Nome do Projeto
Evolução geológica e recursos minerais
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
30/06/2023 - 30/06/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra
Resumo
O Projeto EVOLUÇÃO GEOLÓGICA E RECURSOS MINERAIS norteia seu trabalho na pesquisa geocientífica tendo como base os trabalhos realizados pelos professores e alunos do curso de Engenharia Geológica realizados desde 2013 e em atividade. Exemplos destes trabalhos já executados englobaram Mapeamento Geológico na área do entorno de Pelotas, como Monte Bonito, Morro Redondo, Capão do Leão, Cerrito, além de Arroio Grande, Jaguarão, Pinheiro Machado, Lavras do Sul, Caçapava do Sul, São Gabriel e Bagé. Estes projetos nos últimos anos desenvolveram seus estudos em rochas graníticas na região de Pelotas, rochas vulcânicas em Jaguarão, Mármores e xistos (rochas metamórficas) em Arroio Grande, Anfibolitos em Lavras do Sul e Bagé, rochas ígneas, metamórficas e sedimentares em Pinheiro Machado e Candiota. Estes estudos foram contemplados em Projetos de Pesquisa cadastrados pelo coordenador na UFPEL, sendo eles GEOLOGIA E RECURSOS MINERAIS DAS ROCHAS MAGMÁTICAS E METAMÓRFICAS DO SUL DO BRASIL, METALOGENIA E ASPECTOS GEOQUÍMICOS NA PROVÍNCIA MAGMÁTICA DO PARANÁ, PETROLOGIA E GEOQUÍMICA DOS GRANITÓIDES DA REGIÃO DE PELOTAS, RS, MAPEAMENTO E GEOQUÍMICA DAS ROCHAS VULCÂNICAS DA REGIÃO DE JAGUARÃO, RS. O fundamento destes estudos relacionou-se com a evolução geológica e recursos minerais do sul do Brasil. Com isto este Projeto contempla estas várias atividades do Grupo de Pesquisa GEOS - EVOLUÇÃO GEOLÓGICA E DEPÓSITOS MINERAIS, da base de Diretórios de Pesquisa do CNPq, certificado pela UFPEL.

Objetivo Geral

O principal objetivo do projeto é o de investigar a evolução geológica e recursos minerais de rochas pertencentes ao magmatismo orogênico da região leste e centro do Escudo Sul-riograndense, na região de Pelotas – Piratini -Pinheiro Machado - Arroio Grande - Lavras do Sul - Caçapava do Sul – São Gabriel - Bagé, cujas nomenclaturas são as mais variadas (e.g. Suíte Intrusiva Pinheiro Machado, Suíte Arroio Solidão, Complexo Vigia, Complexo Porongos, Septos do Embasamento; Fernandes et al., 1995a; Chemale Jr., 2000; Hartmann et al., 2000; Frantz et al., 2001; Philipp & Machado, 2006), integrando com dados já disponíveis na literatura com rochas correlatas (?) das regiões de Porto Alegre, Encruzilhada do Sul, estado de Santa Catarina e Uruguai. Ou seja, como objetivo do projeto, destaca-se mapear áreas alvo de estudo (1:50.000 a 1:25.000), estudar a petrografia, geoquímica e estudar rochas ígneas e metamórficas. No entanto, questões específicas serão abordadas: a) Existência de um magmatismo orogênico participação ou não de crosta oceânica na geração dessas rochas b) Magmatismo básico e ultrabásico relacionando a eventos ofiolíticos e/ou complexos estratiformes e ambiente tectônico; c) mármores e relação de anfibolitos e escarnitos na evolução dos Mármores Matarazzo (septos do embasamento) e relação com recursos minerais. Outro objetivo é o estudo do magmatismo e metalogenia das rochas vulcânicas mesozóicas, como as rochas dacíticas de Jaguarão e os basaltos do Grupo Serra Geral, que foi tema do doutorado do coordenador do Projeto. Um ponto de grande importância é o desenvolvimento do aprendizado de estudantes na área de pesquisa científica e prática do curso de Engenharia Geológica da UFPEL. Ressalta-se que o coordenador tem desenvolvido pesquisas nessas regiões desde que entrou na UFPel, resultando em artigos internacionais publicados e orientações de iniciação científica e de trabalhos de conclusão de curso de alunos da UFPel, sendo que vários alunos relacionados as pesquisas estão desenvolvendo mestrados e uma já está no doutorado na UFPel.

Justificativa

A região de estudo (Escudo Sul-riograndense e sua evolução geológica) apresenta várias lacunas de conhecimento geológico. O coordenador e alunos da UFPel, com parceria de outros pesquisadores, têm desenvolvido várias atividades dentro do escopo deste Projeto. Como resultado podemos citar vários artigos publicados pelo coordenador e alunos da UFPel. O projeto justifica-se pois há várias áreas em estudo e para trabalhar que ainda não foram contempladas nos estudos anteriores.

Metodologia

Etapa pré-campo
Aquisição da documentação básica (trabalhos bibliográficos das disciplinas
envolvidas no mapeamento geológico, imagens de satélite p.ex.: Landsat-TM e
aerofotos); Compilação de trabalhos geológicos de cunho regional (executados
pela CPRM, por empresas, notadamente os levantamentos geológicometalogenéticos
nas mais diversas escalas; trabalhos provenientes de cursos de
pós-graduação e publicações técnicas em livros, revistas, anais e boletins de
congressos e simpósios); As imagens Landsat-TM serão a principal ferramenta
para a fotointerpretação geológica da área, contando com o auxílio das
tradicionais fotografias aéreas.
Etapa Trabalhos de campo
A integração de dados estruturais, petrológicos e geoquímicos em escala de
detalhe e semi-detalhe tem permitido investigar a evolução do magmatismo e de
suas fontes. As rochas plutônicas são vinculadas a associações petrogenéticas,
o que permite uma melhor compreensão de suas fontes, processos genéticos,
ambientes geotectônicos e potencial metalogenético. Para específicas áreas
para conhecimento local propõe-se a confecção de mapas geológicos recentes,
em escala de 1:25.000. Nesta(s) área(s), o trabalho terá prosseguimento com o
detalhamento de segmentos selecionados, visando discriminar os pulsos
magmáticos, graus metamórficos, assembléias de minerais e de alteração e a
possível estratificação original por meio da identificação de feições preservadas
da deformação/metamorfismo. Estas análises visam identificar prováveis áreas
alvo de depósitos minerais, escopo fundamental do Projeto.
Etapa laboratorial
Uma vez entendido o significado estratigráfico e geológico das associações
magmáticas reconhecidas em campo, serão desenvolvidos estudos
petrográficos em microscopia para definição de paragêneses minerais, eventos
metamórficos e de alteração envolvidos, além da caracterização de possíveis
minerais de minério e suas texturas associadas. Outra etapa prevista é a
geoquímica de elementos maiores e traços em rocha total, visando a estabelecer
sua evolução petrológica e, consequentemente, tectônica, além da avaliação
metalogenética. Estes dados integrados serão utilizados para o melhor
entendimento da evolução geológica da região e seu potencial metalogenético
conseqüente.
Etapa final
Elaboração de relatório final, artigos científicos publicados em periódicos
indexados e resumos em eventos científicos dos alunos envolvidos e trabalhos
de conclusão de curso, uma vez que neste projeto deverão estar presentes
alunos do curso de graduação.

Indicadores, Metas e Resultados

Um dos principais objetivos é a pesquisa geológica básica com confecção de
mapas geológico da área em escalas de 1:100.000, 1:50.000 e
1:25.000 nas regiões alvo;
Com a pesquisa proposta teremos um melhor entendimento estratigráfico,
petrográfico, geoquímico e tectônico da geologia da região sul do Brasil. A
metalogênese do complexo será caracterizada tanto pela etapa de mapeamento
quanto pelas análises petrográficas com caracterização das paragêneses dos
minerais de minério e suas assembléias de minerais de alteração associados.
Por fim, esse projeto compreenderá o treinamento de estudantes de iniciação
científica, trabalhos de conclusão de curso, apresentação de trabalhos em
eventos científicos e publicações em periódicos nacionais e internacionais.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
MATHEUS HEBERLÊ ARAUJO
STEFANY SILVEIRA DAS NEVES
THIERRY MENDES DOS SANTOS
VITER MAGALHAES PINTO6

Página gerada em 28/02/2024 22:15:40 (consulta levou 0.144585s)