Nome do Projeto
O Leitor como produtor e a percepção do processo de literarização das relações vitais
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2023 - 01/08/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Resumo
A necessária articulação da literatura com o processo de formação do leitor se torna cada vez mais evidente no cenário atual em que a própria autoria se dilui em meio à tecnologia e ao avanço da inteligência artificial. O empobrecimento da criação artística deriva das leituras empobrecidas e, assim como Walter Benjamin destacou, o tratamento dialético dessa questão (...) não pode de maneira alguma operar com essa coisa rígida e isolada: obra, romance, livros. Ele deve situá-la nos contextos sociais vivos" (2012, p. 131). Ainda que Benjamin tenha como foco o autor como produtor, é possível a atualização para o o leitor como produtor devido a sua importância nesse processo. A fusão de vários elementos e técnicas presentes na produção literária muitas vezes somente é acessada por um leitor capaz de compreender e intermediar - em uma situação formativa - essa perspectiva para outros leitores que também são e poderão se tornar autores capazes de produzir complexidades e não apenas simplificações e generalizações a partir do existente e disponível na cultura.

Objetivo Geral

Atividades de pesquisa visando articular a análise de textos literários considerando os vários campos do conhecimento que se cruzam para viabilizar reflexões necessárias a partir de diálogos intertextuais e considerando a pluralidade de mídias nas quais ocorrem a produção cultural e artística. Neste cenário, o papel do leitor como produtor será evidenciado como central para o avanço da produção artística e literária.

Justificativa

A principal justificativa para a proposta de pesquisa de forma geral, ou seja, na possibilidade de construção de um espaço de debate visando reorientar a percepção do leitor (seja ele idealizado, real, em seu processo formativo próprio e/ou na atuação docente) parte do diálogo com a reflexão benjaminiana: “Se voltarmos agora o olhar ao processo de fusão das formas literárias, mencionado no início, veremos como a fotografia, a música e outros elementos, que não conhecemos ainda, mrgulham naquela massa líquida incandescente da qual serão cunhadas as novas formas. Confirma-se, assim, que é somente a literarização de todas as relações vitais que permite dar uma ideia exata do alcance desse processo de fusão, do mesmo modo que é nível da luta de classes que determina a temperatura na qual se dá a fusão, de modo mais ou menos completo” (2012, p. 140).
Benjamin não destaca ou aprofunda – ao menos não diretamente – o papel do leitor, podendo ser aessado, talvez, enquanto percurso para a autoria, para a produção, o produtor. Assim, o aspecto central da leitura formativa e produtiva pode reestabelecer vínculos com base na intertextualidade, interdisciplinaridade e intermidialidade que estão presentes na nossa contemporaneidade e afetam a nossa percepção da realidade, tanto cultural quanto política, fator decisivo para a manutenção de uma sociedade democrática, ainda que com todos os problemas advindos de um processo burgués que não reconhece as desigualdades sociais e o processo histórico de opressão. No entanto, é a ideia por ele desenvolvida acerca do autor que permite a percepção de um outro tipo de leitor em constante formação que restabelece a si mesmo como um bem incompressível – na definição de Antonio Candido – capaz de dialogar com essa diversidade de relações vitais literarizadas sem sucumbir à previsibilidade de um horizonte de expectativas limitado. As leituras prévias não sustentam um processo interpretativo capaz de acessar a verdade, mas apenas uma constatação da historicidade do sujeito-leitor enquanto pertencente a um espaço de diálogo e de (re)inclusão de si na construção da sociedade e da própria história.

Metodologia

As leituras e discussões se pautarão na contribuição que as análises e interpretações advindas da relação entre os textos literários e as perspectivas teórico-críticas oferecem a outras áreas do conhecimento. Essa preocupação evidencia ampliar um processo que articula o caráter interdisciplinar na direção de se estabelecer uma troca e salientar quais aspectos ampliam as possibilidades de leitura no campo dos estudos literários, além de manter a recepção das outras áreas do conhecimento visando a compreensão do texto literário e das demais manifestações artísticas e culturais que se relacionam com a linguagem.
Nesse campo de atuação, as diversas mídias são inseridas em seus diversos contextos, problematizando contexto e condições de produção, tecnologias envolvidas em sua produção e recepção, diálogos entre as artes e contribuições entre as diversas linguagens/artes em consonância com os embasamentos teóricos necessários para abordar essas complexidades.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que os resultados das atividades de pesquisa, assim como das ações de extensão e ensino que serão desenvolvidas em complemento aos objetivos, oportunize espaço para uma valorização da formação de leitores, especialmente os literários, em uma nova situacionalidade histórica e social. O entendimento de que os textos literários e constituem de inutensílios acaba por não refletir de forma positiva no conjunto da sociedade e dos processos educativos que insistem em encontrar elementos que correspondam de forma direta e com resultados administrados (como na própria estrutura exigida para o cadastro deste projeto) com antecedência e previsibilidade. Apesar de ser algo importante e necessário para o planejamento, a lógica que impera acaba por normatizar processos de construção de forma desconexa, ignorando a imprevisibilidade do caráter humano e da criação artística e literária. Dessa forma, o redimensionamento dessa premissa de base pretende resultar em uma reorganização da própria definição de indicadores e resultados, esperando um dinamismo que extrapole os indicadores. Mesmo assim, essas discussões serão disponibilizadas e publicizadas mediante a apresentação em eventos e revistas científicas para ampliação dos debates e problematizações que envolvem desde a formação de professores e leitores até o papel da inteligência artificial no campo da produção artística e literária.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DANIELE CAROLINE AGUIAR DOS SANTOS
FRANCINE NUNES DE SOUZA
JOAO LUIS PEREIRA OURIQUE8
SIMONE SANTOS DE SOUZA

Página gerada em 08/12/2023 02:45:19 (consulta levou 0.162742s)