Nome do Projeto
MADEIRA EM ÁGUA DE TUFA: AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES QUÍMICAS E A RESISTENCIA AO APODRECIMENTO
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
15/05/2023 - 14/05/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
O projeto propõe o uso da água de turfa, proveniente de turfeiras, como uma fonte de matéria-prima para desenvolver um biopreservante ou um novo produto para tratar madeira. A água de turfa contém substâncias ácidas e substâncias húmicas que apresentam características promissoras para a preservação da madeira contra agentes biodegradadores.

Objetivo Geral

O objetivo deste estudo é avaliar e caracterizar as vantagens de tratar as madeiras de Pinus spp. e Eucalyptus spp. com água de turfa para preservá-las do apodrecimento.

Justificativa

Baseia-se na necessidade de encontrar alternativas mais sustentáveis e de baixo impacto ambiental para preservar a madeira utilizada na indústria florestal brasileira. Atualmente, os tratamentos químicos são amplamente utilizados, mas são agressivos ao meio ambiente e apresentam restrições no descarte da madeira tratada.
Diante do aumento do uso da madeira como matéria-prima em diferentes setores, é essencial buscar métodos de preservação que minimizem o impacto ambiental e permitam a utilização mais segura e eficiente desse recurso renovável. O setor florestal brasileiro se destaca pelo cultivo de espécies de crescimento rápido, como Pinus spp. e Eucalyptus spp., que são amplamente empregadas na produção de celulose, papel e construção civil, mas não possuem resistência adequada a agentes degradadores.

Metodologia

Coleta de amostras de água de turfa: Serão selecionadas turfeiras devidamente autorizadas e acessíveis para coletar amostras de água de turfa. As amostras serão coletadas de forma representativa, levando em consideração a diversidade de turfeiras e suas características. Serão utilizados recipientes estéreis para garantir a integridade das amostras.

Caracterização da água de turfa: As amostras de água de turfa serão submetidas a uma análise físico-química abrangente. Serão avaliados parâmetros como pH, condutividade, teor de matéria orgânica, composição mineral, presença de substâncias ácidas e outros componentes relevantes. Essa caracterização fornecerá informações essenciais sobre as propriedades da água de turfa e sua potencial aplicação como biopreservante para madeira.

Preparação da madeira: Serão selecionadas amostras de madeira de Pinus spp. e Eucalyptus spp. para serem submetidas ao tratamento com água de turfa. As amostras de madeira serão devidamente preparadas e cortadas em dimensões padronizadas para facilitar os testes e avaliações subsequentes.

Tratamento da madeira com água de turfa: O tratamento será realizado utilizando-se diferentes métodos, como a imersão da madeira na água de turfa e a utilização de autoclave para garantir a impregnação da água nas células da madeira. Serão estabelecidos parâmetros de tempo e temperatura adequados para o processo de tratamento.

Avaliação da eficácia do tratamento: As amostras de madeira tratada serão submetidas a testes de resistência e durabilidade para avaliar a eficácia do tratamento com água de turfa. Serão realizados testes de resistência ao apodrecimento, ataque de fungos e insetos, além de testes de intemperismo simulado para avaliar o comportamento da madeira tratada em condições adversas.

Análise dos resultados: Os resultados obtidos nos testes serão analisados e comparados com os resultados de amostras de madeira não tratadas e tratadas com métodos convencionais. Será avaliada a resistência da madeira tratada com água de turfa em relação aos agentes de degradação, bem como outras propriedades relevantes, como a estabilidade dimensional e a preservação da cor e aspecto da madeira.

Indicadores, Metas e Resultados

Com esta pesquisa, presume-se que a água da turfa seja eficiente para preservar a madeira, apresentando resultados positivos para a resistência ao apodrecimento.
Com a caracterização da madeira, espera-se que haja a sua preservação contra o apodrecimento, sem que interfira na sua constituição e nas suas propriedades.
Com a caraterização da água, espera-se que de fato se encontre e comprove as substâncias que ocasionam essa preservação da madeira, dito isso, a partir dessas substâncias, pode-se desenvolver um novo produto para tratar madeira.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉ LUIZ MISSIO1
AVILA FERREIRA DE SOUSA
DARCI ALBERTO GATTO1
FAILI TOMSEN2
LUCAS REINALDO WACHHOLZ ROMANO
MATHEUS DE PAULA GOULARTE
MAURICIO ALVES RAMOS
RAFAEL BELTRAME1
RICARDO RIPOLL DE MEDEIROS2
WESLEY FURTADO PIRES

Página gerada em 23/02/2024 07:14:25 (consulta levou 0.225727s)