma perspectiva interseccional, integrando o trabalho produtivo e o reprodutivo, até o final da vida produtiva que advém com o processo de envelhecimento. O projeto articula-se em três eixos: Mulheres no Trabalho; Trabalho reprodutivo e de cuidado; Mulheres e envelhecimento. O primeiro eixo visa examinar formas de inserção das mulheres, considerando tanto a configuração do mercado de trabalho brasileiro, no qual o trânsito entre formalidade e informalidade articulam-se ao longo das trajetórias profissionais, quanto as singularidades das mulheres, cujas diferenças de raça/etnia, classe e raça, produzem efeitos nas posições ocupadas em uma mesma estrutura laboral. O segundo eixo busca analisar as conexões entre o trabalho produtivo e o reprodutivo como locus de entrelaçamento das desigualdades na divisão sexual do trabalho e a naturalização da responsabilidade das mulheres pelas atividades de cuidado e reprodução. No capitalismo, a divisão sexual do trabalho sustenta a relação de trabalho assalariada, pois as atividades de reprodução garantidas pela família e, nesta, pelas mulheres que constituem redes de cuidados que permitem aos homens maior tempo de dedicação ao trabalho. Na perspectiva das mulheres esta divisão do trabalho, que perdura mesmo com sua entrada no mercado de trabalho, resulta em perda de oportunidades profissionais, em sobrecarga de trabalho e falta de tempo para si. Por fim, o terceiro eixo joga luz sobre mulheres ao final da sua vida produtiva, analisando a forma como vivenciam seus processos de envelhecimento e como projetam suas aposentadorias. Este momento da vida das mulheres articula-se tanto com sua trajetória profissional pregressa, na medida em que o acesso à aposentadoria resulta dos vínculos trabalhistas estabelecidos ao longo da vida, quanto com sua atividade como cuidadora e responsável pelo âmbito da domesticidade. Neste momento, de trânsito entre o fim ou redução do tempo dedicado ao trabalho produtivo e o aumento do tempo destinado ao trabalho reprodutivo e de cuidado, novos processos de sociabilidade se constituem e as mulheres (re)formulam seus projetos de envelhecimento e de aposentadorias. Neste projeto articula-se duas perspectivas críticas, qual seja gênero e interseccionalidade. A mobilização da perspectiva de gênero permite tensionar os efeitos da divisão sexual do trabalho e da naturalização do papel reprodutivo da mulheres, às quais são atribuídas os papéis sociais relativo ao cuidado e ao âmbito doméstico, produzindo desigualdades que resultam em perdas de oportunidades. A interseccionalidade, por sua vez, permite analisar como marcadores sociais, além do gênero, e em particular neste projeto, raça/etnia, classe e geração, produzem diferentes possibilidades de produzir boas formas de vida, mais especificamente de inserção profissional, ao longo da vida produtiva e, de envelhecimento e aposentadoria, ao final da mesma.

Objetivo Geral

Objetivos


Analisar formas de inserção e trajetórias laborais de mulheres desde um perspectiva geracional, evidenciando os espaços e tempos destinados ao trabalho produtivo e reprodutivo em suas vidas, bem como os processos de transição ao final da vida produtiva, incluindo o tema do envelhecimento, a vida familiar e outros tipos de inserção profissional e/ou comunitária estabelecidas.

Objetivos específicos


- Examinar as trajetórias laborais dessas mulheres, identificando formas de inserção formal, informal, remuneradas ou não;

- Identificar as dinâmicas de trabalho presentes em formas de inserção plurais, tais como o trabalho remoto e o trabalho mediado por plataformas e seus efeitos sobre no âmbito profissional e privado.


- Analisar os processos de envelhecimento e projetos de aposentadoria constituídos pelas mulheres, identificando estratégias de subsistências

- Analisar formas de constituição de identidade e sociabilidade entre mulheres aposentadas por meio de atividades relacionadas ao cuidado no âmbito domestico e ou externo por meio do voluntariado.

Justificativa

O diferencial desta pesquisa reside no desenho da pesquisa e na metodologia proposta. O projeto propõe, a partir dos três eixos explicitados anteriormente uma visão holística que (re)integra os diferentes âmbitos da vida - produtivo / reprodutivo; casa / rua; esfera pública / esfera privada - e momentos da mesma - tempo do trabalho, tempo da casa, tempo da familia, tempo do cuidado, tempo da sociabilidade.
Isso é feito a partir de uma perspectiva diacrônica, observando ao longo da vida das mulheres as diferentes fases - juventude, adulta jovem, adulta madura, velhice - e como eles são experienciadas.
Tendo como pano de fundo o contexto do mercado de trabalho brasileiro, caracterizado por grande desigualdade e precariedade, no qual mulheres e ainda mais, mulheres negras, enfrentam condições piores de inserção, o projeto mobiliza ainda a perspectiva interseccional para abordar os sistemas de desigualdade e de opressão que resultam da intersecção de classe, gênero, raça, idade, etc,.
Por fim, a pesquisa será realizada a partir de uma perspectiva qualitativa, apoiada em entrevistas narrativas e exame de trajetórias laborais e de vida.

Metodologia

A pesquisa será realizada com mulheres trabalhadoras — docentes em escolas públicas e privadas —; mulheres trabalhadoras situadas no terço final da vida produtivas e portanto aproximando-se da aposentadoria de estratos profissionais e renda distintos — trabalhadoras domésticas; docentes em escolas públicas e privadas; profissionais liberais —; mulheres já aposentadas que atuam em atividades voluntárias, em uma Pastoral da Saúde.
A técnica de pesquisa será a entrevista narrativa, sobre a trajetória laboral e projetos de vida. Este tipo de entrevista caracteriza pela mínima intervenção do pesquisador, deixando que o entrevistado apresente sua narrativa em seus próprios termos, a partir de uma questão gerativa ampla. O entrevistador poderá ainda formular, ao final, questões de esclarecimento, de aprofundamentos e outras ligadas ao problema de pesquisa, se necessário.
A análise das entrevistas segue os princípios de diferenciação entre dados objetivos - como cronologia de eventos e acontecimentos importantes e julgamentos, avaliações e reflexões do entrevistado. O objetivo é menos alcançar regularidades e, mais, compreender dinâmicas e processos.
De forma auxiliar serão utilizados analise de documentos, dados quantitativos e observação participante, quando for o caso.
As mulheres entrevistadas são da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul.

Indicadores, Metas e Resultados

- Fortalecimento de competências teóricas: leituras teóricas e discussão de textos => contribuindo para o aprimoramento da sua formação.
- Fortalecimento de competências metodológicas: leituras teórico-metodológicas; elaboração de roteiros de entrevistas; Realização de entrevistas; Realização de observação, Técnicas de análise de dados qualitativos
- Elaboração de artigos para apresentação em Seminários e posterior publicação => 3 artigos
- Elaboração de teses de doutorado => 3 teses

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA DE LEMOS MUNSBERG
LUANA COSTA BIDIGARAY
MARILIS LEMOS DE ALMEIDA3
RENATA VIEIRA RODRIGUES SEVERO

Página gerada em 25/05/2024 17:18:36 (consulta levou 0.129237s)