Nome do Projeto
Em busca do Wallmapu: a politização da etnicidade pelos movimentos Mapuche no Chile e na Argentina.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
31/05/2023 - 05/06/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O projeto propõe-se a Investigar os processos de etnogênese do grupo étnico mapuche, na Argentina e no Chile, compondo os diferentes quadros institucionais de tratamento da questão mapuche ao longo das histórias coloniais e dos Estados chileno e argentino. Ademais pretende-se realizar uma genealogia dos movimentos sociais mapuche atuantes contemporaneamente no Chile e na Argentina, analisando as estratégias argumentativas e de luta dos movimentos sociais mapuche atuantes no Chile e na Argentina. E, por fim, comparar a atuação dos movimentos sociais mapuche existentes no Chile e na Argentina.

Objetivo Geral

A pesquisa proposta pretende problematizar como se operaram no tempo e diante das diferentes conjunturas históricas e políticas do Chile e da Argentina os processos de politização da etnicidade por parte dos movimentos sociais representativos do povo Mapuche em busca de reconhecimento de direitos coletivos, notadamente suas demandas por território e autonomias diante dos Estados chileno e argentino em seus diferentes períodos históricos, desde a colônia até o presente. Ademais, pretende o trabalho perscrutar as razões por que, em determinados períodos e cenários, conseguiram melhor avançar suas demandas que em outros.

Realizar um estudo diacrônico profundo das mobilizações coletivas do povo mapuche desde as etnogêneses originárias do encontro com o colonizador até os estruturados movimentos sociais contemporâneos, de modo a analisar os processos de politização da etnicidade mapuche no Chile e na Argentina, em suas demandas territoriais, culturais, jurisdicionais e de reprodução social.

Justificativa

O projeto de pesquisa se justifica pelos diversos elementos relevantes que engloba, notadamente pela consonância com preocupações acadêmicas contemporâneas com a decolonialidade e a incorporação da alteridade nos projetos de superação do Estado- nação homogeneizante, racista e patriarcal que conforma as estruturas sociais de subjugação de subalternidades construídas e entronizadas nas instituições sociais.
Ademais, o esforço de estudo conjunto e comparativo de movimentos sociais indígenas no Chile e na Argentina, é relevante para efetuar-se um apanhado geral dos movimentos indígenas na América do Sul, o que é um objetivo do grupo de pesquisa que coordeno, credenciado junto ao CNPq, o Observatório sobre Movimentos Étnicos nas Américas – OMEA.

Metodologia

No desenvolvimento teórico do presente projeto, o objeto de pesquisa será abordado a partir do cabedal da Teoria da Estruturação, de Anthony Giddens (2009), e das teorias sobre grupos étnicos e suas fronteiras, de Frederik Barth (POUTIGNAT, 2011).
Assim, a partir do conceito de dualidade da estrutura proceder-se-á à investigação da formação e reformulação das identidades coletivas mapuche nas fronteiras desse grupo étnico, e, a partir daí à investigação das estratrégias e táticas dos movimentos sociais mapuche no Chile e na Argentina com vistas a alcançarem suas demandas territoriais e autonomistas.

Indicadores, Metas e Resultados

A meta esperada é a de redação de quatro artigos científicos sobre o tema, de acordo com cronograma abaixo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA LUISA GUERREIRO LIMA
ARTHUR ECHENIQUE ALVES
FABIO AMARO DA SILVEIRA DUVAL8
GABRIELLE BEZERRA VELOSO
JOAO MANOEL VIEIRA DE ARAUJO
JONATHAN SANTOS PEREIRA FEIJO
LUANA GOMES LASMAR
LÍVIA LABRIOLLA DA COSTA
MAISA DE BORBA CANDATEN
MARIA LUISA SIMIONI
MATHEUS DA SILVA DOS SANTOS

Página gerada em 13/07/2024 06:10:45 (consulta levou 0.148950s)