Nome do Projeto
Conforto ambiental para a produção agropecuária
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/04/2023 - 01/04/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Resumo
O Brasil está situado, em sua maior parte, em uma região tropical, caracterizada pelas altas temperaturas e umidades elevadas. O Rio Grande do Sul está numa região de clima subtropical e tem as quatro estações do ano bem definidas. Os verões nesse estado são caracterizados pelas altas temperaturas e elevada umidade relativa. Nos últimos anos, o estado teve verões extremos, com umidades baixas. Para a produção animal, tratando-se de homeotérmicos, as altas temperaturas podem ocasionar estresse térmico e, como consequência, baixa conversão alimentar, mudanças comportamentais e baixa imunidade. O ser humano também está sujeito ao estresse térmico térmico, seja em sua residência ou no exercício de suas atividades laborais. O trabalhador submetido ao estresse térmico tem uma baixa produtividade e pode desenvolver doenças ocupacionais. Para se mitigar as situações de estresse, devemos projetar edificações (instalações para animais e agroindustriais) levando-se em considerações estratégias bioclimáticas (eficientes do ponto de vista energético) para a manutenção da temperatura interna amena. O desconforto térmico também acomete trabalhadores rurais que atuam diretamente no campo e os animais criados de forma extensiva, esse desconforto pode ser reduzido com a inserção de abrigos e pontos de sombra.

Objetivo Geral

Efetuar o monitoramento ambiental de diferentes edificações (agroindustriais, alojamentos para animais domésticos, habitação rural e demais abrigos para animais não domésticos) e propor melhorias nos sistemas de ventilação (natural e/ou artificial), sombreamento e iluminação natural ou artificial com o uso de estratégias bioclimáticas passivas e de inovações tecnológicas de baixo consumo energético.

Justificativa

Existem diversas edificações utilizadas na produção animal e agroindustrial que foram projetadas sem os devidos requisitos para a manutenção do conforto térmico dos animais ou trabalhadores. Essas edificações são ineficientes para a produção animal e para a execução eficiente das atividades laborais. Apesar dessa limitação, essas construções são utilizadas na produção e constituem uma demanda para projetos de melhorias das condições internas de conforto térmico.
As atividades produtivas agrícolas e pecuárias realizadas em ambiente aberto são muito suscetíveis aos desconfortos térmicos, principalmente no verão, e diversas propriedades rurais não dispõem de meios e estratégias para a redução do desconforto térmico para os animais e trabalhadores rurais e, para tal, este projeto também visa desenvolver estratégias e tecnologias para a redução do desconforto térmico de animais e trabalhadores rurais em ambientes abertos.

Metodologia

O monitoramento ambiental das edificações ou do ambiente objeto de projeto será realizado com os seguintes equipamentos: medidores de temperatura e umidade (psicrômetros), medidor de estresse térmico, luxímetros e termo anemômetros. Alguns desses possuem Datalogger, permitindo o registro autônomo dos parâmetros ambientais. Simulações computacionais, visando o projeto de sistemas de ventilação natural, ar condicionado e aquecimento, serão realizadas com o software gratuito EnergyPlus. Versões educacionais de softwares proprietários também poderão ser solicitadas para o uso em projetos e dimensionamentos.

Indicadores, Metas e Resultados

Monitorar as condições ambientais e projetar um sistema de ventilação forçada e isolamento térmico para um galpão agroindustrial;
Monitorar as condições ambientais e projetar um viveiro padrão para o Núcleo de Reabilitação da Fauna Silvestre da UFPel;
Monitorar as condições ambientais e propor melhorias na instalação, visando o conforto térmico de bezerros alujados;
Determinar qual as mesorregiões do RS possuem o clima mais adequado para a criação de gado leiteiro;
Espera-se que novas metodologias para o projeto e dimensionamento de sistemas de climatização e iluminação para edificações agrícola sejam criadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIEL NADAL
GABRIELLY AMARAL CESPEDES FIORAVANTI
HUMBERTO DIAS VIANNA9
JEFERSON MEIRA
LUANA BARRETO VAZ
MARIA CAROLINA GOMES SILVA E SILVA
MIKAEL ALVES SCHNEIDER
WAGNER DE ALMEIDA LUCAS

Página gerada em 30/05/2024 15:58:52 (consulta levou 0.130008s)