Nome do Projeto
Monitoramento dos pacientes que retiram medicamentos para Asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC na Farmácia Municipal de Pelotas, RS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/06/2023 - 01/06/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
A cepa do vírus SARS-coV-2 emergiu em dezembro de 2019 e não demorou para se disseminar mundialmente. Com a declaração da pandemia em março de 2020, os impactos sociais e econômicos ficaram cada vez mais evidentes e milhares de mortes foram registradas. Em Pelotas, RS, o primeiro caso foi registrado em março de 2020, poucos meses após a confirmação já se observavam mais de 218 pacientes positivados na cidade. A infecção por Covid-19 apresenta como principal sinal clínico afeccções no trato respiratório e pode ser agravada por imunossupressão ou outros fatores de risco como idade avançada, diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares e respiratórias. A Asma e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) atuam como um fator limitante aos pacientes, sendo estas algumas das principais causas prévias que podem levar à mortalidade destes pacientes. O tratamento depende da gravidade, mas essencialmente dá-se pela utilização de medicamentos como beclometasona, salbutamol, budesonida, formoterol, salmeterol, omalizumabe e fenoterol, todos disponíveis para retirada gratuita na Farmácia Municipal de Pelotas. O objetivo desse estudo é verificar se as medicações retiradas para o tratamento destas enfermidades são devido à sequelas da Covid-19 longa ou se o uso já era realizado antes da pandemia, para isso serão aplicados questionários de forma breve e objetiva aos pacientes que utilizam dos medicamentos para Asma e DPOC na Farmácia Municipal de Pelotas, e os resultados servirão de auxílio para que auxiliar na gestão da Farmácia Municipal e da Secretaria de Saúde de Pelotas em relação a esses medicamentos.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Avaliar o perfil dos usuários que procuram medicamentos para doenças respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crônica e asma, afetados pela COVID-19, na Farmácia Municipal de Pelotas, RS.

Objetivos específicos

Identificar o perfil da população que faz uso de medicamentos para o tratamento de DPOC e asma na Farmácia Municipal de Pelotas, RS.
Identificar os medicamentos utilizados pela população para o tratamento de DPOC e asma.
Identificar o início da obtenção de medicamentos por esses pacientes via Farmácia Municipal de Pelotas.
Caracterizar se o início do tratamento para asma e DPOC foi devido a sequelas pós Covid – 19 ou Covid – 19 longa ou se o início dos tratamentos para essas doenças não possui relação com a Covid – 19.

Justificativa

Em dezembro de 2019, foi identificada uma nova cepa de vírus SARS-coV-2 (Severe Acute Respiratory Syndrome coronavírus 2) causador da Covid – 19, nunca identificada em humanos. Esse novo vírus acarretou um grande impacto global, resultando em milhares de mortes ao redor do mundo (COSTA et al., 2022).
A pandemia do novo coronavírus foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 11 de março de 2020 devida a sua rápida disseminação (PEREIRA et al., 2020).
A principal preocupação dos governantes e da população geral assim que o vírus SARS-coV-2 foi identificado era a sua rápida propagação de pessoa para pessoa através da autoinoculação do vírus em membranas mucosas (olhos, nariz e boca) através de gotículas e aerossóis ou do contato com superfícies contaminadas (SOUSA et al., 2021).
O primeiro caso confirmado de Covid – 19 identificado no Brasil foi um homem de 61 anos na cidade de São Paulo, confirmado no dia 25 de fevereiro de 2020 (UNA – SUS, 2020). Por sua vez, o estado do Rio Grande do Sul confirmou o primeiro caso cerca de 15 dias depois, em 10 de março de 2020 (CRF – RS, 2020).
A cidade de Pelotas, localizada no extremo sul do Brasil, registrou o seu primeiro caso oficial no dia 25 de março de 2020. Três meses após a confirmação do primeiro caso em Pelotas, o total de infectados confirmados era de 218 pacientes na cidade (KURZ et al., 2021) O SARS – CoV – 2, causador da Covid – 19 possui como sintomas característicos em sua forma mais grave a Síndrome Respiratória Aguda Grave (PEREIRA et al., 2020).
Ao redor do mundo centenas de pessoas sofrem com doenças respiratórias, em especial idosos e crianças (GOSSENHEIMER et al., 2021). O Brasil ocupa hoje a 8° posição em prevalência de Asma sendo a doença respiratória crônica com maior mortalidade e morbidade. Os agravos da doença acarretam grandes impactos econômicos e sociais e na qualidade de vida dos indivíduos (GOSSENHEIMER et al., 2021).
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e a Asma estão entre as doenças respiratórias que impõem grandes limitações no cotidiano dos pacientes e estão entre as principais causas prévias que podem levar à mortalidade destes pacientes. A DPOC por exemplo se encontra ocupando o quarto lugar de causas de morte no mundo e essa situação tende a piorar (CAMPOS, 2004).
O grupo mais vulnerável de contrair a Covid – 19 são os idosos que possuem uma resposta do sistema imunológico diminuída, portadores de doenças do aparelho cardiovascular e do trato respiratório, pacientes com câncer, diabetes e hipertensão como os grupos acometidos com maior gravidade (PEREIRA et al., 2020). Os principais fatores de mortalidade por Covid – 19 ocorre por choque ou falência múltipla de órgãos e insuficiência respiratória (PEREIRA et al., 2020).
A gravidade da asma é definida pela intensidade da qual suas manifestações conseguem ser suprimidas pelo tratamento utilizado pelos pacientes (YOSHIMASA & NETO, 2021). A asma não possui cura, mas sim tratamento e a utilização correta de medicamentos e orientações para prevenção das crises asmáticas, pode auxiliar muito na qualidade de vida do paciente. O tratamento utilizado atualmente segue dois vieses: os medicamentos de uso contínuo que são controladores das crises e os medicamentos de alívio que são utilizados quando ocorre uma piora nas crises (YOSHIMASA & NETO, 2021).
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada por uma limitação do fluxo de ar associada a inflamação de pequenas vias aéreas (bronquite respiratória) e destruição parenquimatosa (enfisema). O tratamento é baseado na utilização de broncodilatadores de ação curta para pacientes com sintomas leves e para aqueles com sintomas mais intensos é utilizado broncodilatadores de ação longa. A DPOC é progressiva e irreversível e atinge principalmente adultos acima dos 40 anos de idade (YOSHIMASA & NETO, 2021). O tratamento depende muito da gravidade da doença, em casos muito graves podem ser indicados tratamentos cirúrgicos (YOSHIMASA & NETO, 2021).
Os medicamentos disponibilizados na Farmácia Municipal de Pelotas para o tratamento da asma e DPOC que fazem parte do componente básico são a beclometasona e o salbutamol. Já os medicamentos disponibilizados via componente especializado encontra-se a budesonida, o formoterol, o formoterol + budesonida, salmeterol, omalizumabe e fenoterol (FARMÁCIA DIGITAL RS, 2023).

Hipótese

De acordo com o perfil dos pacientes que fazem o uso de medicamentos para DPOC e asma, espera-se encontrar um maior predomínio na população de idosos fumantes de ambos os sexos.
Os medicamentos mais utilizados para o tratamento de DPOC e asma serão os β2-agonista de longa duração e os corticoides inalatórios.
A maioria dos pacientes que busca a Farmácia Municipal para retirar seus medicamentos já faziam uso destes antes da pandemia de Covid - 19.

Metodologia

O presente estudo avaliará através de um questionário aplicado individualmente para todos os pacientes da Farmácia Municipal de Pelotas que fazem uso de medicamentos para asma: Cid’s J45.: J45.0 (Asma predominantemente alérgica), J45.1 (Asma não-alérgica), J45.8 (Asma mista) e J45.9 (Asma não especificada) e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC Cid’s J44.: J44.0 (Doença pulmonar obstrutiva crônica com infecção respiratória aguda do trato respiratório inferior), J44.1 (Doença pulmonar obstrutiva crônica com exacerbação aguda não especificada), J44.8 (Outras formas especificadas de doença pulmonar obstrutiva crônica), J44.9 (Doença pulmonar obstrutiva crônica não especificada).
Através desse questionário espera-se identificar se estes pacientes fazem uso de medicações para os Cid’s citados para o tratamento destas enfermidades devido a sequelas causadas pela Covid – 19 ou se esses pacientes já faziam uso de medicações para o tratamento de asma e DPOC antes da pandemia.
A aplicação dos questionários para os pacientes ocorrerá logo após o final do atendimento de retirada dos medicamentos desses pacientes. Será explicado ao paciente o tipo de questionário e o objetivo dele, mediante resposta positiva do paciente, o questionário será aplicado da forma mais objetiva e breve possível; mediante negativa de responder o questionário o mesmo não será aplicado ao paciente. O projeto e o questionário serão submetidos para aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Humanos da Universidade Federal de Pelotas.
O questionário contará com cerca de 39 questões, contando com perguntas fechadas e abertas. O questionário será aplicado por alunos do grupo Pet Gestão e Atenção à Saúde de COVI-19, pertencente ao projeto PET Saúde da UFPel durante 30 dias consecutivos, para que o máximo de pacientes sejam entrevistados. Ao final do mês as respostas destes questionários serão lançadas em sistema Excel para o tabelamento dos dados e análises dos dados obtidos.

Indicadores, Metas e Resultados

Avaliar o perfil dos usuários que procuram medicamentos para doenças respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crônica e asma, afetados pela COVID-19, na Farmácia Municipal de Pelotas, RS até 01 de junho de 2024. Espera-se entrevistar cerca de 1.100 pacientes.

Identificar o perfil da população que faz uso de medicamentos para o tratamento de DPOC e asma na Farmácia Municipal de Pelotas, RS, até 01 de junho de 2024, através do preenchimento dos questionários.

Avaliar o perfil dos usuários que procuram medicamentos para doenças respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crônica e asma, afetados pela COVID-19, na Farmácia Municipal de Pelotas, RS, até 01 de junho de 2024, através do preenchimento dos questionários.

Identificar o início da obtenção de medicamentos por esses pacientes via Farmácia Municipal de Pelotas.
Caracterizar se o início do tratamento para asma e DPOC foi devido a sequelas pós Covid – 19 ou Covid – 19 longa ou se o início dos tratamentos para essas doenças não possui relação com a Covid – 19, até 01 de junho de 2024, através do preenchimento dos questionários.



Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ERICK RODRIGUES FREITAS
FABIO DINIZ FIDELIS MOREIRA
FERNANDA DE REZENDE PINTO2
Fabian Teixeira Primo
HENRIQUE ALVES CALASANS BAEZA
ISIS FELDENS MULLER
Karoline Brizola de Souza
LINDA ROMERO GAMA
LUIZ FERNANDO DUARTE DA SILVA
MARCELO FERNANDES CAPILHEIRA2
MATEUS DE OLIVEIRA NESPOLO
RICARDO NETTO GOULART

Página gerada em 18/04/2024 20:31:20 (consulta levou 0.166966s)